“Desvio de dinheiro público é genocídio” e não é nem mais eu que está dizendo…

Ayres Britto diz que bandido número 1 é o corrupto

“Os assaltantes do erário são os meliantes mais prejudiciais à ideia de vida civilizada. […] O dinheiro que desce pelo ralo da corrupção — sistemicamente, enquadrilhadamente — , é o que falta para o Estado desempenhar bem o seu papel no plano da infraestrutra econômica, social, prestação de serviços públicos, educação de qualidade, saúde. O assaltante do erário, no fundo, é um genocida. É o bandido número um.” — Ayres Britto, ex-presidente do STF

E complementa:

“E não quero dar uma de avestruz”, declarou o ex-ministro. “Não se pode cegar jamais para o fato de que a criminalidade de massa pressupõe desigualdade social aberrante.”(…) — Ayres Britto, ex-presidente do STF

Não menos enfática é a denuncia da transparência internacional desta cadeia destrutiva da corrupção-desigualdade-violência:

Corrupção e Desigualdade Social

A desigualdade se reflete em vários âmbitos: da distribuição de contratos em licitações, ao eliminar chances da concorrência entre empresas de diferentes portes, à qualidade dos serviços públicos, que acabam negligenciados devido ao desvio de recursos.

A concorrência desleal, criada com compra da exclusividade para a realização de uma obra pública, tem ainda efeitos no crescimento e desenvolvimento de um país. De acordo com Brandão, sem a competição para estimular a melhoria da qualidade e a busca pela excelência e eficiência, a tendência é a degradação de infraestruturas.

“O desastre da infraestrutura no Brasil é fruto de um ambiente completamente controlado por cartéis e corrupção, o que gera um impacto enorme no desenvolvimento econômico e, por conseguinte, na distribuição das riquezas, por meio dos serviços públicos”, ressalta o especialista.(…)

Corrupção e violação de direitos humanos

A ONG também vê uma ligação entre os altos níveis de corrupção no poder público e a violação de direitos humanos, e cita com exemplo os recentes massacres em prisões do país.

“O caso dos massacres em presídios, que ocorreram no início do ano, é um exemplo chocante de como a corrupção viola os direitos humanos. Uma tragédia como essa só pode ocorrer através da corrupção em vários níveis, a começar pelo descontrole total em relação à entrada de armas dentro de penitenciárias até o envolvimento de governantes com o crime organizado”, ressaltou Brandão.

E no Brasil? Bem fora uns poucos loucos que conheço, o resto insiste em repetir mantras do século passado, outros até do retrasado…

Também há o problema de dívidas da classe média. Se você tem um emprego, mora em algum lugar mas carrega uma dívida no cartão, no banco, etc., isso é diminuído de sua “riqueza”, aumentando o número dos “mais pobres” do mundo.

Existe desigualdade. É um problema real. Mas as pessoas ao redor do mundo estão sim ficando mais ricas, ganhando em qualidade de vida. A educação parece ser o fator mais importante para tirar as pessoas da pobreza.

Eu acho bem bizarro que a mídia saia repetindo a mesma coisa todo ano sem se dar ao trabalho de ler o relatório. Depois reclamam que ninguém mais lê jornal ou que todo mundo se informa pelo Facebook.

Bora fazer o trabalho de casa, porque o mundo não é tão preto e branco.

Já nem importa só preguiça intelectual ou se esse pessoal se acha mesmo muito esperto e bem informados, o fato é que enquanto eles só pensam em continuar fazendo seu trabalho encabrestados não percebem que até mesmo seu trabalho amanhã será tão obsoleto e ultrapassado quanto é hoje sua própria visão de mundo. Mas enquanto nem esse nem o outro futuro chega, o atraso, a desigualdade, corrupção e violência vão ficando… e depois cagalhão sabe-tudo não sabe porque morre de medo até de se comprar pão sozinho no boteco pé do lado de casa. E o pior que não são só eles que se cagam de medo do povão que aina não aprendeu a comer livro nem fazer fotossíntese. Esse povo que é a tem tudo a ver com os Stones e não sabia…

Enquanto isso no vale do silício a preocupação deles parece ainda coisa de outro mundo… Até o pessoal do Y Combinator está experimentando as novas soluções para problemas de um futuro próximo. Ao menos o futuro bem mais próximo para eles.

Não que a falta de empregos não sejam problemas que também não tenhamos. Ou que a desigualdade, pobreza e violência sejam aqui desde sempre piores. Mas é que as causas dos problemas deles são diferentes. As causas dos problemas deles são um luxo que sequer ainda tivemos como o privilégio de conhecer como solução: automação e inteligências artificiais. Prazer. Renda Básica.

Renda básica? Mané renda básica…

Vai falar dos riscos sistêmicos da automação e inteligencia artificial… vai falar da necessidade de rendas básicas como algo inevitável na era do capitalismo da informação para um legítimo administrador do século passado da moderna empresa e industria brasileira para você ver…

Pior vai falar da necessidade de automação e inteligencia de qualquer tipo para um legitimo administrador de engenho que você encontra em qualquer setor do brasil, do privado ao governamental…

“Robôs? Inteligência Artificial? Pra quê? Se temos uma população inteira de escravos prontos para serem convencidos a trabalhar até morrer? Máquinas para quê? Se a vida no Brasil não vale nada?”

Pois é. Foi com uma cabecinha desta que o Brasil foi pego na última revolução industrial, leia-se também do trabalho, e que fez nossa tão bruta quanto fragil economia escravagista rural sossobrar junto com seus navios de tráfico negreiros… literalmente. Bombardeados e afundados pela vanguarda da civilização, abolicionismo e revolução industrial da época: o Império Britânico. É claro que com todos os escravos acorrentados dentro.

Guardem o que eu digo, se esses administradores de engenho e senzala estiveram ainda no poder no Brasil, pode demorar 10 ou 100 anos para a escravidão assalariada ser extinta nos países desenvolvidos que não vai fazer a menor diferençam por aqui você ainda vai encontrar os filhos dos filhos dos filhos dos donos de escravos, em suma os brancos, ainda falando na volta do “pleno em emprego”.

E quer saber de uma coisa? A nossa burguesia temos que dar ouvidos a nossa burguesia ela tem razão. Eles falam com a propriedade de quem conhece o problema na carne. O maior problema do Brasil não é o racismo é a ignorância mesmo. É inegável, a ignorância de quem da nossa “elite” produtiva atrasada em todas as áreas supera não só o racismo mas todos seus preconceitos mais arcaicos somados juntos.

E pensando nisso já nem sei o que pior? Se não não termos jamais atingido esse ideal de civilização estrangeiras, que de ideal nunca teve nada ou se é o fato dessas civilização estrangeiras estarem ficando cada dia mais parecidas como a realidade fantástica onde pobreza e riqueza caminham juntas mas ainda sim apartadas por preconceitos e claro muros que escondem o mundo de um dos de outros. E vice-versa.

Mas se há uma coisa que a história ensina é que não importa quanto tempo eles fiquem de pé, muros foram feitos apenas para uma razão na humanidade: serem derrubados. E seus restos grafitados para nunca mais nos esquecemos o quê na história não deve se repetir.

Epilogo

Muro, plenos empregos… tentando olhar as coisas por um ponto de vista positivo, quando essa baboseira todo arrebentar nunca ficará tão evidente o que precisaremos fazer e que deviam ter feito como depois dela… Não sei quanto a você mas a mim não serve de consolo. Essa lição eu sinceramente preferia que a humanidade não precisasse aprender de mais uma vez por tentativa e erro.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.