A jurisprudência de Trump

Das diferenças legais e processuais entre a condição ilegal dos imigrantes e a dos secretários de estado e agentes do mercados —

Qualquer semelhança com nosso “estado de direito” não é mera coincidência

Image for post
Image for post
Nossa que assunto chato Trump e política… de novo? Será que não dá pra trocar o disco? Claro que dá, mas não dá pra trocar de mundo. Só tem um problema. Nos podemos nos calar e até tapar os ouvidos, mas Trump não vai vai fazer as coisas desaparecer, nem voltar a como era antes. E como eu não quero que eles voltem ao que era antes, mas que fiquem melhor, vou então primeiro gastar mais um pouco do meu tempo e do meu verbo, denunciando o que acredito não podemos deixar passar quieto, e depois eu volto para aqueles assuntos superinteressantes que todo mundo adora … sobre renda básica.

Mas vamos lá:

Temos um fato: as novas declarações de Trump, e digamos 2 em geral duas formas como ela foi apresentada:

Uma mais crua e direta, ainda que omissa em relação aos riscos e consequências — do que até então era tratado abertamente como uma perigo desastre e até mesmo como crime:

E outra já mais parcial e desonesta, ignorando completamente tudo e já procurando construir a normalização e minimização do ato:

Se você ficar por exemplo só com a segunda, já vai pensar, ufa, então tá bom, tudo bem não são mais todos 11 milhões de imigrantes ilegais, são só 2 ou 3 milhões. Que progresso. O que são 2 ou três milhões de imigrantes ilegais, nada. Como nada seriam como ficou claro na mensagem do discurso não persigam as minorias, tem o Estado para isso. E quanto aos imigrantes ilegais, eles não são sequer minoria, eles não são americanos, logo não tem direito a nada.

A mais então eu estou defendo quem está na ilegalidade. Não, neste artigo não vou nem precisar entrar na questão do perigo desse tipo de politica policial, nacionalista para direitos humanos e etc… Não vou falar de valores que não existem para esse gente. Porque caso não se tenha percebido, não é por ignorância e desconhecimento sobre eles que eles tomam a suas decisões, mas é deliberadamente desprezando ou até mesmo frontalmente que eles os atacam.

Por isso muito mais perigoso do que ele reiterar que vai o que disse vai fazer. Uma dúvida que só existia para os que saíram do estado vegetativo do me-engana-que-eu-gosto para o apoplético de negação seletiva da realidade. A noticia mais alarmante ainda que previsível é que ele pôs seu Goebbels, o cara do site nacionalista de extrema-direita no topo dos seu futuro governo. Abaixo, lindas notícias de que tipo de conservadorismo é o dele:

E claro para que para sustentar uma coisa dessas decidiu mesmo, seguir mesmo levar sua linha de campanha para o Estado, mandando sinais para os dois lados opostos:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/11/1832053-trump-escolhe-lider-do-establishment-como-chefe-de-gabinete.shtml

Só para você ter uma ideia de qual o impacto disso mesmo para quem dá a mínima para nada disso, o premie de Israel, que não é conhecido por suas posições nem moderadas nem de esquerda, está passando por sentato e acalmando ânimos:

E isso é só um exemplo, um dos mais graves, mas só um da imensurável capacidade de causar instabilidade dessa figura. E ele nem assumiu! Mas voltemos as prioridades de Trump, como ele mesmo disse a deportação de imigrantes e construção do muro. Perdão, em alguns lugares e cercas e imigrantes ilegais. (Que alívio, viu como ele mudou?)

Mas como eu disse não vou bater nesta tecla, primeiro porque não funciona e depois porque não preciso dela para expor essa política. A lógica de Trump, é tão falaciosa e desonesta que você consegue derruba-la até mesmo aceitando as suas premissas mais desumanas. Isto é, você nem precisa ter valores humanistas para chegar a conclusão do seu absurdo, basta apenas aplicá-la com o mesmo rigor e honestidade.

Aceitemos a pressuposição que todos os imigrantes declarados ilegais são criminosos e devem ser presos ou deportados. Tome ela como certa, sem questionar todos seus falhas e riscos. Ok. É clandestino deporta, não é, é criminoso prende. Regra é regra. Então porque o mister anti-sistema desistiu de processar Hillary? E todos os bandidões de Wall Street e Washington que ele também prometeu que iria prender? Eis a reposta em suas próprias palavras:

Evidente que ele não pode mandar prender ninguém sem o devido processo nem investigação. Assim como não poderia deportar. Então se ele considera e reafirmar suas suspeitas como acusações, qual é a base da lógica que determina o destino diferente daqueles grupos que ele decidiu seguir até o fim e fazer cumprir a legalidade e aqueles que ele decidiu não perseguir e deixar impunemente livres dentro da ilegalidade? Supondo novamente que tivesse por direito tal poder que não o tem nem natural nem constitucional, qual é o principio que dentro da mente de Trump permite que o imigrante ou refugiado que atua ilegalmente e até criminosamente seja preso e deportado e a secretária de estado ou os membros do establishment não seja nem investigada e processada se segundo ele (lembre-se) atuam na ilegalidade? Qual é a logica, qual é o principio que impede de sequer voltar falar em processar uns e sem sequer falar em processo já dar a execução legal de outros? É porque ele é um racista mentiroso covarde chupa saco do sistema que ele não tem coragem de enfrentar e perseguidor de quem não tem um estado para o defender? Não você não pode inferir isso, só do que ele disse. Mas só do que ele disse não é preciso sequer inferir nada porque ele novamente disse sem pudor com todas as letras:não quer prejudicá-la”.

Quem disse que Trump não mudaria, que não mostraria toda a compaixão de um imperador: eu a anistio. Reportagens de discursos, geralmente quando querem prejudicar uma pessoa retiram trechos isolados. Com Trump é o contrário, se você não considerar isoladamente cada frase, e ignorar um monte delas não há como salvá-lo da sua própria incoerência. Aliás incoerência nenhuma. Só há incoerência se você não fizer as pressuposições certas na cabeça dele. Onde a simples comparação de uma aristocrata americana com alguém que é menos do que a plebe, menos do que as minorias, que não é ninguém, não é um cidadão americano. Não é algo correto. Você não pode acusar de assassinatos quem não mata quem não é reconhecido por pessoas, você não pode acusar de genocídio quem não mata gente. Como você não pode acusar de violar direitos de quem não os possui, quanto mais equipará-los a quem os tem e muitos como até mesmo como privilégios tácitos.

Os sinais estão todos lá para quem quiser ver. E se você pensa que os EUA tem uma justiça ou instituições fortes para impedir que ele cometa atrocidades. É porque você ainda não entendeu como funciona na prática os direitos dentro de um Estado-Nação. Como funciona a justiça onde existem desigualdade de poderes e liberdades fundamentais entre o cidadão e seus governantes. Tudo o que Trump e seus acólitos precisam para fazer o que ele quer não carece de ser inventado, já está lá pronto para ser simplesmente aplicado em massa:

Não não estou falando dos drones estou falando do supremacismo que materializado nestes programas e tecnologias: não há assassinos.

Mas não vamos terminar o artigo aqui não porque Trump não é nada disso.

Trump é o presidente dos EUA e portanto “um humanista”. De um humanismo que um humanismo que se espalha pelo mundo inclusive nos países periféricos. Mas porque os países periféricos não se espelham então no humanismo do novo EUA?

Porque não aplicamos também esse raciocínio nacionalista e absolutamente intolerante com a criminalidade e ilegalidade. Ora porque não nos livramos de todas as empresas estrangeiras mandamos suas bases militares de volta para suas casas. Porque eles detém o capital. Ora não seja idiota, eles detêm o capital financeiro que virou que contabilidade digital, e na verdade sempre foi fictício mas deixa para lá. Nunca ficou tão evidente que podemos com as moedas digitais o quanto podemos nos emancipar deles ou de qualquer atravessador dos meios-de-troca. Mas o mais importante não é isso, quem detém o verdadeiro capital é quem possuiu os meios de produção e se eles possuem toda a tecnologia, quem detém toda a matéria prima e muitos dos recursos básicos que todo o Planeta carece somos nós, e não estou falando só dos recursos naturais e vitais, mas de gente porque capital não se reproduz sem trabalho, inclusive o que ninguém quer fazer, ou ainda não é tão barato quanto uma vida humana que não vale nada (para eles) para trocar por um robô fazer.

Eles se virariam com suas terras gente e máquinas por lá, nós com as nossas por aqui. E no final das contas gente se reproduz, máquinas se aprende a inventar, mesmo que demore mais, porque afinal de contas um dia alguém inventou sozinho, mas terra, natureza… isso não se troca, nem se repõe. Ou se guarda senão se perde, se rouba ou se destrói.

Mas porque essa é uma proposta inexequível então? Pelo mesmo motivo que ninguém vai conseguir impedir, não sem um custo milhões de vezes maior de tudo, de Trump fazer os maiores absurdos depois que ele for o comandante-em-chede do maior Estado-Nação do Planeta. Estados não não fazem proposta ou acordos de paz , eles fazem propostas de negócios e com armas na mesa.

Então estou sugerindo que nos armemos, que estatizemos tudo e construamos um Estado beligerante nacionalista e supremacista que os EUA de Trump?

É claro isto não é uma guerra entre povos, isto não é sequer uma guerra entre classes sociais, mas como está ficando bem claro claro em todos os lugares do mundo, isso é uma guerra de quem está acima da justiça legal contra aqueles que mal tem a justiça social. De quem detém cada vez privilégios governamentais e estatais, inclusive como corporações privadas e transnacionais e quem não possui a proteção de uma sociedade de uma cidadania de um contrato social, ou a tem de forma tão precária e marginal que mal se consideram ou são considerados como iguais nem em cidadania nem humanidade. Uma guerra não porque as partes não há equilíbrio nenhum de forças entre as partes. Está mais para um permanente ocupação contra uma resistência cada vez mais frágil dos povos.

Felizmente ainda não somos todos peças obsoletas desse sistema para serem jogados nos lixões esquecidos das periferias do mundo. Felizmente eles ainda precisam de alguns de nós para serem seus servos e escravos. Mas e quando as máquinas ocuparem todos os postos de trabalho, não só dos trabalhadores brancos mais caros, mas de toda a plebe do mundo, até aquela que trabalha não mais que o sustento? O que vai acontecer com esses recursos humanos quando eles não forem mais necessários? Quando forem apenas peças velhas e obsoletas de velha máquina? O que acontecerá ao homem comum, quando seu trabalho escravo valer menos que o de um automato? Todos receberemos de volta nossas terras e rendas básicas e vivemos felizes juntos e em paz para sempre, todos servidos pelos mesmos robôs?

Isso é uma ótima ideia, falta agora só convencer os Trumps do mundo a querer conviver com aqueles que eles odeiam e desprezam.

Não seja tolo. Aos olhos dos homens de negócios não existem muito menos pessoas iguais, porque não existem pessoas, só recursos humanos. E o que não dá mais lucro, só ocupa espaço, vai pro lixo. Mas não se preocupem com o meio ambiente porque depois de moído você será reciclado.

Perái… acho que nem isso.

Conclusão

talvez então você me diga que a minha analise é em tese falha. Pois ainda que a probabilidade seja ridiculamente baixa de Trump perseguir igualmente os poderosos e os excluídos. Se ele o fizesse estaria se fazendo coerente tanto a sua lógica quanto as suas promessas. E ainda sim poderia estar cometendo não uma, mas duas injustiças.

Ora e como ele poderia fazer isso, honesta e coerentemente sem cortar a cabeça de todos inclusive a sua? Como ele poderia processar, e investigar com isenção todos os privilegiados sem se prender a ele e a todos mais poderosos ainda que ele? Se todos fossem absolutamente iguais perante a lei não no papel, mas na prática o mais provável é que caíssem todas as cabeças de quem hoje esta acima do seu alcança, e não abaixo da sua proteção.

Mas a ideia não é de todo ruim. Vamos aplicá-la aqui no Brasil. Na ordem dos peixes grandes para os pequenos, para não sermos covardes e neutralizarmos quem causa o maior dano, o politico e banqueiro bandido e não o ladrãozinho de manteiga. Vamos lá, desafio, a todos que defendem a legalidade que não sejam covardes e pusilânimes e levantem sua retorica sua forças suas autoridades contra os bandidões mais poderosos do Brasil. Não os que foram e querem voltar a ser. Mas os que são e ninguém consegue tirá-los de lá.

Taí o B.O, e entregue por um site conservador de direita, e que só não da para chamar de extremista, porque depois de Trump seria causar confusão:

http://www.oantagonista.com/posts/ou-anistia-ou-anistia

http://www.oantagonista.com/posts/criminalizar-sem-anistiar

Falando em cara de pau, e retórica populista de quinta categoria, é olhar para nosso congresso para dizer que se Trump não fosse o que é (um fascista do norte) seria um perfeito populista da América do sul. Porque o negocio dele não é só levar vantagem em tudo, é também produzir falacias que que são por si só um crime em si. Mas verdade seja dita, não chegou ainda a cara de pau da classe politica brasileiro , de querer criminalizar o que já é crime para contrabandear no meio da lei uma anistia e sabotar sua prisão certa. Se isso não é por si só um crime, pode fundar um novo Brasil paralelo. Aliás paralelo não, único porque o oficial não existe.

E com isso vou encerrando por aqui, me perguntando… suponho que tenha muita gente série e honesta no judiciário, suponho que por mais ingenuo que seja, talvez tenha mesmo muita gente que acredite no que faz; e que não tenha entrado para o serviço público para ser comparsa de bandido nem muito menos seu capanga. E ffico sinceramente me perguntando… com é que eles se sentem quando se vêm obrigados a se submeter a um negócio destes? Como é que eles se sentem não podendo nem dizer com todas as letras o que é esse negócio que por profissão eles deveriam deter.

Talvez seja o mesmo que sente muito americanos quando acham que tem obedecer Trump não importa o que ele faça, mande fazer ou decrete. Mas ainda sim fica outra pergunta: será que fazem isso por que acham que estão colocando o mais importante acima de tudo; ou é só, como demostrou os experimentos “científicos” de Milgram ou da prisão de Stanford porque colocam as ordens recebidas automaticamente acima de tudo, mesmo do que é certo e errado?

Quem precisa responder isso é eles. Até porque são eles que precisam dizer o quanto não acham certo o que está para começar a acontecer. E o quanto eles acham que isso vai dar errado.

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store