Porque eu cito o ANTAGONISTA?

Ou do método que uso para colar as notícias no MEDIUM

Primeiro a resposta à pergunta que dá título a este texto deveria por uma questão de ética e honestidade ser simplesmente a seguinte: Por que eles produziram a notícia. Mas as coisas e a informação sobre as coisas já não é mais tão simples como era antigamente…

Ao que parece não é só apenas o governo que gosta de ignorar dados ou/e informações dos ou sobre outros. Parece que a grande mídia sofre do mesmo mal. Apesar de não ser jornalista nem compartilhar da ideologia do ANTAGONISTA me solidarizo com essa situação que conheço bem. E por isso não só vou continuar usando o Antagonista como fonte como vou procurar com mais cuidado se eles são a fonte primaria. Não me interessa, quem eles são o que fizeram ou o que eles pensam, eles produziram esse conteúdo, e fingir que não quando não é roubo é no minimo falsidade ideológica.

Não existem fontes neutras nem completamente fidedignas de informação. E as piores são aquelas que fingem neutralidade para tentar transmitir uma credibilidade que a falta de fidedignidade da sua informação já não fornece. Este é um principio jornalistico, mas também de toda comunicação pública:

Todas as fontes falam ao mesmo tempo um pouco de si mesmo, e um pouco do mundo ao mesmo tempo. A diferença é que as fontes públicas sem credibilidade contam sempre cada vez mais quem elas são e cada vez menos da realidade. Mas isso só até o ponto da máxima suspeita e incerteza da sua honestidade, pois depois de perderem completamente sua legitimidade elas voltam a ser fontes confiáveis, desde que você saiba como lê-las. É o ponto do imponderável: basta inverter toda afirmação ou negação pelo contrário. Basta ir na direção oposta do que eles pretendem mostrar para encontrar a verdade que eles tentam esconder. É o ponto onde abandona-se a comunicação para praticar a mera propaganda enganosa, e se usa a informação para retransmitir desinformação e contrainformação. Mais uteis as vezes que a composição do complexo da realidade que a própria informação em estado bruto.

Não estou portanto falando em R7 e afins que só produzem ruído. Ou lixo mesmo. Freak Show. Total, mal consigo separar eles do Sensacionalista (um site):

Essa notícia, por exemplo, não importa o quanto eu confirme e reconfirme, não consigo acreditar:

Mas chega de digressões. Simplesmente poderia dizer que cito o Antagonista pelo mesmo motivo que uso todas as outras fontes da grande mídia que fingem(?) que são imparciais: só para ilustrar as perceptivas e movimentações das diferentes correntes ideológicas em disputas pelo poder. Mas não. Essa é a razão pela qual eu cito o site chapa branca 247, ou altamente suspeitos como Veja e Globo.

Cito o Antagonista não apenas porque devo, mas porque negar o impacto do que eles estão fazendo como principal veículo da oposição é praticar o mesmo crime dos governos e mídias contra os quais luto e sofro há anos: desconstruir tudo e todos que a eles não se rendem.

E essa é noticia, e essa é o extrato da nossa participação real:

Ah detalhe, a “noticia” foi requentada em 2016 mas fala de um congresso de 2012. E por acaso exatamente quando voltamos para falar coisas como esta:

em lugares como este:

Pode parecer nada, mas além de estarmos mexendo no feudo do Bolsa-Família, para nós isso não é apenas uma causa, é a nossa história de vida, neste ano completamos 10 anos de luta praticamente sozinhos por emancipação e não contra moinhos de vento, mas contra gente que ganha com a pobreza- inclusive eles.

É por essa e por outras… muitos outras que se acho que sei do que o Antagonista está falando e passando:

Por isso posso não concordar com eles; posso não gostar deles, e até bater de frente com suas posições conservadoras, mas sou obrigado a reconhecer que se esses falsificadores de realidade caírem, não será por causa de opositores de esquerda que quase ninguém nem sabe que existe (como eu), mas por causa de opositores de direita como o Antagonista.

E para os acéfalos de esquerda (e direita) explico: isto não é um elogio. É simplesmente o devido reconhecimento de um fato; uma autocritica:

A esquerda precisa parar de defender o passado podre destas múmias e começar já a concorrer competitivamente na construção do futuro, porque uma sociedade sem o espectro de uma esquerda livre e construtiva, completamente perdida e aliciada na defesa de um projeto de poder criminoso, é uma sociedade fechada num espectro obtuso onde só as pessoas mais lúcidas e moderadas de direita são capazes de se contrapor a extrema direita. E isso nunca foi o suficiente.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.