Ser ou não ser: Ou Moro e a Lava-Jato coloca Aécio e o PSDB no pau, e o STF deixa de ser advocacia geral da bandidagem do governo e PMDB. Ou a esquerda tem razão: é misoginia e perseguição política.

Uma coisa não exclui a outra. NÃO. A perseguição politica não inocenta o PT. Mas, SIM, torna a Justiça cúmplice dos seus respectivos protegidos. Agora ou eles vão até o fim ou vão sujar as mãos junto com eles.

Image for post
Image for post

A lógica é muito simples: O fato do STF ter livrado a cara dos gangsters do PMDB, e Moro flertar abertamente com os caciques do PSDB, não faz do PT de Lula menos corrupto e nem de Dilma menos cúmplice e prevaricadora. Mas faz da Lava-Jato muito suspeita sim senhor; e do STF cúmplice confesso desse coronelismo de gangsters.

Não senhores, definitivamente crime de um não livra do outro. Nem a omissão frente a alguns inocenta todos os demais.

O que eles estão armando (e já está em curso) é a inversão completa de valores. A vitimização desses violadores e a anistia por outras vias (mais tortas ainda) de toda a classe política.

Na falta de anistia legislativa saíram com a velha impunidade jurídica mesmo. E quem vai ser criminalizado não são eles, os políticos criminosos, mas a cidadania, a sociedade violada continuamente por eles.

Do ladrão de pão, do humorista que tira sarro, ao jornalista que denuncia, serão todos criminalizados. Todos que denunciam e portanto ofendem a moral e honra que eles não tem serão processados e condenados. Crime será o desacato ao abuso de autoridade deles! Roubar e destruir a coisa será prerrogativa de quem detém foro privilegiado. Será? Já é!!! E quando não foi assim?

Acabou essa brincadeira de delação do fim do mundo. Que adianta denunciar sabendo que todo mundo vai ser solto. Mané, solto, vai é ficar lá no poder!!! Não faz mais o menor sentido, ficar com essa historinha de Lula inocente ou culpado, Dilma vítima ou bandida…

Ou se acaba com essa farsa de uma vez. Ou tira TODA a gangue ou se acaba com esse sistema corrupto, onde se derruba um bandido para colocar outro, mas segura o B.O. de todo mundo, ou o Brasil não vai passar do que já é e sempre foi: um grande golpe de Estado continuado da classe politica contra toda a uma nação. Um joguinho de falsa oposição que só tem um verdadeiro perseguido político que nunca chega ao poder e se fizer algo de errado ou reclamar muito esse sim vai mesmo em cana: o povo.

Salvador da Pátria uma ova. Quero ver se vai botar o Aécio na cadeia, capaz de não por nem o Lula. Vai vazar pros Estates com o rabo entre as pernas. Estou errado? Moro é um Santo? Tomara que eu esteja. O beneficio da dúvida ainda é dele, mas se quando quando se encerrar a Lava-Jato, nada disso for feito. Quem o defender incondicionalmente será tão alienado quanto qualquer fanático lulista, que só olha para o que ele fez de certo, e finge que não vê, o fez de errado, ou pior ainda acredita mesmo que uma coisa absolve a outra. Não absolve nem condena. Ele responde pelas duas.

Assim como qualquer mortal como nós, inclusive Moro. Felizmente para Moro os danos estão rodando, e ele nem precisa limpar nenhum merda como o STF que já se sujou todo. Mas o fato é que agora o ônus da prova está com ele de provar de que não vai trair a confiança e esperança que inspirou na população.

Talvez, você esteja pensando, mas de que adianta? Todo mundo vai ser perdoado e reconduzido pelo STF ao poder mesmo… Que seja então. Quem responde por isso é o STF e não a Lava-Jato. Mas, não importa a instância qualquer um que “escape” devera interpretado como de fato é: um ato de conivência. Se a Justiça tem dois pesos e duas medidas não devemos nos mirar no seu mau exemplo. E com a mesma indignação que olhamos para o STF que alivia Renan e PMDB, devemos olhar para a Lava-Jato se ela vier aliviar para Aécio e PSDB.

Mas e quanto a Dilma?

Quanto a Dilma e a presidente da Coreia do Sul é obvio não há ou pelo menos não deveria haver nem mais o que falar. Se não são corruptas e prevaricadora (e não duvido que sejam) são tiranas, porque não largam do poder nem quando toda a população fora os pelegos, que é a verdadeira soberana exige que se vá. Mas então não é misogenia? É lógico que é. Porque só elas? Temer é ainda mais impopular e tirano. Renan é ainda mais bandido. Mas os machistas covardes ficam bem mocinhas lambendo o saco desses véios.

Logo é lógico que é, principalmente se os mesmos que saíram às ruas para pedir a cabeça da Dilma e do Lula e do PT não pedirem agora a do Temer, Renan, Alckmin, Aécio. PMDB e PSDB. Se praticarem a mesma indignação seletiva da velha esquerda, não serão só misógenos mas também classissitas um bando de covardes, hipócritas, e demagogos. E falo isso com a consciência e mãos limpas de quem não lambeu o rabo do Lula quando ele era unanimidade nacional e dava muito lucro pra “todo mundo”.

Afinal o problema era qual? Ser um bandido corrupto? Ou ser pobre nordestino e analfabeto? Ser mulher? Ou ser conivente e incapaz? Vocês querem deter quem? As pessoas que não pensam igual a vocês? Ou as pessoas que querem tomar e ficar no poder para impor o que elas pensam contra vocês?

Racista, fascista, autoritário, comunista gente sem escrúpulos, todo mundo tem um vizinho assim, do tipo que quer envenenar o gato do outro porque mijou nas suas plantas, acha que tem castrar bicho ou gente, ou acha que todo mundo tem doar e se doar para ajudar os outros, menos ele é claro. Porém faço questão de sempre dizer e repetir: é perfeitamente possível viver em paz com (e principalmente sem) eles. Desde que eles não detenham o poder de fato ou pior, o legal para fazer o que acham certo, para vender todo o mal que podem como bondade e ainda cobrar por isso, o que eles podem fazer (legalmente) é se consumir em seu ódio. É logico que eles podem tentar impor sua vontade a força. Mas ai eles são bandidos comuns e não quadrilhas ou estados. E é muito mais fácil e seguro reclamar ou se defender legitimamente deles. É a lei Hiter-Trump, fora do poder é um bravateiro patético, um artista frustado no poder… sabe-se lá o que não são capazes de fazer.

Isso não é uma questão de patriotismo. De Estado ou Nação. Não é uma questão de de esquerda, ou direita. Não é nem mesmo uma questão juspositivista ou jusnaturalista, revolucionária ou reacionária, libertária ou autoritária. É uma questão de humanidade.

É simplesmente uma questão de ser humano. Mas o que é isso? Humanos todos os somos, nascemos com humanidade e ninguém pode tirar nossa essência de nós. Nem nós mesmo. Mas podemos ser ou humano é ser livre, até mesmo para ser desumano ou humano, para negar ou afirmar nossa humanidade.

Essa questão é portanto a mais essencial: Ser ou não ser humanos. E o que é ser o que somos? O que é ser humano?

Ser humano é ser negro, é ser judeu, é ser muçulmano, é ser cristão, é ser ateu, índio, é ser mulher. É ser pobre. É ser gay.

É ser judeu num mundo de antissemitas

È ser negro num mundo de supremacistas brancos.

È ser pobre num mundo de ricos segregacionistas.

É ser muçulmano num mundo de fundamentalistas ocidental .

É ser anarquista entre fascistas e bolcheviques.

É ser libertário perante autoritários,

E sobretudo cotra-violento perante os monopolistas da violência.

Ser humano é ser igual ao seu semelhante, mas não olhando para o espelho do narcista do poder e exploração, mas o espelho solidário da liberdade e a libertação.

É sonhar não igualdade dos supremacistas sua riqueza e prepotência e violência, mas com o fim da desigualdade de quem morre caído e pisoteado pela falta da mais básicas igualdades de liberdades e oportunidades.

É sonhar não com a liberdade dos privilegiados e desiguais em poder, mas com o fim das desigualdade de autoridade e liberdades de quem não tem o mínimo nem para ser uma pessoa comum que dirá alguém especial seja por seja por capacidades seja por necessidades excepcionais.

A humanidade não nasce da federação, do sindicado dos senhores da discórdia e apartheids ela morre pelas mãos deles. A humanidade é a comunhão dos perseguidos e solidários; a resistência dos iguais por seus direitos a diferença de valores, pensamento, identidade, livre vontade. É comunhão dos desiguais em favor da sua igualdade de diferenças, e não união dos iguais pela desigualdade contra os diferentes.

A humanidade é produto evolucionário de uma especie que aprendeu a se identificar com seu semelhante não por uniformização, mas por respeito a diversidade. A humanidade é estado de espirito daquele que se vê no outro, mas a extensão de seu ego ou superego como todo poder, mas a sua consciência refletida como estado de liberdade, e a reflexão permanente da sua própria liberdade e humanidade como estado de consciência.

Quando você olha neste espelho do outro o que você vê? Para quem você olha quando quer se ver? Quem você vê? homens brancos velhos ricos católicos e corruptos que tem foro privilegiado. Ou as mulheres negras pobres sem proteção do deus ou estado deles ou a justiça deles?

Você é humanista. Mas quando você olha no espelho você é um branco ou negro? Um pobre ou rico? Seu lado esquerdo ou direito? O que você vê? O que você não quer ver do que você é refletido neste espelho chamado: outro?

É fácil dizer que somos todos iguais e livres, quando se é branco e tem tudo. Mas e se você não visse igualdade como branco, mas como um negro? E se você não visse a liberdade como senhor mas como escravo? De que propriedade seria feita sua liberdade? De qual cor seria a sua igualdade?

Quem tem coragem de ser igual aos que precisam de igualdade? Quem tem coragem de ser libertário para que os precisam de liberdade? Quem tem humanidade para sofrer junto com a nossa desumanidade?

Quem tem coragem de pedir justiça não pelos poderosos que nunca vão presos, mas pelos miseráveis que nascem condenados a prisão da privação mesmo quando não cometem crime algum?

Quem tem coragem de se levantar contra o poder em nome da liberdade?

É por isso que sou libertário, mas se um dia o libertarismo se fizer desigualdade de poder dos libertos até mesmo contra os autoritários, aqueles que renegam a minha liberdade e direito humano, estarei do lado deles, deles não da minha humanidade que é exatamente a mesma coisa não apenas por razão mas por sensibilidade.

O crime nunca está nos nomes e nas ideias, mas nos atos de quem detêm o poder para fazer justiça ou cometer injustiças. Quem detêm poder de fato, detém a responsabilidade. Quanto maior o poder maior a responsabilidade pelo bem e o mal, quanto menor a liberdade menos livre-arbítrio para fazer não apenas o errado, mas o certo, para fazer qualquer coisa, a começar por viver. E quanto mais desigualdade de poder, maior o crime de quem pode tudo contra quem não tem liberdade de nada.

Sempre haverão pessoas que se acham mais iguais que as outras, e podemos viver em paz com elas, mas jamais teremos igualdade liberdade, igualdade ou paz enquanto aceitarmos que o que elas acham é, que o seu poder é a lei. Só existe Justiça, igualdade de direitos e deveres, de liberdades e responsabilidades onde somos iguais em poderes e autoridades.

A humanidade nunca está no eu, ou no nós, mas no nos outros, no estranho, no estrangeiro, no dissemelhante. Nunca está entre os egoístas, segregacionistas, e supremacistas, mas entre os cosmopolitas, o que não são nada, nem ninguém, só gente. Não tem nada além da sua humanidade e espirito livre, ainda que não tenham a mínima ideia do que é isso.

Quem é o marginal da vez então?

Os judeus? Então sou judeu.

Os muçulmanos, então sou muçulmano.

Os ateus? Então sou ateu.

São os não-brancos? Então sou negro.

São os libertários então sou anarquista.

É esse povinho ignorante então sou patriota ferrenho.

São os estrangeiros e refugiados? Então sou um gringo e apátrida.

São pobres então sou miserável.

São os ricos então sou milionário.

São os loucos e drogados, então sou viciado ensandecido.

Se os promíscuos? sou então um putanheiro.

São os santos e heróis? Então continuo sendo quem eu sou um ninguém.

Por que não preciso ser mais que ninguém para fazer o que é preciso. Se as pessoas soubessem como com tão pouco esforço e abnegação, como um monte de filhos-da-puta rejeitados e bastardos podem fazer juntos muito mais que os mais os poderosos filhos de deus, bem nascidos e eleitos. Como com tão pouca solidariedade e compaixão, como como tão pouco doação de tempo e dinheiro elas podem mudar o mundo. Se surpreenderiam com o poder que até mesmos os mais pobres dos pobres e escravos dos escravos tem perante os reis dos reis. Se surpreenderiam como os que tem tão pouco podem fazer tanto por quem precisa ainda muito mais. Qual seria sua surpresa se vissem com seus próprios olhos e mãos como com tão pouco podem mudar a vida de até mesmo uma única pessoa. E isso seria o mundo. Porque o que é mundo para essa pessoa senão a sua própria vida?

E tem poderoso que ainda usam o nome do seu próprio deus e libertador que foi judeu, palestino e preto para pregar a a discórdia, desigualdade, e autoritarismo e até mesmo o ódio.

Falam do Evangelho de Jesus…

Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus.

Felizes os mansos, porque herdarão a terra.

Felizes os aflitos, porque serão consolados.

Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

Felizes os que são misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

Felizes os puros no coração, porque verão a Deus.

Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.

Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino do céu. Felizes sois, quando vos injuriarem e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por causa de mim.

Alegrai-vos e regozijai-vos, porque será grande a vossa recompensa nos céus. para vocês a recompensa no céus. Pois foi assim que perseguiram os profetas que vieram antes de vós”

Mas praticam o do Diabo…

O Sermão do Diabo

“Nem sempre respondo por papéis velhos: mas aqui está um que parece autêntico; e, se o não é, vale pelo texto, que é substancial. É um pedaço do evangelho do Diabo, justamente um sermão da montanha, à maneira de São Mateus. Não se apavorem as almas católicas. Já Santo Agostinho dizia que “a igreja do Diabo imita a igreja de Deus”. Daí a semelhança entre os dois evangelhos. Lá vai o do Diabo: “E vendo o Diabo a grande multidão de povo, subiu a um monte, por nome Corcovado, e, depois de se ter sentado, vieram a ele os seus discípulos. E ele, abrindo a boca, ensinou dizendo as palavras seguintes. Bem-aventurados aqueles que embaçam, porque eles não serão embaçados. Bem-aventurados os afoitos, porque eles possuirão a terra. Bem-aventurados os limpos das algibeiras, porque eles andarão mais leves. Bem-aventurados os que nascem finos, porque eles morrerão grossos. Bem-aventurados sois, quando vos injuriarem e disserem todo o mal, por meu respeito. Folgai e exultai, porque o vosso galardão é copioso na terra. Vós sois o sal do moneymarket. E se o sal perder a força, com que outra coisa se há de salgar? Vós sois a luz do mundo. Não se põe uma vela acesa debaixo de um chapéu, pois assim se perdem o chapéu e a vela. Não julgueis que vim destruir as obras imperfeitas, mas refazer as desfeitas. Não acrediteis em sociedades arrebentadas. Em verdade vos digo que todas se consertam, e se não for com remendo da mesma cor, será com remendo de outra cor. Ouvistes que foi dito aos homens: Amai-vos uns aos outros. Pois eu digo-vos: Comei-vos uns aos outros; melhor é comer que ser comido; o lombo alheio é muito mais nutritivo que o próprio. Também foi dito aos homens: Não matareis a vosso irmão, nem a vosso inimigo, para que não sejais castigados. Eu digo-vos que não é preciso matar a vosso irmão para ganhardes o reino da terra; basta arrancar-lhe a última camisa. Assim, se estiveres fazendo as tuas contas, e te lembrar que teu irmão anda meio desconfiado de ti, interrompe as contas, sai de casa, vai ao encontro de teu irmão na rua, restitui-lhe a confiança, e tira-lhe o que ele ainda levar consigo. Igualmente ouvistes que foi dito aos homens: Não jurareis falso, mas cumpri ao Senhor os teus juramentos. Eu, porém, vos digo que não jureis nunca a verdade, porque a verdade nua e crua, além de indecente, é dura de roer; mas jurai sempre e a propósito de tudo, porque os homens foram feitos para crer antes nos que juram falso, do que nos que não juram nada. Se disseres que o sol acabou, todos acenderão velas. Não façais as vossas obras diante de pessoas que possam ir contá-lo à polícia. Ipotesi, Juiz de Fora, v.16, n.2, p. 113–127, jul./dez. 2012 120 Quando, pois, quiserdes tapar um buraco, entendei-vos com algum sujeito hábil, que faça treze de cinco e cinco. Não queirais guardar para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e a traça os consomem, e donde os ladrões os tiram e levam. Mas remetei os vossos tesouros para algum banco de Londres, onde a ferrugem, nem a traça os consomem, nem os ladrões os roubam, e onde ireis vê-los no dia do juízo. Não vos fieis uns nos outros. Em verdade vos digo, que cada um de vós é capaz de comer o seu vizinho, e boa cara não quer dizer bom negócio. Vendei gato por lebre, e concessões ordinárias por excelentes, a fim de que a terra se não despovoe das lebres, nem as más concessões pereçam nas vossas mãos. Não queirais julgar para que não sejais julgados; não examineis os papéis do próximo para que ele não examine os vossos, e não resulte irem os dous para a cadeia, quando é melhor não ir nenhum. Não tenhais medo às assembléias de acionistas, e afagai-as de preferência às simples comissões, porque as comissões amam a vangloria e as assembléias as boas palavras. As porcentagens são as primeiras flores do capital; cortai-as logo, para que as outras flores brotem mais viçosas e lindas. Não deis conta das contas passadas, porque passadas são as contas contadas, e perpétuas as contas que se não contam. Deixai falar os acionistas prognósticos; uma vez aliviados, assinam de boa vontade. Podeis excepcionalmente amar a um homem que vos arranjou um bom negócio; mas não até o ponto de o não deixar com as cartas na mão, se jogardes juntos. Todo aquele que ouve estas minhas palavras, e as observa, será comparado ao homem sábio, que edificou sobre a rocha e resistiu aos ventos; ao contrário do homem sem consideração, que edificou sobre a areia, e fica a ver navios…” Aqui acaba o manuscrito que me foi trazido pelo próprio Diabo, ou alguém por ele; mas eu creio que era o próprio. Alto, magro, barbícula ao queixo, ar de Mefistófeles. Fiz-lhe uma cruz com os dedos e, ele sumiu-se. Apesar de tudo, não respondo pelo papel, nem pelas doutrinas, nem pelos erros de cópia” (…)

(MACHADO DE ASSIS, 2012).

Image for post
Image for post

Não tem jeito. Tem até para fazer jazz tem que ter soul

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store