Ao Sul do Equador o problema não é o futuro, é o passado mal resolvido

O agronegócio, escravidão e o mito do bom brasileiro

“Porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata
Mas com gente é diferente”

É diferente? Então vai explicar para eles…

Só tem um problema, essa gente é tão ignorante e hipócrita que nem sabe, não quer saber e tem raiva de quem sabe para sequer se estabelecer um debate:

O Brasil não é um país de racismo velado, é um país negacionista de racistas tão ignorantes e dissimulados que se fingem “gente como a gente” quando querem se vitimizar e depois veste de novo seu capuz branco quando chega a hora do abate.

Os mesmos cristãos praticantes que querem ver os petistas presos e presidiários decapitados, finge que não vê quando a mesma justiça e polícia toca as feridas abertas dos crimes dos seus bandidos de estimação.

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,padilha-e-acusado-de-grilagem-no-rs,10000093262

Nossas pontes para o futuro são pinguelas para o passado, armadilhas pronta para arrebentar e nos derrubar a todos nas valas comuns de ódio que eles estão cavando para enterrar, de novo, a humanidade em todos os cantos do mundo.

E nisso o Brasil sempre foi primeiro mundo. Na arte do cabresto, não importa se o governo é de direita ou esquerda, nossos autoritários e bandidos de estimação sempre foram mestres. Não importa para onde os ventos da liberdade e humanismo soprassem no mundo a nau brasileira sempre se manteve a deriva nas ondas mais reacionárias e autoritárias dos ódios mais primitivos, sempre pronta a encalhar na primeira crise.

Sempre feliz por desempenhar o papel de senzala do mundo e comer, com governantes e grandes empresários que não passam de feitores comendo nas mãos dos donos da nossa terra, encrostados como vermes no Estado criminoso e corrupto e no capital que o corrompe de bom grado.

O custo Brasil não é meramente o dá corrupção. A corrupção é a graxa dessa máquina. O que a alimenta é carne, é o lombo principalmente o da sua gente. Mesmo o empresário que se acha urbano não consegue competir por um simples motivo, não acredita na liberdade nem em seu sentido mais conservador o liberal. Da padaria, passando pelo cartório, dos serviços públicos as empresas, os capitalistas brasileiros pensam como seus antepassados racistas e escravagistas. Preferem ter empresas, serviços públicos ineficientes burocráticos e custosos, mas que mantenham o povão na rédea curta. Morrem de medo da liberdade e de uma pretocracia mais do que Simon Bolivar. Nossos liberais são mais bolivarianos que os chavistas e tão burocráticos e hierarquistas quanto os mais bolcheviques dos comunistas.

Seu ódio que é o irmão mais velho do medo do seu próprio povo, supera qualquer interesse até mesmo os mais egoístas, preferem ferir a sua própria dignidade humana.

Enquanto na Alemanha o governo alemão manobra entre a terminologia “genocídio” e “holocausto” para não ter que indenizar os descendentes das vítimas, aqui os herdeiros desse capital e donos dessa história sequer saíram da retórica do século XIX e XX pré-guerras mundiais! Por aqui nossa mídia e politica idiota e idiocrática ainda prega genocídios, etnocídios com a mesma naturalidade dos seus ancestrais que também a época se achavam o must do progresso, civilidade e civilização. Justificando com a mesma retórica e ideologia que levou o higienismo e eugenismo em nazismo na Europa: a desumanização do outro.

A esquerda autoritária continua pagando pau para qualquer ditador supostamente “não-alinhado”… dos bolcheviques aos fascistas do trabalhismo. A direita não fica para trás seguindo o mesmo caminho e ensaiando o resgate e ressurreição das suas ditaduras de estimação. Disputando em sua contabilidade absurda tem o melhor balanço entre crimes e genocídios versus desenvolvimento social econômico promovido. Como se um fosse um efeito colateral inescapável do outro, ou pior como se esses males fossem a fonte geradora de todo suposto bem que propagam!!!

Dos revolucionários sanguinários às ditaduras militares ao coronelismo dos latifundiários escravagistas e até os condes e barões ladrões tupiniquins. Tudo farinha do mesmo saco, que utilizam exatamente através da mesma estratégia: a negação e falsificação da história para se sustentar, para nossa desgraça simbiótica e alternadamente como projetos hegemônicos de poder, ou polos e fases alternadas do mesma máquina estatal.

Libertário seja a esquerda ou direita, não compra esse falso conservadorismo e progressismo. Esse falso liberalismo ou revolução. Progressista e revolucionário que pede cabeça dos outros para tomar a coroa, quer tudo menos a libertação do povo. E conservador ou liberal que pede e acha natural a exploração e escravidão alheia não é libertário nem aqui nem em Marte. É reacionário e autoritário.

Revolucionário e progressista que vem com seus líderes e salvadores da pátria e projetos a tira colo tem nome e referência histórica: quinta coluna ou bolcheviques.

Conservador e liberal dentro de regime ultrapassados, racistas e que flertam abertamente com higienismo, extermínio em massa e trabalho escravo disfarçado de emprego também tem nome e endereço: nazi e fascistas.

Deixe o libertarismo de um princípio simples e gerais de ética e conhecimento a saber não-agressão; livre associação, relações consensuais ser reduzido e submetidos ao autoritarismo das ideologias e falsidade ideologia dessa desonestidade intelectual demagogia, haters e submarinos de preconceitos e interesses de classes, partidos e políticos e veremos acontecer com esse movimento como todas as promessas de libertação que já passaram sobre a Terra, do liberalismo, ao socialismo, até cristianismo e outras religiões, veremos o libertarismo virar uma palavra não apenas vazia mas a máscara da pregação do oposto de tudo de fato que é e na prática faz. Em outras palavras não mais um ideal, mas mais uma uma ideologia. E dela a completa ignorância e idiotia a ponto de produzir coitados de tão confusos perguntar se Trump não é libertário?

É lógico que ele é. E eu sou Jesus Cristo. A Terra é Plana. Hitler não era um genocida. O agronegócio é lindo. Temer, Renan, Alckmin e Lula são probos. O PT ainda é a esquerda do Brasil. O Doria Junior “é gente como a gente”. Você tem tudo a ver com o Mike Jagger. O Olavo de Carvalho não é o Alborghetti da “filosofia”. Os Civitas e os Marinhos querem tudo de bom pra você. E a menina estuprada pelo pai é filha do espírito santo.

Ah e claro o crime da Samarco e o Massacre nas Penitenciarias são só acidentes tenebrosos, como as passarelas do rio, o mêtro de São Paulo. E depois estudiosos não sabem porque tanta gente está pirando, “umhhhh só pode ser aquela novela da Globo. maldito Antônio Fagundes…” “Não seu esquerdista, é do PT.”

Para que ficar perdendo tempo? Você é de direita então coloca a culpa nos pretos? Ninguém liga, sempre funciona. Você é de esquerda? joga toda culpa nos americanos? Não tem merda que acontece no mundo que o governo deles não esteja metido mesmo… Agora não quer desagradar ninguém, joga a culpa nos portugueses, joga a culpa no Cabral!!! Eles estão cagando e andando. porque ao contrário da Namíbia, se cobrarmos indenização pela escravidão e colonização, pela expropriação forçada de trabalho e riquezas do povo brasileiro, não é nos cofres de portugueses que vamos encontrar o produto desse roubo.

Há uma diferença clara entre as colonizações germânicas e anglo-americanas que tem evidentemente muita ojeriza pela miscigenação e “impureza racial” de nós os promíscuos filhos de nossos pais genocidas e estupradores europeus com nossas mães índias e negras. Uma generalização e portanto como todas falsa, mas muito mais verdadeira como o arquétipo do mito da formação do povo brasileiro de que esse mito de um eterna festa e carnaval santificado pela igreja católica.

Ou em outras palavras nossos antepassados podem não ser tão eugenistas quanto os nossos irmãos no norte, mas também o foram. E o foram até mais genocidas e racistas que eles.

A cultura brasileira sempre foi antropofágica, patriarcal até em seu racismo machista, onde hoje esses filhos muito deles bastardos de negros, brancos e índios, põe e tira essa máscara quando lhe convém. Ora se vendendo como nativo pra inglês ver, e europeu caído no inferno dos trópicos para seus serviçais. Como vítima quando perseguido e autoridade suprema quando dono da bota que pisa no pescoço do outro.

Buarques de Hollanda e Jobins, Cardosos e afins vendem se como representante de uma negritude, de uma condição de não-branco que os operários italianos e espanhóis trazidos por nossos monarcas e ditadores para branquear, higienizar nossa população escura demais, bárbara demais até para servirem como empregados. E onde enfiaram então a antiga mão-de-obra escrava das casa grandes e senzala, agora preta demais para servir nos sobrados e mocambos?

Você tá de brincadeira né? Vai esperar o senso da Dona Carminha para descobrir? Ou o sinhozinho Alckmin e seu jagunço careca (perdão aos carecas) terminar o serviço? escapar da Lava-Jato e tomar o poder como sua republica penitenciária em todo Brasil?

Acorda gente, esse santo de bobo não tem nada. Enquanto o governo federal que era oposição em São Paulo tentava usar a crise hídrica para redirecionar os protestos na Paulista contra o Palácio dos Bandeirantes ao invés do Planalto. Ou para evitar o motim nas bases sociais devidamente ocupadas com esse outro fronte inimigo. O “mardito” não só usou a crise criada, como surfou na própria propaganda da oposição para fazer aprovar obras em caráter emergencial (leia-se passando por cima de um monte de entraves ambientais) e hoje ainda empresta para o Nordeste suas bombas para colher mais frutos eleitorais.

Esse aí, sabe como ninguém tirar proveito dos bodes na sala, que os outros colocam quando não ele mesmo, sozinho ou em PPP- parcerias público privadas.

Conclusão…a velha esquerda não está caindo apenas porque é corrupta, afinal ser honesto não é um atributo que nenhum politico tradicional possa afirmar possuir inequivocamente hoje em dia que dirá o monopólio então. Logo, está caindo porque a corrupção a deixou burra, tão burra quanto todo mundo que se acha muito esperto e pode levar vantagem em tudo pode ser. Não só passou a menosprezar adversários e (falsos) aliados, seus comparsas como continua a menosprezar a inteligencia da população, tentando ainda se vender ora de vítima e ora de salvadora da pátria que ajudou a enterrar viva. E nisso entre petistas bandidos e presidiários decapitados vai se acomodando os velhos coronéis e bandidões de sempre, vão passando desapercebidos enquanto se acomodam de novo nos seus feudos e troninhos.

Pois é, em política não existem aliados e amigos de verdade, porque com opositores e adversários como estes quem é que precisa de aliados de verdade ou amigos honestos?

E tem idiota comemorando a barbárie. A história não se repete, para o povo ela simplesmente nunca muda. Vida de gado, é foda viver para ser abatido e devorado por essas pessoas na sala de jantar… é foda se achar um povo muito esperto que acha sempre que está almoçando os outros quando está sendo sempre jantado. E dá-lhe antropofagia, dá-lhe novela da Globo.

Como a palavra Zé Ramalho e seu “admirável gado novo de 1979…

Parte integrante da trilha sonora da “Novela o Rei do Gado”, Copyright. Som Livre. Todos os direitos reservados.

E nisto a fazenda Brasil vai voltado as mãos dos seus antigos feitores, agora sob “nova” direção:

Nova?

Image for post
Image for post
Fonte: Superinteressante. (Considerando que é uma publicação da esquerdista Abril é quase como eles por eles mesmos. ou seus pretos da casa.

Bem talvez você diga que os tempos mudaram, e que isso são águas passadas, mas o que vale para João e José também vale para John e Joseph ou pelo menos deveria… Só agora falta agora explicar para eles…

Aproveita e tenta explicar para esses aqui então…

Talvez não seja mais possível só o diálogo, mas simplesmente tentar criminaliza-los, cala-los e fingir que o ódio racial morreu e só existe literalmente vela-lo. Esse não é só um erro do insipiente humanismo brasileiro, mas uma replicação do humanismo mundial. Não adiantou julgar, prender ou executar nazis em Nuremberg nem proibir a disseminação da sua propaganda. Ou acabamos com o mal da discriminação, segregação entre todos os seres humanos não só como culto a cultura da violência simbólica mas antes de tudo como prática da violência de fato como monopólio politico e econômico da privação do direito da vida e liberdade para todos. Ou vamos ver o amor ao próximo, fraco, hipócrita e comercial, ser mais uma vez engolido pelo mais puro sincero e venal ódio contra o outro.

Tentar deter o avanço do autoritarismo, sua propaganda e racismo com mais autoritarismo, mais hipocrisia e falsa igualdade, liberdade e solidariedade não é somente um atentado contra os princípios fundamentais, mas um erro estratégico fatal para a humanidade.

“a marginalização não representa insignificância.”

“Ainda na retrospectiva dos “anti-semitismos” que aqui presenciei de alguma forma, depois de Ilan Halimi e dos demais atos relacionados ao universo imigratório que praticamente não se integrou à sociedade francesa, foi impossível não lembrar da extrema-direita. Personificada no candidato à presidência que, nas últimas eleições, chegou “por acidente” ao segundo turno, Jean-Marie Le Pen, a extrema-direita francesa hoje é uma constelação de grupelhos assustadores formada por historiadores revisionistas, ex-membros da extrema-esquerda, nacionalistas anti-europeus, xenófobos, homófobos, anti-islâmicos, anti-semitas e outros mais. O partido que representa essa fatia do eleitorado francês, o Front National (FN), forma uma coligação no Parlamento Europeu com a neta de Benito Mussolini, Alessandra Mussolini, com romenos hostis às minorias ciganas e belgas separatistas (extremistas flamands) — a “Identidade, Tradição e Soberania”. Esta assustadora aliança européia é liderada pelo euro-deputado francês Bruno Gollnisch, também uma das principais figuras do Front National, condenado pela justiça francesa por “contestar a existência de crimes contra a Humanidade” ao questionar o número de mortos nos campos de concentração nazistas e a existência de câmaras de gás.

Meu maior contato com a extrema-direita se deu quando um escritor francês aliado a Le Pen foi expulso de uma feira de livros, em minha universidade, pelo próprio reitor, auxiliado pela polícia. O reitor justificou a ação dizendo que a presença do escritor e de suas idéias não eram bem-vindas no estabelecimento, o que acabou por reforçar ainda mais minha impressão de que a extrema-direita é consensualmente repudiada pelo establishment político francês. Todos os grandes partidos nacionais são unânimes em relação à condenação do Front National, situação evidenciada nas últimas eleições presidenciais, quando Chirac obteve uma vitória esmagadora, no segundo turno, contra a extrema-direita. Mas, novamente, a marginalização não representa insignificância.”

Outras referências:

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store