Não foi só a Democracia. 7 de Dezembro de 2016: Morreu a Nova República

Hoje será lembrando pela história como o início da história do Brasil. Guardem essa data: É a data oficial da morte da Constituição de 88.

Como um parente, muito doente, você sabia, talvez não quisesse acreditar, mas já sabia, ela estava moribunda, mas eis que hoje vem a notícia oficial: a República do Brasil está morta.

O obituário da República diz que a morte foi por causa de uma infecção oportunista, resistente a todos os remédios jurídicos. A verdade é que morreu de infecção aguda e generalizada, em todos os poderes. Uma infecção que já roubava sua vida faz tempo. A menina nasceu doente. Mas era forte. Viveu a vida inteira combatendo essa doença maldita herdada dos seus genitores, crias e criados da Ditadura. Até que por fim não resistiu, morreu às 20 horas de 7 de Dezembro de 2016 aos 28 anos de idade.

Dizem que não resistiu a perda da sua irmã gêmea, a democracia. Morta da mesma doença infecciosa. Alguns meses antes.

Não há mais corruptos no governo, mas a corrupção como o Estado Novo, o novo regime de governo. Não foi aberto um precedente para que todo cidadão desobedecesse uma ordem judicial do supremo. É claro que não. Você continuará sendo preso. Mas ele que tem os magistrados, na mão. Ele que tomou de assalto as outras, o poder judiciário. Ele e sua corte, não. Ele e as dinastias que representam nunca. Lava-Jato? Está claro aonde e em quem a Lava-Jato vai parar, ou melhor ser parada. E é muito antes de chegar nos barões ladrões da elite paulistana do PSDB e sua mídia, não. Não vai passar nem dos coronéis do Nordeste. Quanto mais chegar aos verdadeiros reis do Brasil, que nem moram no Brasil e nem são brasileiros e que esses coronéis, doutores e barões pagam vassalagem.

A República morreu.

É claro que isso é uma forma de romantizar esse puteiro, mais cagado e fedido que banheiro público masculino. Romantizar essa senzala e esses eternos hipócritas escravagistas. A república coitada, nunca teve liberdade. Filha escrava. Nasceu em cativeiro. Como todas as anteriores nunca foi livre, nunca teve poder de nada. Sempre foi currada e espancada. E só servia para mostrar para gringo trouxa, maquiada para esconder as marcar o quão civilizada era o homem brasileiro com sua esposa, a república. A coisa pública e a sociedade que ela representa sempre foram tratadas como animais de curra e abate. Tudo o que nós vemos hoje e nos indignamos do que é feito conosco com nosso bem comum, era o que era feito com nossos pais e mães e os pais dos pais deles.

Não mudou absolutamente nada. Não precisamos nem ir muito longe na história para ficar só nesta república mesmo, Renan foi lançado por Collor. Ministro de FHC. Base de Sustentação e aliado de Lula e Dilma. E agora, não preciso nem dizer. Tudo de podre já estava lá. Não foi um acidente trágico. Foi uma morte, anunciada premedita de uma república sequestrada, violentada, e estuprada no carcere desde de sua primeira infância. O espelho da nossa vida social. Mas agora ela está morta.

Isso não foi a morte da justiça, nem da democracia, foi a morte da República. Uma coitada currada e toda arrebentada, que mal consegue ficar de pé. Mas há uma linha que foi cruzada. Entre o estado extremamente precário de direitos, e o estado de exceção de direitos. Foi aberto o regime de exceção para consolidar uma persona que representa um grupo, uma classe política no poder, o nome disse é golpe de estado, o que se instaura a partir disso é regime de exceção. E os órgãos e instituições que temos estão morto. E se não forem enterrados, não vão apodrecer e feder e contaminar como doentes, mas como restos de cadáveres.

Hoje não há mais nenhuma coisa pública, ele é e foi toda privada. Do governo, ao congresso, judiciário temos três poderes que executam, legislam e julgam em causa própria, aliás julgam é um eufemismo, eles não advogam em causa própria. Temos reconhecidamente por jurisprudência duas classes de cidadania: os governantes inimputáveis enquanto forem governantes, e o resto do povo. Povo não, plebe, e não é mais em sentido figurado.

Repúblicas das bananas onde? Repúblicas dos abacaxis… e no rabo.

Não senhores, esse não foi o julgamento de mais um corrupto, foi o julgamento do dono do puteiro que mandou a justiça tomar no meio do cú, e ela foi, toda feliz e sorridente desfilando imponente com o abacaxi do Renan entalado no meio do seu rabo preso, enfiado até as entranhas. E ai de quem falar mal do seu bandido, ou do adorno tropical no rabo. Abacaxi do Renan no rabo é a nova peruca e toga. Saber jurídico é secundário, mas o abacaxi no cú é imprescindível. Tem que saber enfiar com magistralmente se quiser ser ministro do Supremo. Renan, e o abacaxi continuam rolando soltos, preso vai você que falou do rabo (preso) deles.

Não não é engraçado. Você foi empalado com coisa bem pior. Nem os mais perversos ou idiotas acham graça em ser empalados quando o rabo é o deles. Minhas palavras são aviltantes, porque isso é aviltante. São escarniosas, porque isso é um escarnio. São revoltantes, porque isso é revoltante. Só há uma coisa mais séria do que a morte da democracia. É a morte da República.

A democracia cai quando perdemos a igualdade dos direitos políticos. A justiça quando não temos igualdade de direitos penais. Mas e a República? A República só cai quando a própria desigualdade de poder politico derruba a própria justiça. É tão grave o que ocorreu hoje porque abre espaço até mesmo para uma ditadura. Eu sinceramente quero que estes imbecis covardes e vendidos do STF não conspiram por isso, quero crer que eles não sabem o que fazem.

Sim, para nossa desgraça eles abriram oficialmente o espaço para um golpe militar ou coisa pior ainda. Porque até mesmo uma República pode ser governada por ditadores. Mas um feudo não pode ser governado senão por tiranos. Ditadores são despostas mais fracos que os tiranos. Não reclamam a nação como sua possessão, mas eles como os representantes absolutos da nação. Tiranos são despostas que não reclamam e não representam nada, mas são donos de tudo. Não representam o povo, representam descaradamente a si mesmos e exigem a obediência da plebe ao seu poder de mando, porque eles não são os representantes totalitários do povo, eles são os donos do povo que não passam de gado. Nazistas e fascistas desumanizam o outro, o estrangeiro. Escravagistas do naipe de Calheiros e sua gangue, desumanizam ao seu próprio povo. E por isso podem ser vetor para o levante do que há de pior na humanidade como reação a tamanha humilhação.

A constituição foi rasgada, o contrato social rompido pelos 3 poderes. Neste momento não é só o Senado e a Presidência que são ilegitimas e portanto estão vagas e suas decisões são nulas. É a própria presidência da Justiça. E isso não é uma ferida que se fecha, um buraco que se remenda ou se cola. Confiança e credibilidade, legitimidade sobretudo institucional não é uma coisa que simplesmente se conserta. Os primeiros filósofos políticos escolheram bem suas palavras: o Estado não é uma máquina, é um corpo e quando ele perde seu espírito republicano e democrático ele morre.

A república e democracia queriam crescer, amadurecer e emancipar, tornar-se adulta, deixar de ser violentadas por esses malditos patriarcas, ela se levantou se afirmou, gritou por independência. Saiu de casa e foi às ruas. Foi lutar por justiça e liberdade. Foi assassinada. Foi assassinada por quem a mantinha refém, em carcere e violada e ainda se dizia seus guardiões legais.

A sociedade brasileira agora está órfã. Está por conta própria. A presidente do Supremo tinha razão. Era o Democracia ou Guerra, República ou Golpe. Eles escolheram o Golpe e a guerra. A nós que somos sociedades de paz, não temos direito nem ao luto. Resta-nos nada menos que derrubar esses tiranos como o somos, pessoas e sociedades de paz que somos completamente diferente e em oposição a eles. Chegou a hora da verdadeira resistência e solidariedade. Aliás quer queira ou não, pelo jeito vamos todos ter que aprender a resistir e nos solidarizar. Se não quisermos acabar como nossa República.

E tem gente que ainda se acha livre e branco no Brasil. Livre e branco para quem, neguinho? Cala a boca e vai trabalhar vagabundo!! Porque depois de morto você se aposenta.

Shiiiii…..e fala baixinho quê se Sinhozinho ouvi, manda os capitão do mato te pô no tronco.

Image for post
Image for post

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store