Itália: Tudo isso é medo da Renda Básica ou do M5S mesmo?

Quando a chance de perder o poder é real, eles entregam os anéis. Mas nós não queremos nem anéis, nem os dedos.

Image for post
Image for post

http://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2016/07/italia-lanca-bolsa-familia-para-combater-pobreza.html

Precisaram perder Roma, para os “paraquedistas” que eles ridicularizavam do partido do Bepe Grillo para cair a ficha. A democracia representativa está derretendo e não adianta tentar colar as partes podres que estão caindo. Nunca é ruim uma conquista social. Cada bandeira fincada no rabo do velho Estado Liberal é sempre uma vitória, desde que não se caia na armadilha e deite-se na cama que eles preparam. A assistência como estratégia politica anti-libertária, e processo de freio a projetos de emancipação que avançam porque surpreendentemente (para eles) venceram nas urnas.

Image for post
Image for post

Por isso já adianto os limites de abrangência do programa assim como todo sua metologia serão ditados pelo propósito politico e não qualquer principio humanitário. Evidentemente isso é uma previsão e pode estar errada. Mas basta ler as entrelinhas e ver como, o programa mesmo sem todos os controles (por enquanto) do nosso Bolsa-Família já demonstra seu proposito o oposto a abolição de qualquer escravidão assalariada. Como busca salvar o sistema com um programa de compensação que continua a renegar a renda como direito universal derivado do bem comum, e desta forma tentando sustentar a essência do dogma mantido pelo estado “democrático” liberal, ou se preferirem uma terminologia clássica, burguês, a permanente expropriação.

Me arrisco a afirmar, que mesmo na fase de inserção plena das crianças, se ela vier mesmo a ocorrer, a renda jamais será provida como garantia a vida sem controle estatal correspondentes a inserção deles no mercado de exploração do trabalho quando atingirem a idade adulta.

O Estado sabe que não basta o fato deles continuarem expropriados do capital, eles precisam se certificar que controlam os dados e a formação dessas crianças.

Mas é justamente por conseguir arrancar tudo de gente deste naipe aqui…

que não consegue a proeza de ser chupa saco de quem sustenta seus privilégios até mesmo se precisar defender a escravidão que já é reconhecida como crime, é justamente isso que faz dessa boa nova uma grande notícia e uma conquista ainda maior!

Aliás a matéria está nascendo no Brasil uma nova forma de ignorância, uma especie de negacionismo do escravagismo. Temos uma nova geração negacionistas do (seu) racismo que a imagem dos negacionistas do holocausto, que cruzaram a linha da desonestidade intelectual. São radicais fundamentalistas do nosso supremacismo arcaico.

Garantias humanitárias nunca são feita pela vontade política tradicional, mas como uma marca que se faz contra a vontade daqueles que viram a casaca do seu credo- enquanto não puderem retomá-lo com força total.

Por isso todo avanço em direção a renda básica do mundo não deve jamais deixar de ser apoiado e reconhecido, sem ufanismo e com toda a critica que é devida, mas jamais podemos menosprezar qualquer garantia de renda ainda que venham com armadilhas para serem desarmadas. Especialmente quando esse avanço promete reconhecer o direito incondicional ao menos das crianças de fato a vida.

De qualquer forma ainda que sem liberdade garantida para a vida adulta, o direito de não morrer ou ser explorado por falta de meios para subsistir, é o mínimo de humanização que esse sistema de exploração industrial poderia fornecer e também o máximo. Porque para além disso teremos universalização de direitos, e o fim desses sistemas que já morreram e não vêem. O programas de transferência de renda condicionada a pobreza e inserção no mercado neoliberais são tanto a assinatura de carbono de um sistema obsoleto que está morrendo, quanto sua sentença de morte frente a evolução libertária da humanidade.

Vai demorar mas a gente chega lá:

Desde que não sejamos tolos e saibamos que isso não é liberdade garantida nem de todos, nem dos adultos que elas se tornarão, nem sequer é um passo em sua direção ou uma graça desses bondosos líderes. Desde que não nos esqueçamos o quão a contragosto eles entregam seus anéis, e o quanto ainda temos a reconquistar, podemos enfim apreciar essas vitórias como uma força para mantermos a resistência nas nossas próprias frentes de batalha:

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store