O caminho para a cura das doenças e males da Humanidade. O outro para as loucuras de sempre.

OS SONS DO SILENCIO DA MATEMÁTICA DA FÍSICA: A ONTOGENIA DA ONTOLOGIA DO COSMO. OU: A MÚSICA DA VIDA VERSUS A ELEGIA E APOLOGIA DA LOUCURA.

Image for post
Image for post

DE UM LADO, ENQUANTO…

Como explicou o líder do projeto, Markus Buehler, em entrevista ao MIT News, o som é uma maneira elegante de acessar as informações armazenadas em uma proteína. “Nosso cérebro é ótimo no processamento de som! De uma só vez, nossos ouvidos captam todas as suas características hierárquicas: tom, timbre, volume, melodia, ritmo e acordes”, afirmou.

Segundo ele, transformar a proteína em música é útil porque facilita o entendimento dos aminiácidos como um conjunto. Além disso, a técnica pode ajudar os cientistas a encontrar locais da proteína em que anticorpos ou medicamentos possam se ligar — simplesmente procurando sequências de notas específicas. “Como uma sinfonia, os padrões musicais refletem a geometria da proteína disponível pela ‘materialização’ [em música] de seu código de DNA”, exemplificou Buehler.

O especialista destacou que música e matemática são assuntos muito próximos, pois as canções são compostas por sequências e combinações, tal como essa área das ciências exatas. “Agora podemos ouvir esse conceito [estrutura viral] conforme a natureza o compôs e compará-lo com as ideias em nossa imaginação, ou programar a inteligência artificial para falar a linguagem do design da proteína”, observou Buehler. “Acreditamos que a análise do som e da música pode nos ajudar a entender melhor o mundo material. Afinal, a expressão artística é apenas um modelo do mundo dentro de nós e ao nosso redor.”-

NÃO APENAS OUÇAM, MAS ESCUTEM, SINTAM:

DO OUTRO…

Não queimem as antenas. (Lógico que isso é um argumento retórico. Loucos não queimam antenas porque são convencidos por proposições razoáveis ou nem tanto, mas porque é mais divertido e rápido, estourar antenas do que por exemplo, limpar feridas, pagar 20 anos de renda básica, e menos perigoso do que não pagar imposto ou redistribuir renda, digo de fato, e não de papo. Aliás as antenas vão parar de funcionar de qualquer forma se não tiver escravos assalariados para consertá-las, máquinas ainda não substituíram todas as etapas dos shit jobs…)

Mas vamos fingir que alguém esteja me ouvindo. Só para efeito ludo-terapêutico. Porque senão os vivos e surdos, os mortos estão, dependendo da distancia e espaço relativístico da metainformação e transmissão.

Então porque?

Ondas de rádio podem atrapalhar sua fisiologia à medida que o aquecem, o que significa que seu sistema imunológico pode não funcionar. Mas os níveis de energia das ondas de rádio 5G são minúsculos e não estão nem perto o suficiente para afetar o sistema imunológico. Existem muitos estudos sobre isso”, diz Clarke.

As ondas de rádio envolvidas no 5G ou em outras tecnologias de telefonia móvel ficam na extremidade de baixa frequência do espectro eletromagnético. Menos poderosos que a luz visível, eles não são fortes o suficiente para danificar células, ao contrário da radiação na extremidade de maior frequência do espectro, que inclui os raios solares e os raios-X usados na medicina.

Também seria impossível para a tecnologia 5G transmitir o vírus, acrescenta Adam Finn, professor de pediatria da Universidade de Bristol, também no Reino Unido. (…)[grifo meu]— ‘Absurdo total’: cientistas condenam ‘teoria’ espalhada na internet de que 5G transmite coronavírus

Quanto ao câncer. É como vinho e café. Dependendo de quem banca. Há para todos gostos. Ou seja há controvérsias.

Questão de dosagem? Equilíbrio? O quê?

Aqui. Senhoras e senhoras. Prestem atenção e muita atenção. Acaba a ciência. E entra o filosobol. Ok? Tudo o que está escrito daqui por diante é material dirigido, não para quem não entende e espera que uma autoridade lhe diga é branco ou preto. Mas para quem entende e ouvindo: é branco! ou é preto! É capaz de discernir se é verdadeiro ou falso. Ou se não sabendo se é ou não. Não toma por verdadeiro ou falso. Mas faz o que todo mundo deveria fazer, até mesmo quando acha que já sabe tudo, investiga. Até porque se há alguém que acha outra coisa. Alguma coisa está errada. Senão com a teoria. Com a sua propagação e comunicação. O que também é um sério problema para a prática das ciências. E não perceber isso se tanto uma falta de uma consciência das Ciências, quanto a própria falta de uma Ciência da Consciência Científica, ou mais precisamente seu método de produção não como ética ad hoc, mas campo de estudo científico da semiótica ecossistêmica da fenomenologia da episteme integrada a epistemologia dos fenômenos. A Ciência dos Espíritos???? Metafisica?? Nomes. Se não quiserem sair do mesmo paradigma, as ciências Humanas como Humanidades. Verdadeira hard science, mas sem robot, please. E fala diferente senão assusta os efeitos fantasmagóricos dos natais mal passados e bem baixinho senão espanta os fenômenos do espectro mais sensíveis fora das 4 dimensões extra-ordinárias do nosso tempo ou espaço molecular? Segundo Einstein um pouco mais plastico: moluscular.

Dito isto, uma rápida explicação porque as iniciativas da renda básica internacionais me chamam e ao celular. Pelo qual eu pago. Não é 5G. É 3G fake, 2G. Mas vamos direto ao ponto. A tecnologia nada mais é do que ferramenta. Causa câncer, claro que causa ou cura. Você nem precisa do pau na mão para entender. A poesia de Augusto dos Anjos explica: se a mão que afaga é a mesma que apedreja, a mão que apedreja também pode ser a mesma que apaga. Mas aplique a lei do talião e corte a mão, e você vai ter que acariciar com cotocos. É lógica, é o algorítimo. Explico melhor. Toscamente, mas explico. Pegue um câncer e bombardeie com radio-atividade. Pegue uma cultura de tomates e bombardeie com radio-atividade. Peque o sol (radioatividade) e bombardeie alguma coisa. Radioatividade é vida, e morte. Aquecimento é caos puro. Movimento. Calor. Pare, esfrie. Equilíbrio termodinâmico. Já era. Morreu.

Vamos ser brutos, cretinos e idiotas, enfim machos marombeiros: a razão com a qual você vai bombar alguma coisa é a chave da vida, ou da morte. Funciona? Não porque mesmo que você não bombe ou bombardei ela aleatoriamente, ou seja mesmo que você atire uma única monomolécula cirurgicamente no caos de toda a pressão, estatística-probabilística do caos termodinâmico, (para quem não sabe a porra de uma amostragem matemática é só uma panela de pressão com um monte de bolinhas em (aparente ou pressupostamente) desordem batendo a cabeça uma contra as outras, ou na parede mesmo mais rápido ou devagar, elas podem inclusive explodir, conforme aumenta o calor ou a pressão, ou conforme elas se debatem, um tipo de inferno, que o demônio de maxwell, então mesmo se você conseguir fazer essa intervenção precisa, ordenando ou filtrando, perfeitamente o sistema, para o gozo dos predeterminista, o processo tem um problema os fatores desconhecido. As potencias ainda não descobertas e que por evidente só se manifestam a partir do momento em que você cutuca a onça. Parece que a ciência ainda não entendeu como funciona o jogo da vida, ou do cosmo mas a história da própria ciência já tem todas as pistas. Na própria descoberta do próprio raio-X. Não há um campo mais fundamental. Mas há sempre forças que são geradas que interferem nas forças fundamentais que são geradas por fatores que estão fora do campo de observação empírica e que tanto a própria observação (informação) quanto a ação e formação, isto a matéria e energia do observador enquanto corpo e evento retroalimentam como fonte geradora dentro desse campo ontológico, que forma a ontogenealógico da árvore da vida no tempo e espaço.

Logo não é a manipulação genética ou radiológica em si o mal. Mas a ausência literalmente de sensores e processamento computação inteligente que dirá ciente e consciente desses padrões e combinações. É como jogar produtos agrotóxicos achando que tudo termina no plano das reações das cadeias de causas e consequências bioquímicas e atômicas, quando para além e aquém da química do átomo e da célula as superestruturas e micromoléculas e arquiteturas nucleares tanto da célula quanto do átomo, quando havia outra não só outras micro formações, mas informações, padrões e códigos, que compunham redes de genes, memes não só de dados, por que não são estruturas meramente conceituais, mas factuais, fenômenos, logo fatos, formas, metaformações, e metainformações ainda mais elementares e essenciais, tanto epigenéticos quanto genéticos da matéria e energia. O mesmo vale para o gene e o próprio meme, o tempo e o espaço, e todos os elementos da física e psique. Todos os fenômenos tem uma episteme que é fenomenológica, mas que está numa outra dimensão, mas não em outro mundo, mas neste, apenas no mundo do outro. Literalmente na potencia inversa de cada ser vivo. Na relação eu e o mundo. Essa é a chave. Não há Bigbang. Cada singularidade é um bigbang, cada ser retroalimenta o universo o microBang que retroalimento o macrobang, o universo que em verdade é um multiverso de compostos de todos os campos integrados dessas singulares e suas sintonias. Sintoniza-las, é a chave. Isso é o que? Uma hipótese? Uma teoria. Mas não cientifica. Entendem? É um insight. Uma visão que ajuda quem produz ciência, a ir nesta ou naquela direção. Einstein por exemplo inicia suas reflexões de qual ponto de partida? Segundo o próprio Imaginando um o que veria se viajasse a própria velocidade da luz? Uma partícula de luz parada no Espaço? E no Tempo?

Voltemos aos Ludistas das Antenas. Radio frequência de celular pode causar câncer, se pode então pode curar na medida que controlarmos os padrões da frequência. Pela mesma razão do controle da ordem dos padrões radiológicos que causam as mutações. Chaves e cifras cuja maior dificuldade é que não são criptográficas, mas hierográficas. Isto é não podem ser quebradas, técnicas invasivas mesmo as equivalentes as cirúrgicas, clivagens, mas precisam ser lidas através de ressonâncias por vezes nem diretas do objeto, mas apontadas para o espelho, isto é, ao invés de ver quantos corpos mortos teremos, contamos as balas no tambor do psicopata que sai de casa. Ou uma outra metáfora, ao se não temos os corpos, olhamos para a chaminé, e quantas famílias já não tem mais seus entes queridos.

Há varias formas de determinar qual é o desenho do outro, através da causa e não da consequência, especialmente quando deixamos de pensar em nós mesmos ou nas antenas, e paus como causa, mas sim como meios, e nós como um dos fatores externos e o outro como o principal fator determinante, não aleatória, mas a potencia igual, isto é, dotada da mesma capacidade de ação e reação, não como se fosse um mero objeto, mas como uma entidade dotada dessa força e potencia elementar gerado da composição ou da padrão da liber da vida e morte, caos e ordem, do bem e o mal, luz e sombra: tudo e o nada: a alfa e o omega: Liberdade.

Ignore ou tente suprimir essa potencia seja da formula ou da vida, e simplesmente não só a ciência e a fé a razão, o juízo se perdem e a loucura prevalece, mas a sua forma de vida enquanto singularidade particular ou coletiva vira pauta para dar lugar a uma nova a partir do seu potencial, perdido. Aplique seu potencial da sua força vital a vida simplesmente renasce dessa ontologia do qual você é não sei… componha se até um vírus que é feito de RNA tem a sua própria sinfonia. Quem sou eu para dizer qual é a sua.

Gostaria só de poder dar um pouco mais tempo e paz para todo mundo, por isso deixa eu voltar para a bendita rede da renda básica universal.

Quer saber o que provoca, transmite e propaga e amplifica a potencia das eco-perturbações canceres e deformações e mutações teratologicas nos campos de força de todos organismos vivos e biomas? Eugenismo positivo, negativo e o até o omissivo contra todas as formas de vida, sobretudo as suas mais semelhantes, na sua forma mais doentia e nociva ao Ethos: os necrofalomanias e seus holocaustos.

Com ou sem mascaras.

Deveria temer portanto não o progresso da inteligencia artificial, mas o emprego massivo das mesmas para o avanço e difusão massiva da imbecilização e manobra das massas. Não raro como gado arrebanhado em grito de ordem unida; a esquerda ou direita volver, de deus quer, ou meu salvador da pátria mandou. Desde que desembestados a se bater uma manada contra a outra. E ao mesmo também rumo juntas ao precipício arrastando todo mundo incluso os que não foram fidelizados nem fanatizados pro mesma vala.

Deveria temer portanto temer não propriamente o avanço e progresso científico no desenvolvimento da inteligência nem artificial nem jamais a natural, mas temer tanto o retrocesso, quanto ainda mais a desigualdade e concentração e monopólio, segredo e segregação do saber. Isto sim o perigo. Porque é aí que mora o perigo, e não no conhecimento e nem na riqueza de nenhuma forma de capital. Porque só é possível usar um conhecimento benéfico como o acima descrito, descriminando e obstruindo que outras pessoas tenham acesso ao mesmo. Impedindo que ele seja barateado e se torne acessível. O que não é a mesma coisa que socializá-lo pela violência, mas é a mesma coisa que impedir que pelo monopólio da violência outras pessoas acessem tal conhecimento gratuitamente. O que evidentemente só possível como toda sociedade financiando tal produção de tal ciência se não quiser que só alguns tenham acesso e outros não a seu progresso.

Eis novamente a perversão da finalidade da ciência para o emprego dessas ferramentas como armas de corporações monopolistas quando não flagrantemente totalitárias e eugenistas contra a populações que estão com a mentalidade da idade das trevas,quando da pedra mesmo, com medo de deus,da chuva, clamando por Antonio Conselheiro, esperando o sertão virar mar e o mar virar sertão, ou pior ainda querendo que papa, o bispo ou o pastor, o astrólogo, o guru com sua meia suada e encantada cure suas chagas incluso as sociais, em troca de obediência cega e claro tributos dízimos módicos.

Em outras palavras deveríamos estar nos cagando de medo é da hiperdesigualdade sociocultural já traduzida em supremacia cientifico-tecnologia praticamente irreversível. Devíamos temer as disputas por domínio e dominação que já fazem do nosso continente seu mais novo teatro de operações geopolíticas. O uso intensivo e massivo de versões dessas tecnologias como armas não só de coleta mas de expropriação intelecto-cultural e retroalimentação tanto de IA transnacionais quanto da desinteligências nacional.

IAs já automatizadas para sua guerra nas disputas por hegemonia neocolonial neste plano metainformacional, que para nós é ainda mistico, feito de deuses, demônios, santos, entidades metafísica. Uma terras de sombras, obscurantismo onde como crianças ou adultos infantiloides não só atrasados mas retardados, estamos sendo rigorosamente expropriadas das nossos faculdades e propriedades não só naturais mas intelectuais em todos os sentidos da palavra. Da palavra como propriedade significadora do sentidos da percepção e da intelecção como significação da percepção. Percepção já virtualmente desnaturada por seleção artificial seletiva alucinada.

Idiotas cognitivos. Idiotas cosmodespolitizados, mas com método e processo e propriedade autoral e privada industrial e intelectual alheia, mas com direitos de copias e reprodução (roubados) protegidos pelo monopólio legal, aquela outra máquina, a estatal, velhinha e falida, mas que vai na porrada querendo ou não, passando o bastão para essas novas megacorporações, aliás já passaram o bastão faz tempo, de bancário, ao financeiro para o tele-digital, o capitalismo agora caminha para esse neofascismo agora cientifico e privado-estatista ou corporativista. Morra de inveja Marx.

E aqui faço uso da palavra fascismo no sentido clássico. Tudo dentro desse panotico, tudo para panotico, nada fora desse BigBrother. Um uso, portanto, distinto do apropriado e dissimulado da palavra fascista e idiota ou mesmo nazismo feito por essa servo-idiocracia dentro de ambas as bolhas de ódio. Isto é, como um mero desqualificação de quem não compartilha dos seus ódios e bolhas de desinteligências e desentendimentos mútuos. Um testemunho da sua própria condição espelhada como agressão sobre o outro. Não raro verdadeira para ambos. Porque se você não consegue reconhecer na idiotia e desumanidade e miséria do outro, a sua própria, pode ter certeza, além de também ser um idiota, você se acha muito esperto com base na desinteligência alheia. Está brigando para ver quem tem o melhor arco e fecha, vai morrer com os dois na mesma vala e com um só tiro de canhão. Porque a idiotia do outro, assim como a liberdade (ou falta de ) é também a sua, ainda que difusa. A condição do outro, não deixa de refletir e mondar a sua sobretudo na essência: humanidade. E quanto mais você se aparta porque o outra é monstruosa, mais a humanidade se desintegra não só como coletividade, mas como fenômeno neuro-epistemológico dentro e fora de você. Rigorosamente morre o principio elementar metainformacional que código ou mandamento algum nem escrito em pedra pode substituir, morre o amor, morre a alma da humanidade. Eis a doença e cura que nenhum maquinação ou logica artificial ou artificio ideologia, ou hipocrisia irá resolver. Só o verdadeiro ethos e fé na ciência da consciência da liberdade e espirito gregário cosmopolita e cosmopolizador. Humanidades com exatidão, sem filosobol, mitos, nem charlatanismo, mas humanidades. — Inteligência Artificial versus Consciência: A Meta Al-Quimia do Deus ex machina do século XXI

Fui. Ou melhor Subi. Se cada pessoa recebesse um centavo para cada boa ação destrutiva. O mundo não estaria melhor, mas que não morria de fome.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store