Resposta aos amigos: Porque se expor tanto por uma causa?

Especialmente agora que estamos lançando o novo projeto de Basic Income Startup?

Por que não esperar prudentemente quem vai vencer e ficar do lado? Pior: Por que essa posição “radical” de atacar os dois lados em guerra?

Porque não ficar simplesmente quieto ou na moita, ao invés de assumir essa postura tão pouco “estratégica” de hora defender o Pré-Sal, ora pedir a queda da Dilma? Porque não me calar sobre um lado para me alinhar com o outro? Ou simplesmente não fechar os olhos para os dois?

Porque calar e se omitir nessa hora, não é só fechar os olhos para os crimes dos dois lados, é ser: primeiro ser conivente com a guerra deles que destrói tudo e todos; e depois com a futura “trégua” que esses políticos vão celebrar de novo as nossas custas e com a perseguição dos excluídos de sempre.

A esquerda não entendeu nada... ainda. Para essa gente: quem não está com eles está contra eles. Quero dizer a esquerda que não vendeu a alma para eles.

Não adianta cruzar os braços. Não estamos do lado de nenhum dos dois inimigos que estamos contra ou protegidos deles.

Nós não temos uma batalha que não podemos nos omitir. Nós libertários, não só de esquerda, junto com humanistas e verdadeiros democratas, temos não uma mas duas batalhas ainda para enfrentar:

a primeira contra quem já entregou a soberania, mas faz de tudo para manter o poder

e a segunda contra quem finge que quer devolver a soberania, mas só quer retomar o poder.

E uma batalha não anula a outra.

É uma luta de duas frentes. Onde primeiro removemos os traidores para depois enfrentar os inimigos declarados.

Ou nos aliamos estrategicamente com libertários e democratas de verdade, mesmo que não tenham exatamente nosso mesmo pensamento, ou guardem o que estou dizendo:

os inimigos ferozes de hoje vão depois de arrebentar com o país e o povo, depois de queimar as provas dos seus crimes — muitos dos quais são cúmplices uns dos outros- depois de tudo isso, eles vão fazer as pazes de novo para recomeçar a pilhagem histórica. E não só. Juntos, repito, juntos, irão perseguir quem ousou se levantar contra as “figuras de autoridade”.

Ficar quieto agora é a mesma coisa que se esperar para se entregar amanhã.

Não queira nem saber quem são os outros…

Eles “brigam”, mas quem sangra são os outros. E depois …

Minha posição portanto não é só idealista é estratégica. Não só social e solidária, mas depois de 10 anos de luta no ReCivitas, agora já é pessoalmente interessada. Porque você não sabe, mas como tenho tornado público ultimamente, o meu já está na reta faz tempo.

E esta é a verdadeira pergunta, não é porque simplesmente não deixar que eles se destruam nesta guerra suja? A pergunta é o que nós estamos fazendo?

Enquanto eles dividem as pessoas, jogar os fanáticos para se enfrentar na rua uns aos outros e a policia, enquanto se vitimizam e tramam, o que estamos fazendo?

Como nós que somos ou seremos os perseguidos e excluídos de sempre, podemos deixar que eles nos dividam e nos destruam como sociedade? Como quem se diz defensor de direitos humanos está fazendo apoiando ainda quem nem mais mente e finge, nem faz questão mais de encobrir seu modus operandi, mas joga abertamente para si mesmo e o inimigo contra todos que não são amigos dos reis?

Esta não é uma luta nacionalista

Todo mundo é livre para escolher seu caminho, mas ninguém é dono das lutas do seu tempo. E fugir delas é fugir da sua própria vida transmitindo o legado da sua pusilanimidade às novas gerações.

Sim é obvio que existem tramas, conchavos e conspirações nacionais ou mundiais, mas ela não governam o sistema, mas sim o sistema apenas fazem parte dele, e se fortalecem em momentos de crise sistêmica. Se você acha que essa guerra, essa guerra no Brasil, não é diferente das resto do mundo hoje. Reflita.

Em todos os lugares temos os lados que disputam o poder, seja econômica, seja politica, e até militarmente, toda hora se atacando, hora se aliando, mas sempre passando por cima ou marchando contra a sociedade. Olhe para a Síria, e veja o que os Estados e seus governantes incluindo o do seu próprio pais são capazes de fazer contra seu próprio povo. Fechar os olhos contra isso, apoiar Putins, Assads, Obamas, e outros lideres e/ou terroristas que desconheço o nome, é o mesmo que simplesmente escolher entre um dos lados dos genocídio quando para deixar o povo em paz, todos precisam cair. A começar pelos mais óbvios os traidores especialmente os que atacam seu próprio povo.

Entenda que traidor não tem sentido de pátria, mas da humanidade, daquele que tendo o dever de proteger as pessoas e fingindo fazê-lo as assassina traiçoeiramente. Isso não o faz menos genocida que os outros, mas os torna ainda mais perigoso até mesmo que os populistas, porque esses cantam suas más-intenções, os outros continuam a praticá-las contra gente que sequer tem a chance de se defender, negando descaradamente até as últimas consequências seus crimes.

Não, o que acontecendo no mundo está conectado, mas não por nenhuma trama conspiratória, mas por uma crise sistêmica. E em verdade comprar tramas conspiratórias, só serve para matar dois coelhos com uma unica porrada: Serve tanto para descredibilizar as denuncias e encobrir os crimes contra a humanidade que são praticados a luz do dia, quanto, ao mesmo tempo, banalizar as crises sistemas. Aceitando todo mal como necessário.

O mundo mesmo o artificial funciona como um sistema,onde os players mesmo sem nenhuma comunicação direta acabam por reagir de forma similar aos mesmos problemas estruturais que regulam tanto o jogo quanto seu comportamento. E tanto os players tanto da sociedade civil quanto dos Estados estão reagindo de forma similar ao derretimento das estruturas politicas e econômicas falidas e ultrapassadas.

Para não falar dos EUA, ou da União Européia, veja por exemplo a crise política Espanha , enquanto os membros da família real em bancos dos réus, e a Catalunha declara sua independência, nenhum governo consegue se formar. Na sociedade da informação não existe mais massas uniformes, nem entre os menos desiguais de fato, ao menos entre si. Simplesmente as diferenças e diferentes já não são tão facilmente ignoradas ou forçadas a falsa igualdade da normalidade pela violência simbólica e de fato.

Não estou dizendo com isso que eles não vão tentar nem conseguir esmagar os povos. Ao contrário. Estou dizendo que o que tínhamos mesmo que precário esta caindo e se não quisermos que eles tragam de volta tudo o que existia de pior antes disso, vamos precisar trabalhar politica e econômica por mais paz, mais liberdade e mais democracia. Por que se depender de quem detém o poder eles vão acabar com meio mundo, ou com o mundo inteiro só para manterem seus domínios.

Vou dizer portanto com todas as letras da mesma forma que eu disse sobre o Brasil, calemos e cruzemos os braços sobre os crimes contra a humanidade que estão sendo cometidos pelos Estados, e eles vão repetir a história como crise sistêmica:

Não vão só esmagar as primaveras dos povos com suas guerras civis, mas jogar todos os povos em suas guerras mundiais só para salvar seus estados nações e domínios sobre territórios, recursos e pessoas naturais. O que hoje é uma loucura até mesmo do ponto de vista dos mais egoismo e racistas, porque não é possível saber se o que vai sobrar será suficiente para sustentar o domínio deles sobre os que restam, mas até mesmo somente o deles contra todos.

Sim eu poderia apenas me ater a defesa propositiva da renda básica incondicional e da democracia direta, mas fora todo o resto isso ainda por cima é inócuo. Como defender esses direitos humanos sem olhar para os refugiados e marginalizados? Ou mais precisamente como defender o novo, fingindo que não estou vendo que simplesmente se institucionaliza as violações e violências contra os direitos civis, políticos e econômicos como a base de regime criminoso e prepotente e inconsequentes reacionários?

Ou vocês acham que é só no Oriente médio que estao concentrados todo o mundo que prefere matar e morrer do que ceder mais liberdades para todos? Que preferem o mundo em guerra do que qualquer coisa parecida com uma renda básica ou democracia direta? Eles não conspiram contra isso, meus amigos. Seus sistemas políticos e econômicos são os processos reiterados e retroalimentados simultâneos de negação de ambas.

Fazer propostas fingindo não ver que existem aqueles que estão ai para derrubar, é jogar as pessoas inocentes no fogo. Eu conversando com muitos especialistas de rede debatemos esta questão durante a primavera árabe e as revoltas de julho no Brasil. E repito o que disse naquela época, a internet e as ruas sozinhas podem derrubar governos, mas não sustentá-los contra gente a monopolizar a violência. Ser utopista é uma coisa, ser ingênuo ou irresponsável é outra.

Com certeza não vamos colocar nenhum novo sistema de pé sem constituí-lo com inventividade, mas também não vamos conseguir manter sua integridade em todo seu sentido sem enfrentar quem não vai deixar ninguém prefere explodir tudo a ver o novo tomar o que era só seu.

Não importa o quão pequeno você seja. Não é uma questão de quantidade, mas de exemplo.

Não, não pense que eu estou falando isso só agora, ou que fiquei tão radical do nada. Faz tempo, mandei pro inferno esta esquerda que só fala de problema social, mas não a mão no bolso e o pé no barro, não larga o saco de quem tem grana e poder nem que o mundo cai na sua cabeça. E da direita que persegue o PT, que basta receber uma parte do butim, um carguinho ou subsidio, basta receber de volta os “seus direitos” que já abaixam a cabeça.

Vou pagar caro pelo que eu estou falando? Portas vão se fechar? Vou ficar sozinho assim? Meu amigo, já estamos pagando, e fora você, já estou sozinho.

Vou cair? Conta uma nova. Me levanto e tento outra vez.

Não venho dos melhores lugares do mundo, nem nasci nos lugares mais pobres . Escolhi onde queria viver e pelo que trabalhar. E mesmo hoje não estando mais por lá, não esqueci a minha verdadeira origem: não a que predestinaram para mim, mas a que eu escolhi pela minha livre vontade, consciência e humanidade. E não vou traí-la.

Vão acabar de vez comigo? Pode ser. Mas não vou deixar de ser e viver por medo e antecipação do fim.

Não sou materialista, em nenhum sentido.

A pratica da renda básica me ensinou que ela não pode ser mera substituta do status quo, mas instrumento de libertação. Quanto mais velho mais maduro e menos conformado como o sistema de exploração de privados dos meios vitais eu fico- mais inconformado com a condenados a marginalidade e mutilação da alma, antes mesmo de nascer .

Depois que você conhece a liberdade as coisas simplesmente não fazem mais sentido sem caminhar o caminho até ela. Liberdade não é discurso. Ela é e precisa ser realidade. E mesmo sem ganhar um centavo com ela, sua prática não é hobby é minha profissão no sentido mais profundo da palavra a prática cotidiana da minha fé racional.

Não basta sair do armário é preciso sair de cima do muro

Você não precisa acreditar nem concordar com nada disso, você não precisa ser libertário, não precisa ser de esquerda, não precisa defender a renda básica nem a democracia direta. Mas certamente precisa defender quem você é, e isso é se afirmar com todas as letras especialmente contra aqueles que não toleram o outro.

Democracia direta e renda básica na verdade não são nem causas de esquerda nem de direita, mas humanistas e pré-revolucionárias. As bases de fato de um novo regime de liberdade, de um novo estado de direito onde as novas esquerdas e direitas poderão se constituir.

São dispositivos constitucionais que precisaremos de uma ou outro jeito abraçar como sociedade livre se quisermos mesmo não nos livrar apenas dos canalhas do momento, mas desse sistema que os reproduz como vermes.

Mas como uma batalha de cada vez. Precisamos primeiro nos livrar do trairas. Depois dos autoritários declarados. E então começar a negociar uma nova constituição com as pessoas de paz de todas os espectros políticos que não tentem se impor a força ou monopólio contra os demais.

Ou a esquerda libertária sai da moita, e se separa definitivamente dos esquerdistas autoritários e populistas ou vão terminar ainda mais vendida e vendida por eles não só para a direita liberal, mas para a extrema direita. Não, não serão os libertários e liberais de direita moderados que vão te perseguir, serão eles, os autoritários convertidos em autoridades do governo e da oposição, no congresso, planalto e supremo que vão JUNTOS esmagar os subversivos em nome da pátria educadora. Pretos, Putas,viados, comunistas, libertinos, subversivos, naturebas… não não estamos assistindo eles se matarem, mas cavarem de novo a vala comum dos que calados ou não vão acabar no mesmo lugar.

Abster-se agora não é expressar seu descontentamento, é entregar o seu futuro a qualquer um deles exatamente como já estamos fazendo.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store