Chegou a hora: Governe-se.com

Do movimento à plataforma de e-Democracia

Image for post
Image for post

Recentemente uma notícia me chamou a atenção. Notícia que em si é tão ou mais importante do que a prisão ou afastamento desses gangster, populistas e demagogos travestidos de políticos profissionais.

Vale a pena ler:

Pode parecer pouco, mas garanto para vocês na qualidade de quem tem conhecimento de causa dessas revoluções silenciosas e produtivas. Esse pequeno gesto é tanto o sinal de uma profunda mudança na cultura social quanto é em si um campo gerador dessa transformação.

Pessoalmente considero até muito mais do que isso. O surgimento dessa singularidades, são justamente o que tenho esperado e trabalho por.

Permitam-me explicar.

Desde final de 2012 o ReCivitas vem desenvolvendo uma nova plataforma de e-democracia. Mas essa plataforma é um tanto quanto diferente. Governe-se.com é mais um livre mercado social do que propriamente apenas um canal de governança paralelo ou de conexão com o cidadão com o poder público. Uma rede onde as comunidades e sociedades livres podem encontrar e financiar democrática e diretamente as soluções sociais que tanto precisam sem precisar ficar implorando para quem as rouba- e vive de vender problemas e promessas, ao invés das soluções.

Logo, muito me entusiasma a iniciativa de autogestão dessa comunidade porque o Governe-se.com foi desenhado para facilitar a viabilização, multiplicação e integração de iniciativas como estas em rede.

Mas afinal funciona essa rede:

Basicamente é uma plataforma de crowdfunding triangulado, onde:

1. A comunidade entra com a necessidade: por exemplo construir a ponte.

2. Organizações, lucrativas ou não, apresentam a solução com orçamento. Por exemplo empreiteiras, bancos, seguradoras e escritórios de advocacia apresentam seus serviços para concretizar e garantir o empreendimento.

3. A comunidade via democracia direta vota qual a melhor solução ou pacote delas.

4. O crowdfunding é aberto a toda rede contribuir para que a solução social eleita seja concretizada.

Estamos portanto nos propondo a disponibilizar um site não apenas de busca e integração entre a demanda de quem necessita de serviço sociais e quem tem o conhecimento e a capacitação técnica para concretizar a solução, dentro das normas de segurança (que não devem ser confundidas com as burocráticas). Mas de escolher e buscar o financiamento coletivo da melhor solução eleita ou até mesmo um conjunto agregado delas. Permitindo que todos os serviços necessários desde o financiamento até a proteção jurídica sejam integrados.

Por exemplo, os serviços jurídicos. Eles podem ser fundamentais para proteger a ação social e a comunidade contra retaliações politico-governamentais. Mas também podem ser prestado para mover ações populares que busquem o ressarcimento dos custos dos empreendimentos. Pois embora constitucionalmente tais ações não sejam só um direito cidadão mas uma responsabilidade social, também são antes de tudo uma obrigação estatal, que se arrecada para quê, afinal?

Uma pergunta retórica. Porque na prática sabemos que tais serviços são necessários tanto para garantir que procedimento não seja impedido ou interrompido pelas por prerrogativas governamentais, quanto prevenir acidentes e incidentes de modo que o Estado não encontre as desculpas que procura tanto para quebrar a mobilização civil quanto justificar seu monopólio que não faz não deixa fazer e se deixar persegue quem faz.

Por isso agora que a sociedade quer ir de encontro a essa solução, estamos correndo para colocá-la no ar o mais cedo possível.

O governe-se.com hoje ainda está em fase Beta. Isso significa que ele está praticamente pronto, mas não está aberto ainda ao grande público. Por isso convidamos a todos que queiram utilizar a plataforma como testadores beta que entrem em contato conosco, para fazermos os últimos ajustes. E desde já começarmos a colocar as novas necessidades na agenda das suas futuras atualizações.

É importante ter em mente que nesta fase de testes o acesso ao banco de dados não será completo, nem a rede durante esse período estará promovendo o financiando coletivo de qualquer demanda. Mas estará sim aberta a teste de parceiros e apoiadores que quiserem conhecer melhor como ele funcionará.

Para as organizações e ativistas e investidores sociais interessados em começar a interagir com essa plataforma ou fazer parte desse empreendimento social o contato é o mesmo:

Lembramos que os códigos continuam abertos sob a licença robinright para quem quiser desenvolver outras plataformas ou incorporar nossa solução dentro das suas.

Porém agora mesmo quem não tem conhecimento de programação poderá se associar a nós nesta rede ou se apropriar dessa ideia para criar a sua, se assim preferir.

O importante é que a época da política feita de jokers e bandidos, jogadas de marketing, promessas falsidade e politicagem, está chegando ao fim, é a hora do ativismo social.

Governe-se. Ou melhor, governe-se.com

Esse é o site para quem já quer ter começar a experimentar a versão beta (limitada) da rede.

Já para se quem quiser se associar a nova fase de desenvolvimento dessa nova ferramente de democracia direta digital entre em contato conosco: recivitas@gmail.com

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store