Qual o problema do Brasil? Desigualdade social? Crescimento do PIB? Desenvolvimento humano?

Da razão distributiva da riqueza e o desenvolvimento e subdesenvolvimento econômico e humano das Nações

Introdução

O que leva uma nação a ser rica e outra pobre? Mais do que isso o que leva uma nação a ser uma potencia desenvolvida e outra um eterno canteiro de obras (em geral superfaturadas) em desenvolvimento que nunca termina? O que impede esses países de cruzar essa linha imaginária que separa os povos ditos desenvolvidos de nós os ditos sem os eufemismo do nosso tempo países subdesenvolvidos? Essa uma questão que aflige estadistas e economistas não só desenvolvimentistas e nacionalistas de plantão. Mas cujo problema independente da terminologia abordagem transcende dos interesses e (pré)ocupações exclusivas dessas classes dos governantes e tecnocratas. Aliás não só as consequências desses problemas não pertence somente a eles, como as soluções ultrapassam as limitações do seu campo de saber e ação. São problemas de uma sociedade e antes de dela de um povo, que se no plano das divisões de classes requer a ideação e ação integrada tanto no campo do social quanto popular justamente contra as divide e conquista. No plano das compartimentalizações do saber requer igualmente a mesma reintegração dos conhecimento.

Qual o problema do Brasil?

Neste escrito, ao contrário dos anteriores não pretendo ser didático, nem analítico, mas sintético. Até porque o foco não é a descrição do problema que conhecemos intuitivamente na pele, ou as diferentes visões dele e propostas que cansamos de ouvir. Mas a proposição de uma ferramenta conceitual que seja capaz não só de indicar qual os fatores que devemos observar equacionar e maximizar, mas ao quantificar e mensurar esses resultados verificar se estamos indo ou não no caminho que supostamente pretendemos ir. E qual supostamente seria esse caminho?

IDN = (PIB/Gini)*IDH

Onde IDN é obviamente a essência da ferramenta que propomos: o Índice de Desenvolvimento Nacional.

  1. Quanto mais perfeito for o IDH, menores serão as perdas de Desenvolvimento Nacional. Evidente que nem o potencial é infinito nem o IDH perfeito é possível, essa projeção é o ideal que nortear o desenvolvimento.
  2. Mas o mais importante como em qualquer equação mais importante do que inventar um índice, a equação correlaciona as razões entre riqueza, desigualdade e desenvolvimento humano.

Conclusão

Evidente que também é possível fazer tais projeções sem alterar esses outros investir nem atuar produtivamente sobre esses dois fatores desigualdade social, e desenvolvimento humano, apenas levando em consideração como fator determinante o PIB, mas isso é basicamente o calculo que já é feito. Um calculo onde o humano, e social, não estão rigorosamente equacionados na produção nem do desenvolvimento econômico nem na riqueza das Nações.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store