A gestão do Brasil é um acidente? Não, um crime doloso. E seus condutores tem que responder por seus atos como qualquer cidadão.

E aí, vamos esperar de novo algum jornalista gringo ou algum tem algum aqui com coragem para perguntar na cara: Presidento Temer você é cúmplice ou incompetente?

Se a gestão do Brasil fosse um acidente seria já um crime de homicídio culposo, onde aqueles mesmo que conduzem a máquina mesmo não tendo a intensão de provocar os danos respondem os riscos pela sua incompetência e irresponsabilidade. Porém começa a ficar mais claro que muitos dos co-pilotos dessa tragédia sabiam que estamos assumindo muito mais do que riscos. O que coloca muito deles sabiam que o acidente iria acontecer, e acidente que sabe com razoável certeza que vai ocorrer não é acidente. É crime doloso, e o agente que tem obrigação de impedi-lo não é só omisso, mas cúmplice, e quando seus autores são ainda agentes do estado ou pior elementos que deveriam não apenas estar sob a custodia e vigilância do Estado. Isto é crime muito, muito mais sério e perigoso contra a sociedade e o próprio Estado. Mas eis que temos o famoso problema quem vigia os vigilantes? Se os criminosos em questão são os comandantes em chefe, os comandantes máximos tanto do Estado quando, da Policia Federal como estas poderão investigá-los?

Que Moraes sabia, e muitos outros sabiam no mínimo dos riscos iminentes.

Que as facções iam e o pior de tudo vão continuar se matando dentro e fora dos presídios…

Tudo isso são mais do que suspeitas razoáveis para derrubar qualquer um, e iniciar imediatamente uma investigação o mais independente possível. Contudo agora a bomba já explodiu. E tudo isso como todos os demais problemas urgentíssimos do pais vão ficando para um segundo plano, e até mesmo um segundo momento. E aqui entra o jogo maior de interesses. Uma vez deflagrada a violência é necessário a intervenção. E em torno de como ela se dará será determinante para todo o futuro do Brasil, nossa democracia, nosso estado de direito, nossas liberdade e sobretudo a nossa civilidade e humanidade que vão se perdendo e sendo esquecidas no meio caminho, junto com as causadores originais de todo esse problema, junto com todo a trupe de criminosos políticos que aproveitara o caos e o terror e ódio disseminado para escapar fingindo-se de vitima e até mesmo de mocinho dessa trama muito mal contada.

Não se deixe enganar, não há crise, não há guerra, não há tragédias ou acidentes que alguém não esteja apostando, bancando e lucrando politica e economicamente e não só oportunisticamente como abutres e hienas, mas como os gestores públicos e privados de crime legalizado como desgoverno institucionalizado. Na verdade há. Mas estes são as verdadeiras tragédias e acidentes que não podem ser calculadas previstas e portanto evitadas, e logo os seguros não cumprem.

Você já imaginou, se o Estado tivesse que indenizar cada pessoa que a ação gestão omissa ou criminosa dos governantes produzem de tragédia? E não estou falando só das pessoas mortas sob a custodia, não estou discriminando absolutamente ninguém se tivesse que indenizar cada brasileiro, policial, servidor público e cidadão pelos danos causados por seus condutieries?

Você pensa, (e com razão) que ia sobrar para o contribuinte pagar mais essa conta. Eles cometem os crimes, as omissões e as irresponsabilidades e quem é você que é a vítima!!! Mas e se ao invés de você pagar, eles e aqueles que são os verdadeiros sócios e investidores do nosso Estados tivessem que pagar por isso? Se os capitais que investem que ganham muito dinheiro com a administração publica e privada do nosso patrimônio nacional tivessem também que responder financeiramente como co-responsáveis pelos danos causados por seus CEOs, sejam eles governantes vendidos ou empresas transnacionais?

O empresário e o cidadão que não é subsidio jurídica e financeiramente pelo Estado responde pelos danos causados pelos seus negócios e arca com os prejuízos. Somente as corporações que são tentáculos dos estados-nações tem o privilegio dos estados de não falir, de não responder por seus crimes. De transferir a conta e a responsabilidade para a sociedade.

OK, talvez você discorde, e diga que não que a responsabilidade não é deles é mesmo da sociedade e nós temos que arcar com o ônus dos nossos maus governos, estados, e péssima gestão dos patrimônio e serviços públicos. Certo, que arquemos com nossas responsabilidades que são de fato nossas. Mas porque nós ficamos com as responsabilidades, as obrigações e prejuízos e eles ficam com os poderes e direitos de propriedade e rendimento?

Ora, quando se subtrai nossas patrimônio particular ou comum, isso tem um nome: roubo. Mas quando somos obrigamos a ficar nessa lugar por não ter como sair e manter com o nosso trabalho o lucro e usufruto alheio desse patrimônio roubado isso tem outro nome: chama-se carcere e com trabalho forçado. Ou simplesmente escravidão… politica e econômica, mas pode chamar de “cidadania”.

Por isso que eu digo, nada mais estupido que um ser humano alienado de seus humanidade, de sua irmandade, a esquerda que comera a morte de policia, ou a direita que comemora a morte de bandido, quando eles são bucha de canhão numa guerra onde as balas perdidas vão acertas a cabeça de alguém de ou seu filho numa esquina qualquer, outro acidente, outra fatalidade, daquelas que os cálculos atuariais e seguradoras são capazes não apenas de prever, mas de precificar o preço de uma vida, ou mais precisamente da idiotia da alienação do homem pelo homem.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store