BBC Brasil: “A lucrativa indústria da detenção de imigrantes nos EUA”

E “O que são os ‘passaportes dourados’ e como funciona seu multimilionário mercado”

Image for post
Image for post
Um dos “centros de acolhimento” de crianças da organização “não-governamental” e “não-lucrativa” Southwest Key

BBC Brasil:(….) No que diz respeito às crianças, as administradoras de centros infantis ficam encarregadas do alojamento e atendimento, enquanto a custódia fica a cargo do Departamento de Saúde e Serviços Sociais (HHS, na sigla em inglês) — que no último ano fiscal destinou US$ 958 milhões para a manutenção dos espaços de acolhida para menores migrantes.

Esses espaços são diferentes dos centros de detenção, já que têm de oferecer salas de aula, serviços de saúde física e mental, espaços de recreação e serviços de reunificação familiar.

Administrativamente, esses lugares de acolhida dependem do Escritório de Reassentamento de Refugiados (ORR), que aloja atualmente cerca de 12 mil crianças nos EUA, inclusive as que foram separadas de seus pais no momento da imigração.

Embora muitos espaços de acolhida sejam geridos por instituições sem fins lucrativos, não escaparam da polêmica nas últimas semanas.

Um dos focos das críticas foi a Southwest Key, ONG sediada no Texas que nos últimos anos se tornou uma das principais instituições de acolhida no país — tem hoje 26 centros, com capacidade para abrigar 5 mil crianças.

O caso mais famoso é o da Casa Padre, construído no espaço que antes abrigava um supermercado e que conta com 1,5 mil leitos.

Enm 2018, a Southwest Key receberá US$ 458,6 milhões do HSS, elevando para US$ 1,5 bilhão o total de seus contratos com o governo federal na última década, segundo os registros do próprio HHS.

“Nosso crescimento é uma reação direta à chegada de crianças na fronteira”, explicou Alexia Rodríguez, vice-presidente da organização, ao New York Times.

No entanto, documentos tornados públicos indicam que o fundador da ONG, Juan Sánchez, teria recebido em 2017 um salário anual de quase US$ 1,5 milhão — o que faria dele o quinto diretor de ONG mais bem pago dos EUA, segundo a organização CharityWatch.

“O chefe da Cruz Vermelha dos EUA recebe um salário de US$ 600 mil, e é uma ONG que gerencia centenas de milhões de dólares, controla a metade dos bancos de sangue e atua em situações de catástrofe. O orçamento dessa ONG (Southwest Key) é um décimo do da Cruz Vermelha”, afirmou Daniel Borochoff, presidente da CharityWatch, à emissora CNN. -A lucrativa indústria da detenção de imigrantes nos EUA

Agora o outro lado da mesma moeda, ou melhor do mesmo negócio: a venda de cidadania pelos Estados-Nações.

O que são os ‘passaportes dourados’ e como funciona seu multimilionário mercado

(…) A ideia é simples: investir grandes quantias em um país em troca de cidadania ou residência nele.

E programas do tipo existem em países cujos passaportes abrem muitas portas, como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.

Negócio em expansão

Os passaportes dourados se converteram em um negócio que movimenta bilhões de dólares no mundo anualmente.

“No Reino Unido, por exemplo, se você investir US$ 2,65 milhões (cerca de R$ 10 milhões), adquire permissão de residência e, depois de alguns anos, consegue o passaporte britânico”, explica Nuri Katz à BBC Radio 4.

Países como Espanha e Grécia também adotaram esse modelo migratório durante o auge de suas crises econômicas, na tentativa de atrair investimentos estrangeiros e fomentar o mercado imobiliário local.

Um programa do tipo também ajudou a ilha europeia de Malta a aumentar sua arrecadação em US$ 465 milhões (R$ 1,7 bi) no período de um ano, afirma a agência Henley&Partners, que organizou o sistema de concessões de vistos maltês.

Malta tem um lucrativo programa de concessão de vistos por investimento, mas que está na mira do Parlamento Europeu

(…) em alguns casos, quanto maior a quantidade de dinheiro investida, mais rapidamente chega a documentação. No Reino Unido, por exemplo, os US$ 2,65 milhões dão direito a um passaporte após cinco anos; já com US$ 6,3 milhões, o documento é obtido após três anos e, com US$ 10 milhões, em apenas dois anos.

Porta para a corrupção?

Fora os questionamentos morais, há também críticas à possibilidade de os passaportes dourados servirem como porta de entrada (ou de lavagem) para dinheiro de origem ilícita.

“As regulações não são suficientes e são usadas em favor de quem quer escapar das consequências de atividades ilícitas ou corrupção”, opina Rachel Davies, advogada do escritório britânico da organização anticorrupção Transparência Internacional.

No Reino Unido, é o chamado “Visto de Investidores Camada 1”, e a lista de quem os obtém é secreta. Mas um caso polêmico acabou chegando ao público: é o de Mukhatar Ablyasov, cidadão do Cazaquistão que foi diretor de um dos bancos mais importantes de seu país, o BTA.

Até que uma auditoria descobriu um rombo estimado entre US$ 5 bilhões e US$ 10 bilhões de dólares nos cofres da instituição.

Ablyasov fugiu do Cazaquistão e se refugiou em Londres, pedindo asilo político. Foi morar no bairro de Mayfair, uma das regiões mais caras e exclusivas da capital britânica.

Seu filho adolescente, Madiyar, obteve um passaporte britânico pelo programa de “cidadania por investimento”.

Isso despertou suspeitas de que o governo britânico teria aceitado dinheiro de origem ilícita. Após uma longa investigação de uma agência privada que rastreia ativos ao redor do mundo, foi aberto um processo judicial.

Ablyasov agora é alvo de um processo judicial no Reino Unido. Ele fugiu após ser condenado e hoje vive na França. -O que são os ‘passaportes dourados’ e como funciona seu multimilionário mercado

Há um buraco na investigação dos crimes contra a humanidade. Se nos crimes das pessoas comuns, os investigadores não se contentam enquanto não descobrem quem ganha com isso, nos crimes cometidos por estatopatas, aceita-se a loucura como rótulo e arquivasse o caso. Quem ganha com isso e quais são as motivações por trás dos motivos? Follow the money. Porque mesmo onde o dinheiro não é a principal motivação dos criminosos contra pessoas, povos, gêneros, ou classes, a contabilidade permanece; porque no mundo desses psicopatas nada é de graça e tudo tem um preço, e nem mesmo o genocídio é exceção a lei que rege esse mundo, por isso, enquanto houver demanda vai haver oferta. -Complementando

Como eu disse, a piada não é era uma piada.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store