OU NO CORAÇÃO DAS TREVAS: DAS ARMAS DE DESTRUIÇÃO EM MASSA DO NECROCAPITAL

NO CORAÇÃO DAS TREVAS: O ESTUPRO COMO ARMAS DE DESTRUIÇÃO EM MASSA A SERVIÇO DO NECROCAPITAL

Seguindo o rastro dos geno-generocidas: do lítio na AL à rapinagem do cobalto no Congo, outrora só Belga, agora das multinacionais, ou ainda: um ensaio sobre a visão como memória momentânea seletiva

Image for post
Image for post

“Poetas, como os cegos,
podem ver no escuro”
Jorge Luis Borges

A República Democrática do Congo vive décadas de guerra. Ao contrário de muitos de seus vizinhos, o problema não se relaciona com disputas entre etnias, religiões ou facções políticas. A questão é tecnológica mesmo — e, de certa maneira, tem a ver comigo e com você que lê esse texto.

Esse país localizado no coração da África detém 60% das reservas de um mineral chamado columbita-talantina (ou coltan). Tal produto é primordial para a fabricação das peças dos aparelhos eletrônicos, como celulares, tablets e computadores, que tanto usamos no dia a dia.

A eterna briga congolesa se concentra, então, no controle das minas desse material tão valioso. Grupos armados invadem territórios e expulsam as pessoas de sua terra, o que já resultou em 6 milhões de mortes, 4 milhões de refugiados e 4 milhões de deslocados internos.

Quando esses criminosos chegam numa nova região, a principal maneira de humilhar aquela comunidade indefesa é justamente atacar suas mulheres, não importa a idade que elas tenham. O ginecologista, aliás, compara o estupro como uma arma de destruição em massa: “Vivemos num mundo que perde todas as suas referências de humanidade. E, pior, não vemos nenhuma reação no plano internacional contra esses crimes que ocorrem todos os dias.”

No caso mais recente, diversas famílias congolesas entraram na justiça relatando que seus filhos foram mortos ou mutilados durante a mineração de cobalto, material usado na fabricação de baterias para smartphones, notebooks e carros elétricos. Além da Apple, o processo cita o Google, a Dell, a Microsoft e a Tesla.

As crianças que exploram o cobalto dos réus não estão apenas sendo forçadas a trabalhar em funções extremamente perigosas que deprimem os seus estudos e futuros, eles também estão sendo mutiladas e mortas regularmente por colapsos de túneis e outros riscos conhecidos comuns à mineração de cobalto.

Image for post
Image for post

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store