Vem para rua… para quê? Impeachment de quem? Do STF? Prisão??? Sai fora.

Não desejo prisão no Brasil (a de verdade) nem para quem já não queira (ou já quis) a minha morte

Quem ainda acha que Lula é o maior problema do Brasil, é um cego. E vai conseguir arrumar sarna para se coçar. Lula. Porra, será que ninguém entendeu ainda? Essa merda do julgamento não é sobre só sobre o Lula. Quem quer vender isso são os lulistas, bolsonaristas e claro toda a corja quer bandidos que quer tomar o poder para bancar xerife. Positivismo jurídico é velho oeste quem toma o poder vira o justiceiro só para fugir da lei, porque a única lei que ele vai impor é uma só: preto e pobre na cadeia, branco e rico solto. Será que eles vão ter que colocar explicitamente na constituição: não é para prender gente rica, autoridade. Faz logo foro privilegiado, como se emite passaporte diplomático, e pronto. Assume logo o apartheid jurídico. classes de cidadão também na justiça. O foro privilegiado vitalício igual na Inglaterra. Quem vira político nunca mais pode ser sequer julgado pela plebe que dirá ir preso. E foro privilegiado por honra ao mérito, um título vitalicio que garante ao portador anistia e imunidade não só para os crimes cometidos no passados, mas os futuros. E se quiser fazer melhor, transforma logo esse título num título de propriedade nobiliário, um foro privilegiado hereditário, que igual cartório ou propriedade grilada,passa de pai para filho. Não queriam monarquia. Taí. Para quê ficar disfarçado já somos uma aristocracia institucionaliza logo a nobreza.

Quem pede Lula Livre tava cagando e andando para os pobres de verdade. Mas quem grita Lula preso, não está gritando para prender o Lula, porque ele não vai preso, não de verdade, quem vai preso é quem não tem diploma e isso já está institucionalizado na constituição. E para não ser injusto com todos os congressistas o único que teve coragem de bater nessa regime apartheid institucionalizado descarado, nessa gentrificação e eugenista covarde foi um senador, delegado e gay que trabalhou com a questão da impunidade no trânsito no ES.

Então meu caro, quem sai a rua para pedir por mais prisão e repressão não para o povo. É um otário, está caindo em guerra de autoridade versus autoridade e quem cai se não é playboy ou gringo vira carne de canhão como confessou o líder do MST:

PS: (veja a complexidade dessa guerra hibrida de desinformação para os gringos (e trouxa que caíram no neocolonialismo disfarçado de ambientalismo sobre Amazônia. MST alinhado com general nessa ponto de vista?????? Isso mesmo arquinimigos sob uma mesma alça de mira internacional. A treta é bem mair, mano. Bem maior.

Então não cai nessa não. Eles que são brancos e da casa que se entendam. Porque não precisamos que menos liberdade, mas menos, e isso inclui fim de foros privilegiados, cargos vitalícios, direito de livre manifestação comunhão de paz e em paz, e logo mais igualdade de autoridade e não menos. Mais gente bandida com poder de mandar preder, fora do poder. E não quem já caiu do trono preso. O poder de mandar prender é a arma apontada para a cabeça em que universo, em que tempo histórico, alguém já viu isso não dar merda e se voltar contra o povo. Derrubar tiranos todos sem discriminação é uma coisa. Pedir para tirania ataque tirania é o caminho oposto. O primeiro leva ao enfraquecimento das oligarquias, fim de apartheids e fortalecimento da sociedade civil e a mais democracia para todos, e não só para os privilégiados. O segundo a mais ditadura com idiocracia e escravocatura, mas idiocratura de idiotas sobre coitados para idiotas privilegiados em fora, subsídios e amizades com o rei. E rei para quem não sabe precisa de trono, corte, e amigos do reis. Bodes expiatórios, bobos da corte, e claro, para manter como eles dizem a liturgia do seu culto institucionalidade a sua personalidades e pessoas jurídicas, sejam eles PJ ou cargos dentro dessas corporações privadas estatais que com fanos do pátrio-poder se sustenta de fanáticos estatais e claro paraestatais.

Então não cai nessa armadilha. Porque o que esses esquizoides a serviço de estatopatas necrófagos querem é cadáver para causas que não são populares nem sociais, mas populistas.

Nem compra essa treta…

Porque o final da história muda conforme a raça, o CEP, e conta bancária dos dos atores, porque quem não é figurão e nem protagonista danem defensor da sua própria causa é figurante e massa de manobra de crocodilagem. É presa e prisioneiro, não caçador e carcereiro.

Não se engane a raiz do problema nunca está nas instancias menores, ou periferias. Eles está sempre onde sempre esteve o buraco é sempre mais em cima, porque o saco sem fundo está lá, na Crocodilopolis onde os últimos nunca serão os primeiros, salvo para na linha frente para morrer por eles e nas maõs deles. Isso é claro se não tiver um diploma no mínimo universitário e de preferencia de político de qualquer bosta. Mas um titulo. Ou você não sabe o seu lugar, não sabe com quem está falando, não sabe por quem está lutando. E não sabe quem foram, o que é um mártir de um povo e quem são seus demagogos.

É unicef…

Eu não xingo mais ninguém de nazi, nem Bolsonaro, nem Witzel nem gringo, por que monstro ou não, querendo ou não, somos todos irmãos. E sendo o que estamos fazendo tem nome nas periferias do Brasil e o mesmo que o ser humano tem feito em todas as periferias e ghetos do mundo. Da Africa à America Latina passando pelas Índias e Orientes médios e mundos cada dia mais medievais: inquisição e holocausto.

E esses canalhas lutando para ver quem vai jogar quem no lixo da história, tratando e eliminando gente como se fosse lixo tóxico para agora para nova ordem socioambiental. Isso não é capitalismo, isso não socialismo, isso não é capitalismo isso é necroantropofagismo disfarçado de crescimento econômico e civilizacional. Onde a unica “verdade” que liberta é o trabalho salva… Sei bem onde marcha esse necro econômica politica e politica econômica:

Sai fora.

Quem é mesmo Rafael Braga? Pois é exatamente. Quem ele é?

“Esse aí” se tivesse esperado, pela Justiça, tava morto. Não se engane, esse esquema é só para soltar os amigos dos amigos. Vão reverter. E depois, fechar a porteira por essa industria da miséria repressão e prisão cujo verdadeiro negócio é o monopólio da violência que se autolegitima como pilhagem tributária dos setores produtivos menores em benesse e subsidio dos maiores. A expropriação do pequeno burgues que de proprietário vai também virando um proletário, desempregado, precarizado mas legalmente informalizado. Otário. E quem já nem proprietário, nem desempregado, nem precarizado, nem vivendo de bicos, onde está?

Esse esta sendo capitalizado como cadáver num outro negocio, o do crime e proteção contra o crime. Mas não era melhor e mais barato para a sociedade não deixar a criança todo criança ou melhor ninguém viver nessa condição? Para a sociedade de paz, e para crime e os vigilantes não. Afinal. Do que viveria o caçador de cabeças a prêmio e fabricante de cadáveres. Quando não houver mais cabeças a premio e cadáveres para capitalizar? Pois é. Vai ter que vender outros serviços impostos. Porque em sociedades onde a riqueza não é produzida da miséria, mas das garantias dos mínimos vitais para todos, como oportunidades iguais. Terão que arrumar outros otários e bodes expiatórios para vender seu holocausto urbano. Ou fazer como países ricos. Invadir outras periferias.

Holocausto Africano de novo? E tal a America Latina? E dá-lhe guerras hibridas domésticas e internacionais.

(…) Às vezes é dito que alguns trabalhadores (dos para alguns, canuts de para outros, na , etc.) costumavam jogar seus sapatos de madeira, chamados de “sabots” nas máquinas para quebrá-las, mas isso não é suportado pela etimologia. Em vez disso, a palavra da fonte francesa significa literalmente “andar ruidosamente”, e usar sapatos de madeira é um exemplo de andar ruidosamente. Originalmente, isso era usado metaforicamente para se referir a disputas trabalhistas, e não a danos.

Uma de suas primeiras aparições na literatura francesa está no Dictionnaire du Bas-Langage ou manières de parler usitées parmi le peuple de D’Hautel, editado em 1808.

O verbo “saboter” também é encontrado em 1873–1874 no “Dictionnaire de la langue française” de . Mas é no final do que ele realmente começou a ser usado com o significado de “deliberadamente e maliciosamente destruir propriedades” ou “trabalhando mais devagar”. Em 1897, , um famoso e escreveu action de saboter un travail (ação de sabotar um trabalho) em “Le Père Peinard” e em 1911 ele também escreveu um livro intitulado Le Sabotage. (…)

No início da , qualificados como os luditas (1811–1812) usaram a sabotagem como meio de negociação em disputas trabalhistas.

como os Industrial Workers of the World defendem o uso de sabotagem como um meio de autodefesa e contra condições de trabalho injustas.

O IWW foi moldado em parte pela filosofia unionism industrial de , e em 1910 Haywood foi exposto a sabotagem enquanto viajava pela Europa:

A experiência que teve o impacto mais duradouro em Haywood foi assistir a uma greve geral nas ferrovias francesas. Cansados ​​de esperar que o parlamento agisse de acordo com suas demandas, os trabalhadores da estrada de ferro abandonaram seus empregos em todo o país. O governo francês respondeu enviando os grevistas para o exército e depois mandando-os de volta ao trabalho. Destemidos, os trabalhadores levaram a greve para o trabalho. De repente, eles não pareciam fazer nada certo. Perecíveis sentaram-se por semanas, distraídos e esquecidos. O frete para Paris foi desviado para Lyon ou Marselha. Essa tática — os franceses a chamaram de “sabotagem” — venceu as exigências de seus grevistas e impressionou Bill Haywood. (…) —

Em suma tô fora. Minha luta não é por líderes nem bandeira por outras práticas, e como ativismo que pratico como verdadeira ética e não ideologia que prego como demagogia e transferência de responsabilidade social para governos e salvadores da pátria que todo mundo sabe que vai fazer o contrário do que prega e ainda cobrar tributos e passar fogo em quem não quer bancar sua estelionato ideológica com legalizado, diplomado e privilegiado. Governos fazem guerras e dão golpes, quem protege o irmão é o irmão. E o povo como irmandade e sociedade protegendo seu bem público comum garantido liberdades individuais como direitos universais através da proteção mutuais e sociedades fundadas em concórdia e relações consensuais. O resto é outro tipo de agente sabotador desmobilizador apropriador e marginalizador dos movimentos sociais: o populista, salvacionista, patrimonialista, paternalista, patriarcal, mas pode chamar pelo nome técnico: o estatal. Uns só vigaristas outros tiranos. Mas no final das contas, todos querendo uma mesma coisa: se apoderar do riqueza nacional para pilhar e se locupletar dos lucros e dividendos dessa patrimônio. Mas se eles, os compadres deles, e os fundos e bancos nacionais e gringos ficam com o patrimônio e os lucros e dividendos sobre ele. O que o povo desintegrado como sociedade e apartado de fato, controladora e proprietária de fato do bem publico fica?

Fica com o lixo, a doença, a escravidão assalariada, o crime. Fica com a terra arrasada.

A guerra civil não declarada…

E os corpos (em)pilhados. Dentro e fora do estado prisional e de privação primitiva.

Capitalismo? Socialismo? Não, necroestadismo de capitais, ou necrocapitalismo estatal mesmo. Mas pode chamar de holocausto? Nazista não a brasileira, mesmo. Porque somos tão imbecilizados, tão aculturados, tão colonizados, que não precisam mandar a Gestapo fazer o serviço. Brasileiro extermina brasileiro sozinho em troca de um prato de comida, outros cumprindo ordens, outros pelo butim do poder. Não são eles, somos nós. Somos um povo protonazista. E vamos continuar sendo enquanto acharmos que é matando, deixando matar, ou assistindo gente e até mesmo criança morrer de fome, porque da sua origem, gene, gênero, ideologia, fronteiras imaginárias, entidades mitológicas, salvadores da pátria, igrejas, estados, bandeiras, ou 30 moedas de cobre. Porque podem falsificar dados e fatos quanto quiserem, no futuro, num outro tempo ou espaço, novos gerações irão olhar e se perguntar o que seus antepassados fizeram ou deixaram de fazer. E aí a lei de Lincoln irá responder por você…

Image for post
Image for post

Ainda que você morra se enganando… e achando que o mal está sempre no que o outro faz…

Image for post
Image for post

E não naquilo que fazemos, ou deixamos de fazer com o que temos e podemos…

Fazer…

Porque isso não se conserta, com trabalhismo, empreguismo. Isso se conserta com pelo menos 20 anos de trabalho garantindo para que uma nova geração inteira de crianças que já nasceram, vão nascer, seus pais, não crescem vivam morram nem se matem nem tenham por falta do que comer. ou se prestar a militar por bandidos de esquerda, direita sem sentimento de culpa, nem com desculpa politica ou religiosa, ao menos não legalizada. Isso não vai por um fim nem a quem vive de semear discórdia e plantar miséria para comprar fanáticos fieis ou soldados na sua guerra pelo poder. Mas vai ajustar essa concorrência desleal de quem de fato produz, trabalha ou só quer viver em paz contra tiranias e ladrões especialmente os grandes entronados.

Porque ficar combatendo violência com mais violência. Não vai dar em lugar nenhum. Como bem sabe que realmente combate o crime, o segredo é secar o fonte. E a fonte de recursos (a começar os humanos) do crimes contra a humildade é a industria da miséria. Porque dar dinheiro para reis e amigos do rei não adianta. Empreguismo liberal e trabalhismo socialista para quem não tem como como se sustentar é escravidão disfarçada que vai dar no mesmo buraco, que estamos hoje.

Agora quem acha que as pessoas não devem nem ter o que comer se não trabalhar. Merece não só o governo que tem comunista ou fascista, mas o fim que eles vão dar a ele e seus filhos. Porque esse negocio de quem não trabalha não come, ou pior ainda se as pessoas tiverem o que comer sem precisar trabalhar não vão fazer, isso não é só escravagismo isso é eugenismo e da pior especie, porque eu nunca vi ninguém nesse mundo pegando seus bens e doando para passar fome, porque com fome se move. Esse raciocínio é sempre de um eu para um outro. De uma eu e uma gene, para outra gene, gênero ou geração. É discriminação, segregação, apartheid, e como incidi nada mais nada menos do que nos meios absolutamente necessários a sobrevivência é o equivalente a uma declaração perpetua de guerra geno-gênero-geracional. Ou se submete e trabalha para mim que detenho o pátrio-poder e o patrimônio ou não sobrevive. Porque no dia que eu encontrar um tecno-burocrata ou intelectual socialista ou liberal disposto a se livrar dos seus bens e colocar a si mesmo sob o império do medo e terror da sobrevivência, a abdicar do seu ócio e negocio, do seu tempo livre para ter que pegar o emprego que a necessidade empurrar para ele. Nesse dia terei conhecido um especialista que é de fato um unicórnio e não um vendedor de unicórnios, devidamente diplomado e licenciado para não ir para cadeia, e se for não ficar com a plebe, afinal quem quer passar por tais privações, mesmo quando faz coisa errada, né, não sabidão?

Já no Chile. Eles confirmam sabiam e previram tudo. Porque como dizia já o autoridades e especialistas e confirmar eles nunca erram, são os fatos que teimam em não se ajustar aos seus dados. Porque God’s Will, e eles também.

Esperam e ainda sim fizeram a experiencia? O cara de pau fala em economia social de mercado sem garantia do minimo vital, nem pelo imposto de renda negativo Friedman. Porque eu não sou liberal, mas sei que neoliberalismo que a proposito já era, não funciona sem isto (e nem com isso, mas vá lá pelo menos o negócio é honesto e não bandido. Então manda o processo de crimes contra a humanidade também para eles porque não são incompetentes são criminosos mesmos.

E por falar nisso não se esqueçam agora que estão vindo com imposto daqui e acolá… que o tal Chicago véio também veio com esse papinho…

E como previsto…

Olha o que ele agora está pensando em cagar…

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store