Robô nazi-fascista?

Me diga quem te crias e te direis que és?

A teoria do Centésimo Macaco?

1. Onde e com quem ele formou sua inteligência, cara-pálida?

2. E quem foi mesmo que o criou?

Conclusão

Máquinas burras vão reproduzir máquinas burras, não importa e são feitas de carne e osso ou não.

Como é que essas corporações que mal sabem o que é a inteligência natural vão desenvolver inteligência artificial. E a figueira daria o que maças? Como é que gente que não compreende o fenômeno da criatividade e da criação reiterada da vida como materialização libertária do própria Liber do conhecimento vai desenvolver seres dotados da capacidade de produzir conhecimento autônomo se tanto suas máquinas quanto eles mesmo estão desligados da rede da vida?

Como querem eles que seus terminais burros feito a sua imagem e semelhança conectados e interagindo com outros terminais burros não emulem simplesmente o mesmo estado de inconsciência coletiva como a egrégora do qual todos fazem parte?

O que eu estou querendo dizer com isso? Simples. Sem conexão com a rede, reproduzimos o plano doutrinário, superficial e escolástico do conhecimento. Sem criatividade, sensibilidade não há possibilidade do saber, no sentido mais pleno da palavra. Pois, ele não se simula, nem emula, se conhece exatamente como se sente, literalmente re-ligado a vida.

Inteligência é autopoiese, não dá para reproduzi-la os níveis mais complexos de manifestação do fenômeno da vida-inteligencia sem nem sequer admitir que o código dos fenômenos mais básicos não são está nas coisas, mas na nuvem.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.