O Brasil caminha para uma Revolução?

Troque a pergunta: o que acontece com os regimes que não se adaptaram as revoluções industriais?

Uma sociedade sem esperança é uma sociedade sem medo.

O fator derradeiro

Monopólios sempre foram absurdamente caros e ineficientes, mas isso pouco importava porque o custo da exploração recursos tanto naturais quanto humanos era ínfimo perto dos lucros. Agora não é mais. E não importa nem entrar no debate se esses recursos são ou não são artificialmente escassos, ou se estão ou não sendo predados até a extinção, o fato é que a humanidade parece não estar mais predisposta entregar de graça e sem resistência nem seu meio ambiente nem seu trabalho como se fossem escravos.

A alegoria da velhice do Estado-Patriarcal e a revolta da sua derradeira nova geração: a sociedade adulta-mulher

Hoje a sociedade não é mais aquela menina infantilizada com medo reis, deus ou da chuva, apavorada pelas ameaças de surras e contos de terror do seu pai-padrasto violento. É uma mulher adulta que olha e tolera as manias dos seus velhos governos e governantes patriarcais, desdes maniacos prepotente que acha que ainda enganam e mandam em todo mundo, mas com a compaixão daquela filha que cuida de um pai canalha, porém decrépito.

O problema é que esse velho não é ainda completamente inofensivo nem nunca foi um verdadeiro pai, mas o sequestrador estuprador e explorador dela criança. E que agora quanto tenta abusar dela, mas só faz retornar as memórias que ele tanto fez para apagar. A sociedade é uma mulher adulta e emancipada e as memórias do que ela e seus antepassados passaram nas mãos desses governantes genocidas que mataram sua verdadeiras mãe terra e separam de seus povos irmãos estão voltando a consciência.

E se ela vier a por uma fim nesse velho asqueroso que ainda tenta montar e sobre ela e currá-la. Que “a alma mais pura e honesta deste mundo” atire a primeira pedra.

Em Suma

Mas voltemos aos ingredientes da bomba brasil. A revolução industrial portanto somada aos erros estatais gera esse momento ou ambiente que chamo de Pré-revolucionário. Ou mais precisamente o primeiro fator agravada pelo segundo entra virá uma bomba social pela inabilidade do terceiro de lidar com ambos. Este é o que chamo ambiente revolucionária que depende agora só de uma faísca para explodir.

O STF e o fim da Lava Jato

O fim da Lava-Jato não é o fim do mundo que se apregoa-se pelos velhos motivos moralistas, mas pragmaticamente pelo quê e sobretudo quem ela vai pegar se não for parada. Por isso se tornou a batalha central de uma guerra, onde todas as autoridades envolvidas foram sendo obrigados a dobrar as apostas até colocar todas suas tropas.

Fukoyama que se foda: o fim da história termina somente com o auto-sacrifício e redenção do próprio Cronos e seu renascimento espiritual quando liberto do seu corpo-máquina

Da nova geração e revolução

Dito desta forma parece que este renascer é até espiritual ou metafisico, e não deixa de certa forma de o sê-lo. Mas na verdade não precisa de nada disso, nem de idealismo nem materialismo histórico para ser compreendida. Essa não é ideológica mas simplesmente histórica. As classes medias quando não se sente mais parte da casa grande, quando mesmo odiando os escravos é sempre ainda que involuntariamente revolucionário quando se sente jogada na senzala.

Uma Crítica

Claro que posso estar apenas projetando a minha vontade de mudança. E isso esteja me induzindo a fazer uma previsão na qual uma probabilidade minuscula esteja superdimensionada. Mas eu também sou uma probabilidade ridiculamente minuscula e posso garantir que existo, e ainda atuo neste plano.

Não nego portanto o contraditório. Ao contrário neste caso até prefiro estar errado no que prevejo. Mas infelizmente ao que tudo indica o STF tem o rabo preso e se acha uma casta tão inimputável quanto a própria classe política. E se isso for verdade. Se eles vão mesmo se unir (se é que já não estão definitivamente presos) corporativamente aos que deveriam ser presos então a revolução popular e constitucional não é apenas um anseio utópico mas uma necessidade urgente para quem não quer nenhuma retrocesso ou intervenção até mesmo militar.

Apenas imaginem que nessa guerra agora dentro do próprio poder judiciário o STJ e STF comecem a ter não um ou outro membro denunciado, o que por si só já é gravíssimo, mas a grande maioria deles? O que seria do dia seguinte? Como se reorganizaria o Estado? Como se faria restauraria a democracia? Como se findaria como o foro privilegiado sem findar essa desigualdade de direitos e autoridades? Como se acabaria como acabar com a impunidade e o foro privilegiado sem a acabar com a desigualdade de autoridades?

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.