A lei da Ação e Reação Natural e a Propaganda Governamental

Ou de como a propagação da falsidade ideológica (não) se torna crime de responsabilidade

Neste artigo de retrospecção, usando principalmente a aviação como estudo de caso(ou quase isso), assim como a saúde e o meio ambiente como exemplos paralelos, o leitor poderá verificar como governo é capaz de aparelhar politica e estupidamente uma área necessariamente técnica da vida civil e produtiva até conseguir fazer dela quase um problema econômico e até militar.

Causas

Notem os sempre mui inimigos e mui amigos PMDB cúmplices de golpes como governistas, cúmplices de golpes como oposicionistas, e cúmplices e golpistas ao mesmo tempo dos dois lados estão sempre na parada.

Consequências

Ora balões são um perigo constante no Brasil, não só a avião mas ao meio ambiente, por isso mesmo que precisamos ficar atentos ao fator novo que passa ser o determinante. Não foi o povo que ficou idiota de uma hora para outra e começou a resolveu soltar balões sem nenhum responsabilidade. Foi o controle sobre as áreas de maior risco e periculosidade que se perdeu.

Impactos econômicos

Notem que com isso de cara os custos do serviço sobem. E por consequência virão os aumentos de custos ao consumidor.

Não adianta por cupinchas e pelegos até em organismos interacionais. Pessoas ordinárias só rasgam dinheiro ou comem coco se ameaçadas. E seguradoras privadas não costumam seguir pareces que se obtém facilmente em troca de cargos ou dinheiro, por um motivo simples, falência.

Todo mundo sabe que seguradoras não são as empresas mais virtuosas, nem as mais comprometidas com sua razão social, mas não serão logo elas que tem nos cálculos de risco e probabilidades toda a ciência do seus ganhos que vão jogar fora seu lucro certo por uma ganho eventual. Aliás não é preciso nem de matemática para que pareceres de quem tem interesses outros tem grandes chances de estarem errados, e esse tipo de erro para quem não conta com fontes ilimitadas de arrecadação nem da proteção legal para cometer crimes de responsabilidade não tira só a credibilidade, leva a falência e a cadeia.

Notem os dois erros clássicos da esquerda autoritária na sua falta de consideração pelas causas e consequências que levam da soberba a estupides e da estupides ao risco de desgraças.

O primeiro deles é típico da velha esquerda achar que por não ter compromisso social ou visar o lucro uma empresa é bandida, e se bandida é de uma bandidagem ordinária e estupida que perseguindo o lucro a todo o custo vai se autodestruir. Faz tempo que a própria corporativismo leu e absorveu a economia marxista com muito mais atenção que o revolucionário de bar, e ao invés de se autodestruir pelas contradições do sistema tem se reinventado seus sistemas de exploração enquanto a esquerda reacionária mal entende ou quer entender como funciona os mais básicos princípios de negociação voluntária- e não estou nem falando das comerciais.

O segundo é típico dos autoritários em geral: achar que toda a credibilidade deriva da autoridade como título ou imposição e não reconhecimento. Nisto não só as empresas, mas até mesmo o crime organizado guarda resquícios de uma ética baseada em confiança e reciprocidade do que os governos autoritários, e logo não é de se surpreender que muitas quadrilhas tenham uma contabilidade mais confiável e eficiente que a governamental: não gasta mais do que arrecada; e não inventa números para se enganar achando que está engando todo mundo. Até porque o capitalismo de mafia só não é mais selvagem do que o de guerra e o preço para esse tipo de erro nestes mercados extremamente competitivo é literalmente capital.

Riscos de Acidentes e Acidentes

E não aumentam o risco de graça, porque os riscos de acidentes e os acidentes realmente não apenas aumentam, mas eventualmente vão acontecer.

O Estadista é como um motorista bêbado.

Ele sabe que tudo que ele faz, e não faz, a frente da condução da máquina implica risco e responsabilidade e eventual culpa quando o desastre ocorre, mas ao contrário do motorista ele detém o poder para classificar o que ocorre como acidente, e não só se eximir de todas responsabilidades, julgamentos, mas se necessário for ocultar as provas.

O governo não detém apenas o poder econômico mas a restrição dos direitos de tal modo que pode restituí-los conforme seu interesse. Neste caso concedendo de forma compensatória como se estivessem a tomar providências enquanto garante que tudo tenha sido um acidente, e, é claro, negocia o livramento de todos os responsáveis.

Não é só uma máquina de propaganda fingindo consternação pelo mal que provoca ou permite, se passando até mesmo por vítimas dos danos, mas é também a máquina que se juíza de tudo até que possam depois acobertarem e acomodarem tudo voltar a condição original : de protagonistas e cúmplices dos crimes.

Qualquer imagem e semelhança com o poder econômico ordinário não é mera coincidência, em breve a culpa será da verdadeira vítima:

E ela ter que vai dar graças a deus por ter de volta seus algozes operando:

E se você pensa que acabou, mas que nada, a agora vem a outra parte, tão nauseante quanto:

Lucrando politica e economicamente com seus crimes e desastres

Na Economia

É a teoria das janelas quebradas, do bode na sala ou das bombas no oriente média, ou a crise dos bancos de 2008, ou simplesmente capitalismo de Estado que não é invenção de russos, chineses, nem petistas, mas made USA mesmo:

Socializa-se os custos e privatiza-se os lucros seja da exploração, pilhagem e destruição ou reconstrução. Note-se portanto que os PIB não se fazem só recolocando as janelas quebradas, mas quebrando tudo, desde quem pague seja a população e quem lucre sejam as corporações. Esse é o tipo de distribuição e desenvolvimento que o Estado-Nação foi criado para espalhar sobre a Terra.

E quem pensa que o Brasil só participações politicas e econômicos com direito a lucros e dividendos em desastre “natural”. Olha a gente exporta mais do que commodities aí:

Perdão pela fonte, mas a reportagem original não existe mais.

E quem pensa que só exportamos bucha de canhão e cartucho ou importamos caças pense duas vezes:

Mas o tópico não era sobre econômica? Sim querido, economia política ou se preferir estato-privada. E como diria o libertário americano a guerra é a saúde do estado.

Da política

Image for post
Image for post

Agora sim entra a máquina de propaganda, ou de como ainda vão ganhar votos com os perigos e mortes que causam.

Ah, a esquerda autoritária pode não entender nada de economia nem de bandidagem macroeconômica, mas na propaganda falsa e 171 em gente pobre eles são Phd. E nisto a direita manja tanto e sente tão segura quando andar a noite na Estrada de Paranapiacaba sem número.

Claro que os esquerdistas de palácio acham que entendem de tudo, ma nisto não foram idiotas para usar esqueminhas de propina e extorsão de prefeitura e sindicato em lavagem de usinas hidrelétricas, para isto até eles chamaram os profissionais, que sabem roubar em larga escala especialistas como Delfim Netto, e profissionais do ramo como o PMDB.

Ao que parece a direta também resolveu reconhecer o “talento” para a falsidade ideológica na propaganda governamental da esquerda, e resolveu usar dos préstimos dos especialistas em comunicação e fraude de dados dos seus antigos comparsas. E veja isso pelas lentes da “comunicação de esquerda”:

Toda organização tem seus especialistas, e com a classe política não é diferente: a trairagem do povão, vender gato por lebre, dessa ópera do malandro quem entende é a esquerda.

Image for post
Image for post

E tem gente que ainda acha esse saber uma “arte”.

O segredo é negar tudo e colocar a culpa do fez ou do que você pretende fazer nos seus adversários. Se eles são reais ótimo, joga-se a culpa neles. Se eles não exitem inventa-se, e quando o povo não se satisfizer mais só como os inimigos e problemas e doenças imaginárias, sem problema fabrica-se os bem reais. Dane-se as leis econômicas! Controle o poder e você sempre terá lucros se puder externalizar custos ou impor produtos e servições meios e valores forçados. Você só perde se matar o burro de carga e secar a terra.

E sim no final da história eles sempre matam o burro ou o elefante.

Mas não sejamos pessimistas as vezes temos alguns finais felizes da história neste plano existencial mesmo:

Mas não queimemos etapas. Antes de chegar ao final da história a pergunta que temos a nos fazer é como eles fazem isso? Especificamente? Como eles vendem o inverso da real e legal como legalidade e realidade? Por exemplo, como seria é feito no caso emblemático da aviação?

Desconsiderando essa fase terminal da mitomania do dilmismo, a falsificação ideológica funcionaria mais ou menos assim:

Ora a resposta é: usando a parvice do direitismo, seus preconceitos racistas, supremacistas contra eles. É a tática da defesa do O.J. Simpsons o cara foi pego, não tem escapatória, o que fazer então? Usar não apenas seculos de discriminação, mas uma série de erros motivados por esses ódios para fazer do criminosos a vítima. E notem que quando esses erros de procedimento legal não são hipotéticos, mas comprovados, o cara escapa mesmo.

http://www.aviacao.gov.br/obrasilquevoa/perfil-do-passageiro.php

No caso da aviação a esquerda não só tem os argumentos clássicos que fogem da questão sem parecer ter saído dela, como por exemplo dizer que não herdou nenhuma maravilha, que muito pelo contrário o apogeu e queda do setor se deu sob sua batuta, e blá, blá, blá, como tem argumento melhor e que se não ficou queimado, vai cair como uma luva:

Eles vão usar a inversão das causas e consequências. Generalizando verdades parciais construirão o todo de uma mentira conspiratória

Logo, dado que:

1.Os pobres que deixarão de voar;

2.em decorrência do aumento de preços

3.devido ao aumento de custos;

4.derivado por sua vez do aumento de riscos;

5.Que por vez teve como causa determinante a total falta de capacidade administrativa;

6.Imposta e mantida pela ingerência politica irresponsável;

7. e (não sei porque me vem essa suspeita tão leviana), mas ainda por cima extremamente passível de corrupção.

Eles concluirão:

Que os pobres não deixaram de voar por nada disso.

A verdade ideológica será a seguinte:

A elite revoltada e inconformada por ter ficado tanto tempo fora do poder, que nunca gostou de pobres, que não suporta pobre ao celular, na universidade e no avião. (a generalização de uma verdade)

Resolveu usar seu poder econômico para aumentar arbitrariamente os preço das passagens aéreas e excluir o povão dos aviões e com o apoio da midia olicarquica golpista criaram um clima de caos — que não existe- e que impediu o governo de tomar as providencias necessárias e que pretendia tomar para sanar os problemas (a teoria conspiratória)

Providências estas que passam por um nova regulamentação outra agência ou uma agência maior ainda, mais equipada e forte. (Eis a chave de ouro, a inversão da inversão: a demanda se volta contra o cidadão com mais burocracia e impostos!!! e claro mais cabide de cargos para seus apadrinhados!)

E assim a nave vai… até o motim ou afundar.

Até que eles sejam parado ou a sociedade termine disputando a tapa batatas… ou cebolas.

Os canalhas chamam isso de governo, a história no tempo certo chamará de genocídio. Não importa se feito pelos planificadores comunistas da Rússia de Stalin

ou se pelos lordes liberais da Inglaterra da Rainha.

Pessoas levadas a morte pela fome por politicas econômicas “desastradas” não são acidente, são uma industria e isso o Sertão sempre sou muito bem, mesmo quando ela tinha desaparecido ao menos para inglês ver.

Conclusão

Notem como a falsidade ideológica não é renegam deturpam e frauda a realidade sistematicamente até o limite em os desastres econômicos ambientais e humanitários ocorrem. Mas como ela persiste renegando responsabilidades sem sequer se eximir de suas prerrogativas, culpando a tudo e todos. E até mesmo usando o resultado dos seus crimes como matéria prima para a propaganda ideológica contra adversários.

Só tem uma coisa mais perigosa dos que essa completa falta desonestidade publica e criminosa, é quando eles começam mesmo acreditar por suas capacidade destrutiva que o mundo produtivo é regido por suas políticas econômicas e acham que vão conseguir consertar na canetada os estragos que causam com elas. Destruir e regular é fácil. Difícil é criar e autoregular.

Governo é igual arbitro de futebol. Se aparece mais que o jogo é porque está roubando ou fazendo merda, quando não os dois. Coitado dos arbitrados. Comparação injustíssima. O presidencialismo de cooptação, os governos de compadrio que existe no Brasil desde 88, não é árbitro, é cartola.

Aliás quem diria que nem a bandidagem do futebol um dia iria conseguir encobrir a da política.

Diretas Já?

Sim. Mas não só Eleições... Democracias.

Porque o resto só não vê quem não quer: é Propaganda Política Eleitoral… e obrigatória.

É claro que não. Mas isso é uma outra história e continua aqui…

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store