Piada: Artigo do o Globo compara Trump a Cidadão Kane… sim o jornal dos Marinho…

A grande midia, nazismo, e o Day After dos EUA

Parece mentira, mas há um artigo comparando Trump a Cidadão Kane nada menos que no jornal do cara que foi “muito além do cidadão Kane”:

É como ligar a TV e ver alguém no programa do Gugu criticando o sensacionalismo do Ratinho… o goleiro Bruno falando mal da Suzana Von Richthofen … ou o Sarney criticando a corrupção do PT.

Ou eles acreditam mesmo na completa idiotia do seu leitor, ou perderam mesmo de vez o pudor e a noção do perigo da irrealidade… mas talvez a criminologia dizem que eles sempre voltam “a cena” de seus crimes.

Mas vamos ao artigo…

Na verdade o artigo é muito bom. E fica ainda melhor justamente por estar publicado no Globo. Pois, mais do que revelar o que já sabemos: o quão perigoso é Trump; e o quão fraudulentas é a velha democracia representativa, sobretudo a americana; o artigo revela coisas ainda mais interessantes:

Primeiro:

O temor que as grandes corporações tem de Trump não é o mesmo das pessoas.

O medo deles é que o magnata venha a expor ainda mais a ilegitimidade dos sistemas políticos e econômicos e consequentemente coloque em xeque o próprio domínio cultural dessas castas sobre as massas. Sobretudo se colar a tese de que as eleições foram roubadas. Pois a eles não importa se foram ou não. Como o artigo, sem querer, deixa claro, o que vale para a democracia representativa é a máxima da esposa de César: não importa se ela é ou não honesta, o que importa é que pareca.

Segundo:

O temor de que Trump vai ganhar está se dissipando entre eles.

Notem que não estou dizendo que ele não vai ganhar.Estou dizendo que depois que o FBI arquivou o caso, eles parecem ter ficado com a mesma certeza do Assange: de um jeito ou de outro os Clinton não vão perder.

Porém, afirmar qualquer coisa neste campo, seria especulação. Talvez, Trump nunca tenha tido chances reais de ganhar, e tenha mesmo apenas servido para deixar o outro capeta menos feio na foto. Talvez ele tenha sido uma ameaça fantasma que saiu do controle e se tornou real e perigosa demais. Talvez ele ganhe e não leve de como “sugere”, quase sem querer, o paralelo traçado na matéria sobre as eleições de Kennedy-Nixon.

Não dá para saber. Mas o paralelo (ou precedente?)é bastante significativo. Principalmente se nos lembrarmos como termina essa história para Kennedy e Nixon: o primeiro assassinato; o segundo renunciado. E isso tudo também num Estados Unidos bastante em certos aspectos bastante parecido com atual: em guerra fria e atolados em uma guerra sem fim: a do Vietnã.

Cidadão Adolf

Isto porque sem querer ela não só colocou Roberto Marino no mesmo lugar que um Trump, ou melhor, o contrário; ela colocou o dr. Marinho apenas dois graus, ou melhor duas personas de um Hitler. Pois se o dr. Marinho e Trump tem (entre outras coisas) algo em comum em Kane. Trump parece ter mais coisas em comum com essa outra figura histórica nada fictícia e digamos bastante nazista.

Image for post
Image for post
“Quando viajava para fora da Alemanha, perguntavam-me muitas vezes como é que o povo alemão tinha apoiado Hitler nos anos 30 e 40. Já não me perguntam isso nos últimos tempo”, conclui Johan Franklin, na nota que explica as suas motivações para escrever a mensagem.

E não sou eu que estou dizendo, são eles que andam compartilhando o seguinte post:

Conclusão

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store