Este artigo é uma crítica política composta de três “cartas abertas”: a esquerda, direita e a todos. É importante saber que eles já vinham sendo escrito a alguns dias, e por ser longos estavam já ficando velhos. Mas dada a infinita capacidade do governo em se complicar, renovada está a pertinência da publicação da autocrítica agora.

Os artigos foram escritos durante o tresloucado “interdição psiquiátrica da Dilma” que fala da anarquia do Capitalismo de Estado no Brasil. Contudo, depois das manobras no ministério da Defesa, parece mesmo que nem as maiores loucuras conseguem superar o realismo absurdo reinante. E dada a gravidade que o decreto sugere, desde estupidez à paranoia, passando por descarada sabotagem e conspiração, mais incredulidade e incerteza que só fazem retroalimentar mais paranoia, conspiração e histeria ainda prefiro não ser nem irônico. Afinal mesmo que não seja sabotagem, autogolpes ou contragolpes contra eventuais impeachment, bem ou mal orquestrados, mesmo que não seja nada absolutamente nada, decretos não são lugar para trote. Isto não foi brincadeira e a pessoa que adotar a postura clássica do brasileiro de rir das suas desgraças, não poderá reclamar depois se for tomada mais uma vez por corno e idiota. Há de haver no mínimo explicações, e convincentes por favor. O “me engana que eu gosto” não vai funcionar.

Até eu que já pedi pra os militares não obedecerem e não atirem contra a população que protesta não consigo acreditar. Não quero acreditar em aparelhagem tão insensata, desastrada ou tão descarada. Prefiro dar o benefício da dúvida, supor por hora a estupidez de subalternos. Não sei. Sinceramente, o que foi que aconteceu? O que é que vocês estavam pensando? Será que tem gente dentro do governo com desejos inconscientes e reprimidos de uma volta da ditadura? Desejos sadomasoquistas de derrubar ou ser derrubado?

E não venham cortar a cabeça dos mensageiros. Há despostas que pensam que quem alerta é inimigo, e quem se cala e esconde não trai. Calar ou enterrar a cabeça na terra, não faz as pessoas não verem o que você não vê, não quer ver ou tem raiva de quem fala. Esclarecimentos urgentes sobre o episódio, por favor. E sem julgar as pessoas por sua medida. Não subestimem pela enésima vez a inteligência do povo.

Ou não? Será que também estou ficando paranoico? Será que é tudo o contrário? Dizem que, um perfeito idiota mesmo se amarrado por um tempo infinito a um piano não é capaz de compor uma sinfonia. Pode até ser verdade, mas a de convir comigo é impossível que ele não acerte nada, nem que seja um único acorde ao acaso É, talvez o idiota maior seja eu que subestimo a inteligência dos lobos: não há esperteza maior do que aquele que se disfarça de tolo ou pastor para devorar as ovelhas. Não sei quanto a você, mas cada vez mais uma frase de Nelson Rodrigues não me sai da cabeça, algo do tipo tanta merda assim não se improvisa.

Conspirações? Onde? Quem? Imagina! Melhor deixar para lá. Como pude duvidar da honestidade e sanidade deles. Quem eu penso que sou? Com quem eu penso que estou falando para cobrar explicações? Esquece. Eles não são loucos, são santos. Eu sou louco, por não saber nem depois de velho me por no meu devido lugar. Melhor eu voltar pro meu mundinho das minhas cartinhas abertas: Eis a primeira.

Carta Aberta a Esquerda

Ao que parece quanto pior melhor mesmo. Quanto mais absurdos escrevo menos críticas recebo. Será sintomático? Entretanto, como ausência de críticas é para mim mau sinal, ou como diz um parente muito próximo o que gosto mesmo é de sabotar, vou voltar pro meu velho estilo habitual: chato, prolixo e as vezes ranzinza que, embora repulsivo para muitos me livra da simpatia fácil de gente que não prezo, gente que por sinal tenho apenas em comum o desprezo pela classe política. Mas sei que para a maioria deles sua repulsa é apenas seletiva, mas circunstancial.

Às vezes dá até a impressão que o PT assaltou a Finlândia e não o Brasil. Mas esse assunto como assunto já deu, o que deveria agora vir são ações, que aliás vão vir de um jeito ou de outro, seja como consequência delas seja como consequência da falta delas. Todo mundo está vendo onde a coisa vai dar. Ou melhor, já deu. O golpe não vai ser dado, já foi dado. E a questão não é nem se fica ou se sai, mas quem e o quanto ele afundou da esquerda e do Brasil, com ele ainda dentro ou mesmo fora do planalto.

A esquerda, a autoritária mesmo, aquela cheia de ambições políticas e eleitorais, ou ela acorda e derruba a quinta-coluna deste governo, mesmo que o próprio governo seja a quinta-coluna, ou vai acabar não naufragando junto com ele. Seja no próprio navio do governo seja em qualquer bote de fuga. A esquerda que se acomodou e acha que é mais seguro ou correto deixar que a direita faça o serviço sujo, cometerá um erro histórico porque quem for o protagonista irá ocupar não apenas as ruas, mas todos os espaços públicos. A presidente que hoje é tratada como pessoa impossível de ser responsabilizada por seus atos, daqui a pouco será tratada como pessoa inimputável se preciso for, para escapar da justiça. Parece que de fato não há limites. Eles derreterão não apenas as contas do governo, a economia do país, ou o que restou da sua dignidade pessoal para salvar suas aspirações de poder, mas toda a esquerda.

Se a esquerda não for capaz de traduzir a indignação e revolta da população e permanecer nesta imobilidade defendo o indefensável, revogando o irrevogável, indo e voltando, voltando e indo ao sabor do desgoverno do governo, se não se colocar o mais rapidamente possível não contra a direita sim, mas ao lado do povo e contra o governo que já está junto não da pequena direita, mas da grande direita. Se não acordar a tempo vai ser entregue junto como o povo por este governo traidor, a verdadeira direita que não é a pequena burguesia como se fosse apenas os anéis do ditador, e não os dedos.

Sei que a esquerda com pretensões estatais, nunca viu o mundo em três dimensões, mas o Estado e o Mercado que nunca estiveram verdadeiramente em campos opostos, agora mais do nunca estão juntos contra a sociedade e cada vez mais acima da base da pirâmide social, devidamente aliados para socializarem todos seus prejuízos à custa dos povos — e sejamos justos: isso não é Brasil, é mundo.

Sei que a esquerda autoritária não é utópica, é “científica” e se move de acordo com seus planos e projetos de poder, e não por ideais. Mas até do ponto de vista do pragmatismo e oportunismo político e eleitoreiro, já passou não da hora, mas do século de entender que a balela de que o Estado representa o povo não cola mais para o povo. Sobretudo quando um partido se julga o representante de um povo que eles consideram ignorante e que precisa ser guiado por sua inteligência, e dá-lhe Mercadante e ignóbeis, contabilidades criativas.

Não sei, o país vai explodir por causa da competência e patriotismo dos nossos políticos ou pela abnegação e humanismo das nossas elites empresariais. Não duvido que eles consigam pôr uma pedra em cima de tudo e o país volte a ser exatamente tudo como era antes e talvez, você pensa melhor que se explodam então. O problema é que eles não vão se explodir, mas nos explodir. Os terroristas e sequestradores são eles, e o resgate vem em forma de tributo. E, ou você liberta os reféns, se livra dos sequestradores ou paga o resgate, mas saiba que político é o tipo de sequestrador que nunca devolve o refém, ele sempre pede mais.

Se você não liga então para inocentes, quem liga para eles? A velha direita? A esquerda no poder?

Quem deveria estar agora, neste momento tomando a frente para defender o povo contra não apenas o governo, mas toda a classe política, cortando de fato na carne é a verdadeira esquerda. As pessoas comprometidas com a justiça e paz, as pessoas que historicamente defendem os direitos fundamentais das pessoas acima de qualquer ideologia ou estatuto de legalidade ou propriedade, mas espere um pouco, acho que o nome disso não é mais esquerda, mas libertário. E muitos destes estão sem nem saber do que falam a direita. Mas muitos outros sabendo muito bem dos princípios fundamentais que defendem dento de uma direita libertária mais próxima hoje das aspirações, sobretudo morais do povo que a da esquerda autoritária e reacionária ia.

Sim reacionária. Outro dia, ouvi que povo é ignorante ingrato mesmo, não sabe reconhecer quem tanto fez por ele. Pois é o discurso do bom patrão, na boca da esquerda que se achava o pai e mãe dos pobres, e que agora está toda despeitada, com o “conservadorismo” da população pobre brasileira. Ah, meu amigo o mundo dá voltas, mas não se iluda nada fica de ponta cabeça, são só os opostos que se encontraram e não traem suas origens de classe. Coxinhas e caviar no fundo se odeiam por que são a face de uma mesma moeda. Troquem os papeis e eis que surgem os reacionários de esquerda e os terroristas de direita. Mas pobre que é pobre não tem tempo livre, nem nunca teve direito a manifestação. Porque pobre tem necessidade e quem tem necessidade é revoltado sem causa, é preciso ter berço, universidade para ser um criminoso político e não um bandido comum.

Seria até engraçado se não fosse trágico. Todo governo é sempre um caso perdido, até mesmo para quem não é libertário. Ou a esquerda se redefine pelos princípios e não mais pelos fins, ou vai viver os próximos anos batalhando para deixar de ser a sombra do que é: o capacho do populismo que não tem outro lado senão o seu, porque assim como a base da pirâmide não tem ideologia, mas carestia, o topo da pirâmide só tem um lado: o oposto de todos que abaixo os sustentam. O oposto da base.

Governe-se.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store