Eleições Gerais e Nova Assembleia Constituinte? Com essa mafia politica no poder conduzindo??? Adivinha o que vai sair disso…

Sarney, Renan, Lula, FHC, os Capos di tutti capis reunidos para se indultar e poder firmar um novo pacto social. O que vai sair disso? Uma assembléia constituinte tão legítima quanto a constituinte do Maduro. A mais nova velha república dos ladrões do Brasil.

Renan Calheiros, no Facebook, explicou o que está sendo armado no Congresso Nacional:

“Precisamos construir uma saída na Constituição que garanta eleições gerais em 2018 e Assembleia Nacional Constituinte. Fora disso é o imponderável. Tenho convicção que o presidente compreenderá seu papel e ajudará na construção de uma saída”.

Uma assembleia constituinte convocada por essa mafia politica, depois de colocar mais um fantoche quer indultar e anistiar todos os criminosos políticos prestes a ser presos? Não se engane, isso não é um pacto social é um acordo entre os mafiosos da política legalizada para virar a mesa e começar o jogo de novo do zero, com eles ainda dando as cartas sem sequer sair do poder.

Isso não é a saída para o Brasil. Mas a deles. Eleições Gerais e Assembleia Constituinte só fazem sentido se eles não estiverem no comando delas. É repetir a farsa da finada “nova republica”. Trocar a fachada do sistema para contrabandear todo o lixo político da ditadura como se fosse uma nova democracia. Aliás não adianta nem vir com caras novas, outras marionetes para dar continuidade ao mesmo sistema. Ou removemos essa casta criminosa de uma vez por todas e acabamos com todos os privilégios jurídicos que eles se deram de presente para si mesma, ou o que teremos é exatamente a reinvenção do mesmo como se fosse novo.

Ou fazemos dessa assembleia constituinte a proclamação de fato de uma republica do povo, para o povo e pelo povo, regida enfim por uma verdadeira democracia direta e não uma aristocracia de representantes eleitos dos poder disfarçados de servidores públicos. Ou vamos passar por tudo isso novamente, e não se surpreenda que num prazo muito mais curto do que os míseros 30 anos de vida desse último falso pacto social. Pacto social como a palavra diz é firmado pela sociedade pelos cidadãos e não por atravessadores intermediários, que dirá então por renomados sequestradores e traficantes da coisa pública.

Uma coisa é uma republica se corromper e perder sua legitimidade outra é já nascer podre corrupta e ilegítima. Não basta escolher quem serão constituintes entre pessoas que não pertence a essas gangues. O povo precisa deter de fato o poder para definir a agenda da constituinte, não basta pressupor que ele tenha esse poder por direito, nem muito menos se dizer que o que será feito será feito em nome dele. É preciso que o povo tenha o poder de fato para definir não só quem vai escrever, mas o que deverá ser escrito e o que será aprovado depois de escrito como lei. Sem isso não é enfim uma nova constituição nacional, apenas outra assembléia constituinte dos seus ladrões da nação.

Uma constituição pode e deve, se for ser legitima, legislar de acordo como os direitos da pessoa e vontade popular. Pode e deve proteger a soberania do povo como sociedade. Mas não tem como instituir esses poderes e direitos de fato na canetada. Pois é preciso que o cidadão já detenha o poder de fato sobre seus poderes de direitos para esses cidadãos empoderados e livres constituam seu contrato de proteção destes direitos como poderes e liberdades.

Em outras palavras sem que os servos e escravos não se libertem primeiro dos seus antigos mestres e senhores, jamais poderão em sociedade se fazer mestres e senhores da sua terra e destino. Sem primeiro se livrar dos usurpadores da sua soberania não tem como celebrar o contrato social de garantias mútuas sobre liberdades e poderes que de fato não possuem. Possuem de direito mas não de fato. Não enquanto o ladrão ainda ocupar as suas casas.

É preciso colocar todos os usurpadores fora. Reaver de fato o que é bem comum por direito. E ai então como os verdadeiros donos da sua coisa pública decidir como verdadeiros cidadãos livres e iguais em autoridade decidir quais as regras de paz e convivência que vamos assinar. Quais direitos e deveres sociais vamos assumir para defender e manter para preservar essa verdadeira republica democrática.

Não temos tempo para reinventar a roda. Não precisamos. E não podemos. O que é preciso ser feito é nos livrar dessa corja de uma vez por todas. É um crime jogar a constituição fora para salvá-los. Não há como estabelecer a soberania popular com aristocracias, não há como fazer reformas, emendas constitucionais ou novas constituições com eles no poder. Se precisamos de uma nova assembleia constituinte não é para jogar os direitos do cidadão fora, mas os privilégios criminosos que eles enfiaram dentro. E estabelecer os dispositivos constitucionais de soberania popular que restituem a soberania à sociedade e impede que novos projetos de poder tomem de assalto nossas terras e instituições.

Novas eleições, novas leis e assembleias constituinte só fazem sentido se for para colocar de uma vez esses bandidos fora do poder como classe politica usurpadora e instituir de forma permanente a soberania cidadã sobre uma nova republica via democracia direta. Fora isso é mais um engodo. O velho plastificado e maquiado. A ditadura milenar dos mortos e mortos-vivos sobre vivos os que vão nascer e os que vão morrer sem poder viver nem sobreviver.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store