O nome da Rosa: o idealismo como falsidade e o cinismo como verdade — Parte 1

Da homenagem a tortura as cusparadas… e depois?

Image for post
Image for post
Será que ainda vão ficar patrulhando o Angeli: ou é só não for humor, pode.

Desde que voltei para o Brasil não paro de me surpreender com o nível de insanidade e rancor que se apossou da burguesia, a direita e a esquerda.

Não que lá fora já não tivesse experimentado uma amostra, ou que antes fosse completamente diferente, mas ao vivo é sempre bem pior. E olha que não foram mais do que 6 meses. E que seis meses.

É obvio que não foi neste meio tempo que eles se descobrir e se resolveram, mas que perderam completamente a noção e as estribeiras foi. Deu a louca na intolerância, fundamentalismo e fanatismo ideológico.

É claro que ninguém conhece quem é a pessoa de verdade, nem a própria pessoa até ela passar pela pressão. Na festa e na fartura só não consegue fingir que é legal quem não quer.

Logo está claro que não estou falando dos Bolsonaros da vida, dessa gente que não tem vergonha de ser como é, fazer seus discurso de ódio e discriminação não só sua propaganda e profissão, mas sua filosofia de vida. Estou falando do outro lado não apenas a esquerda, mas a direita que não se julga ideologicamente fanático nem fundamentalista, mas que se vende e parenta e não duvido que se julga um democrata e humanista, tolerante e equilibrado.

Estou portanto obviamente me referindo aos episódios de Jean Wyllis e Zé de Abreu, mas não deles em particular, e sim em geral. Porque acho que todo mundo já conhece pessoalmente mais de uma pessoa se não perdeu, está perdendo o chão. Não é preciso nem circular na vida privada da alta burguesia. Hoje você cruza com eles em qualquer lugar real ou virtual da pequena mesmo.

Antes você até encontrava essa falta de senso devidamente moderada pela imitação da etiqueta burguesa nas classes médias proletárias de alta renda- que mesmo sendo empregados burocráticos de luxo e alto escalão e não capitalistas ou rentistas se tomavam inadvertidamente como parte do clubinho dos seus patrões.

Entretanto encontrar isso com a frequência e naturalidade nas classes médias que mal conseguiram emergir e já decaíram de novo, derrubadas, é algo ainda mais surpreendente. Se não surpreende ao menos deveria, porque é alarmante.

É preciso muita droga pesada ou então muita doutrinação ideológica para renegar o próprio ambiente seja o da cultura popular brasileira seja o da cultura burguesa ambos tão avessos a essas doutrinas autoritárias, seja a marxista-leninista, seja a evangelista-puritana, e abraçar de verdade como um crente praticante essas ideologias. É preciso um ambiente muito insalubre a sanidade sociopsicológica para as pessoas se perder assim das suas origens e se converterem de verdade em cultistas destas doutrinas completamente estranhas e alienígenas ao brasileirismo.

Conservadores? Sebastianista? Racistas? Hipócritas? Patriarcal? Violenta? Sexista? Sim, pode se dizer que a cultura brasileira infelizmente tem muito de tudo isso ainda. Mas fanática, fundamentalista e apologista do ódio, e da violência institucionalizada como instrumentos ideológicos ou de disputa política? Doida de sair seguindo lideres políticos e religiosos apocalípticos? Se achar povo escolhido? Gente matando e morrendo em nome de Deus ou do Estado, genocídios sistematizados, isto é algo que realmente não passa pela cabeça da maioria do povo brasileiro… a maioria… e ainda.

Não que essa mentalidade não estivesse presente em nossos “coronés”, generais, aristocratas e plutocratas, mas nenhum destes detentores do poder politico e econômico de fato dos países faz parte de nada, povo nação, sua solidariedade se estende no máximo aos laços de sangue e gene e olhe lá, porque basta entrar sucessão e herança que eles se matam mais que traficante e miliciano em disputa por controle de trafico em morro.

Mas o povão? A burguesia? Mesmo aquela que vive fazendo árvore genealógica para ver se encontra um descendente nobre ou europeu e ascende geneticamente? Nem essa!

Não quero parecer ingênuo, nem vou ser hipócrita.

Não me causou nenhuma surpresa a homenagem de Bonsonaro ao torturador da ditadura. Aliás quem com sinceridade se surpreende com as atitudes mais estupidas imorais e desumanas dessa extrema direita? Surpresa o oposto.

Quem não sabe que temos uma ultra-direita incubada e devidamente acobertada pela forma como lidamos com todas nossas dívidas e problemas históricos, empurrando para debaixo do tapete e fingindo que tudo é enredo carnavalesco, da escravidão as ditaduras? Só se surpreende com os Bolsonaros e Cunhas da vida, quem é ou quer se fazer de gringo no próprio pais. Só cai se surpreende com os discursos destes fascistoides os mesmo inocentes úteis que caem no conto dos velhos populistas e caudilhos latino-americanos, gente que caiu de paraquedas ontem no Brasil, como o jornalista estrangeiro. Esses tipos não renasceram das cinzas, eles apenas finalmente encontrarem seus pares para dançar e brigar.

Não estou tentando racionalizar uma atitude indefensável. Quem já leu meus textos sabe o quão critico sou tanto desse governo autoritário quanto dessa burguesia e intelectualidade que se acha de esquerda e progressista. Mas o que surpreende, e isto sou obrigado a confessar, é a reação de quem trabalha com o discurso de respeito ao ser humano, nem tanto do deputado Willys, que de ator político se espera sempre as piores atuações, mas do ator Zé de Abreu…

Claro que sabia que essa intelectualidade gourmet assim como seus governantes populistas não tinham e não tem o menor pudor de se tomar e devorar a identidade dos povos oprimidos tanto quanto não tem de se apropriar e servir do patrimônio público como se fosse seus próprios banquetes. Que governos populista e burguesia que se acha de esquerda e se arroga representante do povo mesmo quando sabe que tem mais seu apoio popular que não seja pelego, não tem escrúpulos isso eu já sabia, mas que eles iriam quando a policia ideológica trocasse de lado partir para as cusparadas e pior fazer a apologia disso, isso eu confesso não esperava.

Posso estar sendo ingenuo demais, mas quem já sabia que eles eram capazes de desceram tão baixo, ou pior, eram capazes até mesmo de fazer a apologia até mesmo disto que me atire a primeira pedra. Sei que são reacionários e de tão de esquerda quanto pode qualquer habitante de palácios do Planalto ou caras, de Projacs ou congressos, mas daí a sair cuspindo nas pessoas, é realmente dantesco.

Quando ele cuspiu estava pensando em escrever um artigo sobre o quão os atores profissionais estão mais preparados emocionalmente para lidar com os cargos de representação pública sem perder o chão, nem a cabeça. Minha ideia é que como eles se preparam para entrar e sair dos papéis sem se deixar confundir sua personagens estariam mais capazes de interpretar até mesmo presidentes sem ficar malucos achando que são Napoleão e podem tudo. Estava em dúvida se escreveria ou não, afinal com os exemplos de Regan e Schwarzenegger minha tese não parecia ter uma boa confirmação empírica.

Zé de Abreu enterrou de vez minha hipótese. Atores, mesmo os profissionais não são necessariamente capazes de suportar as pressões inerentes da atuação política pública. Embora ainda acredite que todas as pessoas (não necessariamente políticos) investidas de poderes para representem interesses públicos apreenderiam e muito com as técnicas que os atores usam para preservar sua sensibilidade e sanidade pessoal.

Sei que as coisas não se misturam e que a genialidade artística não é necessariamente acompanhada da honestidade ou grandiosidade intelectual ou moral. E não estou dizendo que o cidadão é uma coisa nem outra. E não é essa a questão deste texto.

A questão é como não apenas os protagonistas dos episódios, mas os seguidores deste ideário conseguem:

  1. manter a a recusa em reconhecer qualquer erro, não importa as provas ou a gravidade do delitos.
  2. continuar se postando não apenas de inocentes mas de vitimas em todas as circunstancias mesmo quando partem para agressão.
  3. E mais importante como conseguem não se envergonhar de agir em não só em completa contradição ao que pregavam, mas fazer a apologia de tudo que perseguiam com seu policiamento ideológico!!! E isto sem sequer se preocupar em justificar como quem prega o respeito a pessoa humana, a perseguição de todos os politicamente incorretos e machistas, quando passam a ser violadores não só não podem ser objetos de reprovação como se arrogam sua mais nova forma abjeta de ser como o mais nova expressão da defesa legal e moral da justiça.

Estou exagerando então lei esse texto:

Comparar o direito a não ser forçado a trabalhar pela intimidação a violência com o escarrar na cara dos outros. Com uma esquerda dessa quem precisa de fascistas?

Incoerente? Não, senhor. Tão descarado quanto o próprio voto de Bonsonaro. Fazia tempo que não lia uma declaração tão baixa vindo de alguém que se diz de esquerda, e olha que mutia coisa produzida ultimamente é puro lixo da propaganda politico eleitoral.

Exceção? Não sintomático. Há vários, mais ou menos enrustidos ou descarados, mas vários. E não computo post de facebook ou tuítes.

Tenho que pedir desculpas públicas para a senhora Dilma, fui injusto com ela. E aqui o faço. Afinal de contas ela representava uma parcela da população e olha que era bem mais equilibrada que ela. Definitivamente, fui injusto. Ela pode não representar o povão, mas sua soberba e incapacidade inéditas na história para dialogar e reconhecer erros representam afinal alguma ideologia de classe. E graças a deus que marxista é ateu! já pensou eles interpretando o velho testamento ao pé da letra como leem seus manifestos apologéticos doutrinários? Que fiquem nos velhos de rastelo. E nunca leiam Augusto dos Anjos, porque se não além de cuspe era também pedrada.

É por isso que não quero fazer de Wyllis ou Abreu bodes expiatórios. E nem analisar sua reação apenas como se fosse uma ação emocional impensada. Porque esse comportamento é sintomático do nível de radicalização não apenas da propaganda de ódio da direita que é explicito, mas da própria apologia da esquerda da sua guerra de classes fajuta. Fajuta como tudo que eles fazem, mas que mais hora menos hora poderá virar guerra de verdade principalmente de der a louca na burguesia mimada de direita e esquerda achando que podem sair cuspindo nos outros. Até criança de periferia é mais adulta até porque sabe que isso dá merda.

Como atitude seria fácil classificar esses atos como coisas de gente mimada ou nojenta e covarde e pronto. Mas quem não vive dentro de uma bolha, e sabe se pôr no lugar de quem é ofendido ou cuspido, sabe que essa é saída comoda demais para um problema que é bem maior. Homenagens a torturadores, perseguição a pessoas em lugares públicos e cusparadas e apologia a violência isto pode acabar em qualquer lugar.

Óbvio que seria até mais honroso se ele tivesse chamado o cara pro pau, do que dar escarradas ainda mais na mulher. Inegável que isso é coisa de gente sem noção, nojenta e covarde, mas é pior do que isso, sobretudo para quem se diz de esquerda ou só faz tipo: isso é coisa de burguês mimado e folgado.

Lógico que isso é patético e asquerosos até dentro da moral e civilidade burguesa a qual eles podem fazer tipo que não, mas pertencem. Mas essa incoerência de princípios em favor do seu fervor ideológico não é apenas constrangedora, ela é beira a insanidade fanática de tal modo que não apenas denuncia a falsidade total da sua militância humanistas, mas denuncia a completa desconexão com a realidade da vida e da ética do povão que eles querem se passar de defensores.

São ecologistas que não apenas não ligam para a natureza, mas ecochatos que nunca viram uma floresta.

Não que nenhum pobre não seja porco e não de suas catarradas no chão, mas vai na cara dos outros… vai sair dando cuspida em quebrada pra ver o que te acontece. Não sei se faça mau juízo dos lugares onde morei os últimos deis anos, cuspo no prato que comi, ou não entendi muito bem como funcionava as coisas por lá, mas não me parece que esse velha arte do insulto de repente redescoberta como a mais nova estratégia da intelectualidade petista funcione fora de certos círculos bem “liberais”. Se você acha coxinha reacionário vai lá na periferia cuspir nesse povo ingrato e “conservador” e depois volta para para me contar os resultados do seu incrível expedição antropológica.

Vi até “jurista” dizendo que cuspida não era um soco na cara, não era uma agressão física mas uma forma de xingamento, porque não provoca os danos físicos. Papo de estuprador. Tá bom então quer dizer que chamar de passar a mão na bunda da mulher que tá passando na rua é mesma coisa do que gritar gostosa da obra?

Ok, agora só falta convencer os outros 200 milhões de brasileiros do mais novo fantástico mundo paralelo do petismo, onde um vai tomar no cú é uma mesma coisa que um escarrada ou tapa na cara. Vi até mesmo ex-ministra de direitos humanos dizendo que se for impensado, então tá bom pode. Caralho??? Então, quer dizer que agora a premeditação não é mais agravante, é alíbe?

Pessoas podem até sair da treta até mesmo quando da ofensa passa para a ameaça, mas até para apartar é quase impossível depois que alguém da uma cuspida, um tapa ou um empurrão porque uma razão simples a agressão já sai do verbal e foi para as vias de fato. Uma empurrão não é um tapa, e um tapa não um soco, mas uma cuspida é um tapa na cara e no momento que a coisa são do xingamento e entra nisto, aí já era só segurando quem levou.

Mas isso é da treta. O problema é a apologia estúpida dessa agressão leve que tenta trazer a estratégia politica do petismo para o campo do pessoal , atacar para depois se fazer de vítima. Isso pode intimidar gente de bem, gente de paz que não quer passar por espancador dos outros. Mas eles não perceberam até mesmo porque com sua farsa eliminaram todas as pessoas de bem não apenas do seu lado mas como adversário, agora só estão ficando para jogar esse jogo com eles quem não só não dá a mínima de descer o braço nos outros mesmo quando não tem motivo, mas faz disso a sua bravata: a extrema direta.

O que revolta não é o fazer cagada, isso todo mundo faz alguma na vida, pode ser que não seja cuspir, xingar os outros na rua. Sei lá.. alguma coisa de ruim todo mundo faz, o que preocupa é isto, é o fazer da defesa daquilo que não poderia ser defendido, da apologia a agressão, daquilo que é a base da argumentação de fascista assumidos, a base de quem se arroga o título de defensor dos direitos… que viola!!!

A hipocrisia e a falsidade ideológica da esquerda está abrindo mais um precedente a violência perigosíssimos, estão relativizando as vias de fato e a integridade e dignidade física de qualquer pessoa para fazer valer a “honra” os “valores” enfim seus preceitos.

A diferença entre ofensa e agressão é simples e já foi definida faz tempo: das ofensas pode sempre uma pessoa não ser atingida, bastando não querer recebê-la. Da agressão não basta a vontade para escapar, porque ela é ideia é corpo. E isso não quer dizer que a ofensa não caiba reparação, isto quer dizer que nenhum ataque físico por menor que seja é cabível perante a pior das injúrias.

Não é a toa que no inicio do livro a República de Platão, os protagonistas logo de cara já começam perguntando se o intolerante Trasimâco quer resolver as coisas no braço. Platão logo de cara já dava a primeira lição da criação de uma república: não há paz nem diálogo possível com gente intolerante e disposta a agredir. A república se funda entre pessoas de paz dispostas a substituir as vias de fato, todas elas, pelas palavras quaisquer que elas sejam. Diálogo. Por mais pesado e ofensivo, ainda sim diálogo.

Por isso sejam eles quem forem, essas figuras da velhas e direita e esquerda autoritária que estão dispostas a tudo precisam ser contidos. Ou vai dar bosta. Porque covardes e sem limites eles já mostraram que são, agora só só falta eles perderem de vez a noção do perigo e começarem a praticar suas indignidades não apenas na cara um dos outros, mas do resto do povo. Como se não bastante os ídolos políticos.

Porque pobre pode aguentar muita coisa quieto, mas só mesmo marxistas de restaurante para achar que cabeças só vão rolam pela fome ou quando os lideres do proletariado pelego quiser. Só mesmos esses burguesia brasileira metida ao mesmo tempo a revolucionário russo e burguesia francesa para achar que pode cagar e cuspir na cara dos outros não acaba mal. Só eles mesmo para achar que a vida é a disney de paris ou o salve jorge do Projac.

No delírio deles, não duvido que eles acham que estão certos. Acho que já estão entrando na fase Edir Macedo, onde o doido de tanto repetir suas baboseiras começa ele próprio a acreditar nelas. Espero que gente a ultra-direta não siga o exemplo deles e comece a praticar o que realmente pensa.

Quem diria que seria a esquerda falseta da patrulha ideológica, que reclama até de piada que iria abrir estupidamente essa porteira, que bastaria ser apertada para evocar a mais belas coisas para justificativas as piores barbaridades.

Então eu pergunto para quem ainda não entrou nesta histeria coletiva de briga de véio de condomínio burguês:

O que estamos esperando então para tirar todas as prerrogativas de ameaça e violência de todo mundo? O que estamos esperando para deixar bem claro que crimes cometidos pela violência das palavras e dos atos não são proporcionais? O que estamos esperando para dizer que palavras jamais podem levar as vias de fato? O que estamos esperando para deixar bem claro que as legitimas defesa de coisas inanimadas não pode ferir coisas vivas? E que a legitima defesa contra a violência simbólica não pode apelar a violência de fato? O que estamos esperando para que até mesmo as punições do estado as ofensas não pode se fazer agressões? O que estamos esperando? Alguém ser morto?

Será que ninguém percebe que as cusparadas, os xingamentos, o elogio, as bravatas são o prenuncio do que está por vir? Não estou mais falando de ninguém em especial, mas de um sentimento geral que está tomando as pessoas e poderá ser inclusive capitalizado por oportunistas?

O que estamos esperando que voltem a formar esquadrões da morte? Ou fazer atentados “políticos”? Será que ninguém percebe que essa gente e essas tipo de coisa vem sempre juntas?

Da burguesia de esquerda e direita não espere nada, como da política, fora ainda mais do pior.

Eu sei que esses doidos não são de esquerda nem direita e a verdadeira esquerda e direita também sabe. Mas o problema é que o povão sabe?

Image for post
Image for post
Infelizmente mesmo passado tanto tempo as semelhanças não são meras coincidências

A vida não é uma ilha de Caras ou um BBB, esperando que o Boni ou o STF edite e apague tudo. Deixem o petismo e seus submarinos dentro dos partidos de esquerda; Deixem Bolsonaro e felicanos dentro da direita destilarem seu ódio e vocês verão que o Dilmismo e seu bolchevismo tardio foram mais do que a quinta coluna da esquerda, forma o abre-alas da hegemonia política do fundamentalismo religioso evangélico no poder do pais. E logo eles! Os especialistas em desconstrução dos inimigos e vitimização dos seus banditismo! Casa de ferreiro espeto de pau? Não, pimenta nos olhos dos outros e refresco.

Bonsonaro e afins agradecem.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store