É possível um sujeito presidir um pais sendo um suspeito aos olhos de toda a Nação?

Ou o que eles estão esperando? o que eles querem que aconteça no Brasil? Afinal, o que precisamos fazer para nos livrar deles?

Será que ninguém no poder está percebendo o tamanho do risco Brasil? Será que ninguém que detém o poder politico, econômico, jurídico ou midiático percebeu que na cabeça do brasileiro médio, os políticos e governantes deixaram de ser os eternos suspeitos de roubo, para ser os primeiros suspeitos de assassinato? Será que ninguém está percebendo a gravidade da situação que entramos:

Para a esmagadora maioria, para o povo brasileiro, Somos um pais governado não mais por ladrões, mas por assassinos!!! E nem se a Globo, o DataFolha, ou o Papa provarem o contrário, ninguém mais tira essa impressão da cabeça dele!

Acabou. Hoje dificilmente você encontra uma pessoa (fora alguns articulistas dentro da folha de pagamento de revista ou mídia “insuspeitíssimas”) que ainda defenda a classe política e esse governo. O estado de desconfiança já é tamanho que quando alguém começa a defender a inocência dessa gente, sem bancar o completo fanático ou idiota, ele logo passa a também ser olhado com certa suspeita! Perdemos o senso. Ou melhor até isso roubaram de nós!

Isso já não é mais um estado de desconfiança é uma inconfidência.

A ilegitimidade e descredibilidade da classe política e dos governantes está arrebentando com todo o tecido social. Está promovendo uma insegurança, discórdia que dificilmente não veremos acabar em conflitos e revoltas.

Aliás… não veremos? Já estamos a assistir!!!

Nos presídios e agora nas ruas, já há uma guerra urbana onde o povo está no meio do fogo cruzado, sem entender nada, sem ligar que uma ponta tem tudo a ver com a outra.

A morte de Teori jogou, e ao mesmo tempo provou, que o Brasil está numa instabilidade política inédita, e perigosíssima. Mesmo o brasileiro médio, aquele que é crédulo por educação, sempre teve para si que política era coisa de gente corrupta e bandida, mas não pensava, não a maioria esmagadora da população, que eles eram capazes de matar! Nunca acreditou, não com tanta convicção, que eles poderiam matar qualquer um, com tamanha facilidade, e quando bem entendesse sem nenhum medo das consequências.

E mesmo que venha a se convencer ou ser convencido do contrário, mesmo que isso seja só uma forte impressão ou sensação que com o tempo, e passatempos, passa; o trauma causado permanece. Permanece na (e como) inconsciência coletiva da nação, mesmo quando essa nação não se lembrar mais nem quais foram exatamente as causas de tanto medo e terror.

Não sei se a morte de Teori foi só a gota d´água, ou se só serviu para mostrar ao povo brasileiro uma coisa que ele sentia, mas não queria acreditar acreditando… mas o fato, o grande problema, não é nem mais qual será o resultado da investigação, porque já não importa o que as autoridades digam- se foi acidente ou não- o que importa é que na cabeça do brasileiro “não foi”. Ou seja, mesmo que “não tenha sido” o estado de ilegitimidade, desconfiança e desconfiança contra todos os investigados pela Lava-Jato (leia-se políticos de todos os partidos no Congresso e no Planalto) é tamanha que nada mais tira da cabeça do brasileiro sua suspeita… a suspeita e essa sensação de que os mais perigosos e poderosos bandidos da Brasil estão no poder!!!

Será que ninguém no poder percebeu que ninguém fora dele acredita mais nas autoridades e instituições brasileiras? ninguém mais acredita na honestidade do governo, do congresso, da suprema corte? Da grande mídia?

Alguém ainda tem dúvida que essa republica acabou?

Pode fundar outra.

Se havia ainda alguma dúvida que mataram ela. Acabou de vez, junto com a confiança do povão nas instituições brasileiras. Claro que tem uns doidos que acreditam e até pedem para ser governados por militares; tem outros malucos que acreditam nos americanos, e outros mais doidos ainda que acreditam em alienígenas ou pedem a volta do petismo. Há maluco e idiotas para tudo. Eu mesmo sou idiota o bastante (vejam só!) para acreditar que a Suprema Corte não vai fazer mais uma cagada, a cagada final. Sou tão trouxa que até acredito que tem gente minimante honesta lá, e que até mesmo quem não é, vai usar seu instinto de sobrevivência política para não se implodir junto com o seu sistema. Sonho meu…

Mesmo se for verdade o que o povo acredita - e não estou dizendo que não acredito no povo - não podemos dizer que isso tenha sido um ataque de falsa bandeira. Porque ataques de falsa bandeira, embora sejam efetuados pelo próprio governo contra sua nação; e possam ser usado para queima de arquivo; são feitos prioritariamente para incriminar um terceiro para causar uma guerra — interna ou externa. Este evento sim, (a guerra) será o determinante para proceder o acobertamento e apagar os atos criminosos do próprio governo antes e durante o conflito. Um guerra ou conflito com algum grupo nacional ou internacional que sirva de bode expiatório é sempre a forma ideal de promover um autogolpe deste tipo. Porém para convencer as pessoas de que seus inimigos são capazes disso é necessário: primeiro, inimigos que tenham os motivos para serem suspeitos; e segundo, suspeitos capazes, com meios de fato para executarem o crime.

Notem que não estamos falando de fatos. Estamos falando de construções de narrativas para opinião pública. E aos olhos da grande maioria da população brasileira o Brasil não tem inimigos “ocultos” com motivos para isso, ou se há, eles não possuem os meios suficientes para tanto. Assim na falta de um PCC ou uma CIA para jogar a culpa (não se esqueça que até ontem dentro das teorias conspiratórias da velha esquerda a CIA estava com Lava-Jato e o Moro), não sobra outra opção senão culpar Deus que não é mais brasileiro, e ou o diabo da má sorte, este sim, cidadão nato e nativo dessa Terra do Sol.

Logo, razoáveis sobram mesmo só as suspeitas de que foi mesmo um crime a lá mafia italiana com todas as suas conexões políticas típicas. Porém no caso brasileiro, há diferencial inédito: ao contrário das outras máfias do mundo que tem conexões na politica, a mafia brasileira é ou está na própria política! Seus capos são os próprios caciques políticos e as quadrilhas portanto os supostos partidos. Notem que isso deveria ser considerado um completo absurdo pela esmadora maioria da população, mas depois da morte de Teori, quebrou-se essa quarta parede. E o que as pessoas acreditam é justamente o oposto. E se por si só não tira do governo toda credibilidade e governabilidade, nada tira.

Só há um governo mais insustentável do que um governo de conspiradores, é um governo completamente vulnerável as teorias da conspirações. Pois já não importa mais se elas são falsas ou verdadeiras, quem não é mais verossímil é a representação nacional, o governo.

E sabe o que pode ser pior do que conspirações e teorias conspiratórias? É quando os governos dão motivos de sobra para a população acreditar nelas.

Ou, o que seria mais justo, razoável e lúcido, do que pensar que suspeitos não podem investigar, não podem julgar, não podem indicar juízes, nem os investigadores???

O que poderia ser mais justo, lúcido, e razoável do que pedir o afastamento dos suspeitos enquanto corre a investigação?

O que pode ser mais são do que não acreditar que suspeitos de crimes, e suspeitos diante da sua própria população (que por definição é obrigada dar seu voto de confiança a eles) não poderem jamais em hipótese alguma participar do governo, que dirá então serem os governantes!!!

Como vovó já dizia “deve ter alguma coisa na aguá, só podê”, brasileiro parece que além de ter sofrido lobotomia, só tem o hipocampo, não lembra nem o que aconteceu a um ano atrás. Ou finge bem pra cassete.

Quem já esqueceu o motivo da grita para que Lula não virasse ministro da Dilma? Pois é… Nada menos do que o fato dele ser suspeito perante uma população que tinha certeza que sua indicação não passava de um subterfúgio para garantir o maldito foro privilegiado, de modo que ele pudesse se esconder da Justiça no bunker do Palácio do Planalto. E então? Qual é a diferença agora? O que Temer e seus ministros não tem ou tem, que os permite ficar no poder mesmo (i) como suspeitos delatados de roubo perante a justiça e (ii) agora como suspeitos de coisa bem pior perante uma população incrédula da sua honestidade e inocência?

São mesmo inocentes? Pois bem, que como os ex-presidentes da república Lula e Dilma provem. Mas afastados imediatamente do cargos. Pois é evidente que ninguém pode ser condenado sem julgamento, nem sequer destituído de suas funções por ter sido denunciado por alguém. Mas precisa ser imediatamente denunciado e afastado delas se perdeu completamente a confiança do seu povo do contrário, que supõe que ele não é mais probo. É isso que ninguém entende (ou finge que não ) a respeito do impeachment. Dilma não caiu pelos crimes que cometeu ou não cometeu. Dilma caiu porque não é absolutamente aceitável ter um governo sob suspeita ou dominado por notórios suspeitos da criminalidade política! E é justamente por isso que seu julgamento pelo congresso foi uma vergonha e uma panaceia: não foi por que condenaram uma inocente, mas porque ela foi julgada por políticos ainda mais criminosamente suspeitos, não de cumplicidade nos crimes dela, mas de autoria em crimes ainda piores do que os dela!!! Isso quer dizer que ela não deveria então ter sido deposta, que deveríamos ter ficado com ela? Isso quer dizer que deveríamos anular sua deposição, e trazê-la de volta para ficar de novo com eles, já que de qualquer forma os ex-comparsas, ex-golpistas, ex-defensores ferrenhos da democracia, estão de novo fazendo as pazes e se aliando de novo? Que coisa linda…

Pelamordeus é claro que não!!! O que precisamos fazer, o que grita e implora para ser feito, é não sermos tão idiotas de não terminar esse serviço que começamos e cortarmos de vez o mal pela raiz, arrancando toda essa gangue de lá! Todos eles. Para enfim podermos recomeçarmos o mais urgentemente possível nossa democracia “de novo”, sem o lixo do antigo regime contrabandeado no novo. O erro fatal da nossa nati-morta nova república.

Temer hoje se vale exatamente dos mesmos argumentos que NÃO SALVARAM Dilma, mas e nós? o que fazemos? Estamos a discutir o cúmulo do absurdo: se foi acidente ou não. O simples fato dessa possibilidade ser objeto de discussão nacional séria, e não mais de fórum de teóricos conspiratórios ou mídias chapas marrom, indica claramente que a república já era. Hoje temos um governo ilegítimo sem credibilidade popular nenhuma e que corre o risco de amanhã ser sequer um governo de fato. Pois uma coisa é ser impopular. Outra coisa é ser completamente desacreditado. E outra ainda mais perigosa é ser suspeito.

Em suma se há uma loucura nesta história toda é a insanidade de manter um governo suspeito de um crime contra a nação aos olhos da sua própria população!!!

Um governante não só deve ser uma pessoa honesta, deve ser uma pessoa acima de qualquer suspeita. Na história mesmo as democracias mais hipócritas, governadas pelos governantes mais assassinos, a chave para que estes não implodissem, sempre foi manter a população crédula no oposto disto. Não basta negar é preciso que fazer o outro acreditar. Por isso, não importa quão culpados são ou não os governantes, onde não existe mais o credo que eles são inocentes, onde a propaganda política e governamental disfarçada não funciona mais e o governo não cai, quem cai de vez a república inteira. E não há esperteza, malícia ou repressão capaz de impedir que tamanha podridão caia.

Não sou hipócrita de fingir que não compartilho das crenças e desconfianças do povo brasileiro. Mas não sou leviano. Não estou acusando de um crime do qual não tenho provas. Estou, pelo contrário, apontando para a insegurança e o perigo que todos nós viveremos quando a descrença é tanta, que a hipótese de assassinato não é a priori descartada pela população, mas sim considerada com seriedade! Se isso não exige providências urgentes o que exige então? Qual é o próximo acidente? a próxima fatalidade que eles estão esperando ocorrer para NÃO tomar providências? Aquelas que mesmo querendo enfim tomar já é tarde?

Não sei, talvez eles estejam esperando que o tempo dissipe esse clima de inconfidência, enquanto embromam com as investigações da Lava-Jato. Não sei o que eles estão sonhando, só sei que a perda completa do respeito, confiança, credibilidade de praticamente toda a população já é mais do que motivo para depor um governo, sobretudo interino, que dirá sob suspeitas mais graves que podem não ficar só na indignação, mas provocar revoltas e paralisações.

Talvez eles estejam contando com a força do hábito para vencer força da gravidade da situação. De fato as pessoas tendem a sustentar ideias supersticiosos e crédula baseadas apenas no hábito e argumentos de autoridade, tais como: “Acidentes acontecem, logo se o avião caiu foi um acidente”; Ou então, “Não importa o que os governantes brasileiros façam ou desfaçam…nunca houve uma grande revolta ou revolução popular no Brasil, logo, nunca teremos uma”. Mas as coisas parecem ter mudaram no últimos tempos. E se a falsidade (ideo)lógica desse argumentos nunca foi desmascarada, por conta da força do hábito e culto a autoridade, o abuso de ambos passou a concorrer para produzir exatamente o efeito contrário, cada dia mais aumentando o risco de finalmente se ver provado empiricamente que tais argumentos são falsos.

Enfim a grande questão agora é: o que aqueles velhos xaropes do STF estão esperando então? Como diria Ulisses Guimarães (que nem encontraram o corpo), “Inês morrer?” Pois Inês (e Ulisses) já estão mortos, meu velho. Ou, pergunto diretamente agora a eles: vocês já sabem disso não sabem? E não estão nem aí, estão? E se é este o dilema derradeiro imposto a minha geração pergunto então voltando ao título desta matéria: que alternativa resta? que alternativa vocês estão deixando para o cidadão comum, pacífico, desarmado: disposto ainda a obedecer, mesmo a contragosto? Que alternativa resta a eles? Que saída vocês estão deixando para que o povo viva com um mínimo de dignidade? Sem ser obrigado a se levantar contra vocês?

É isso, então? Teremos que viver acreditando que nossos governantes são ladrões e assassinos, mas fala baixinho que senão quem vai ser processado e preso é você? É essa a liberdade, democracia e dignidade que você tem para oferecer como legado para sua terra e seus filhos? Onde posso dizer para vocês enfiarem, então, com muito amor a pátria e sua magistratura, esse legado? Ou não, nem isso?

Sai fora.

Eu não quero Lula, não quero Dilma e quero menos ainda Temer, Renan, Gilmar Mendes e seus séquito de fantasmas de todos os governos passados que se um dia existir justiça ainda terão que responder a nação e a humanidade por todos seus crimes contra ambas.

Não.

Não quero viver sobre o signo desse absurdo e monstruosidade. Não quero viver sob o domínio do medo e covardia, não quero transmitir o legado da minha miséria -que antes de todas as outras misérias é política- para as próximas gerações.

Meu deus do céu, será que eles não percebem o precedente que estão a abrir não na justiça, mas na alma dos brasileiros? Será que não vêem o quão grande é a inverosimilhança da farsa desse espetáculo?

Será mesmo que perderam toda a noção e sensibilidade para perceber para onde vamos? Perceber que quando um povo passa acreditar em tamanho fatalismo, que basta a morte de um único homem para mudar da noite pro dia toda a história de uma nação, para matar todas as suas esperanças de justiça e de um “Brasil do Futuro”, ela joga o pais nos braços desse culto sebastianista de terror perante a violência a espera eterna de seu salvador da pátria?

Será que não percebe que a possibilidade, acidental ou não, de mudar bruscamente os rumos da nossa história pela morte de uma só pessoa, incita e sugere o que há de pior até contra eles mesmos? Incita no mínimo o anseio que essa dita “sorte”, pare de soprar sempre contra o povo e passe a soprar contra o outro lado, o deles? É o tipo de feitiço que pode se voltar contra o feiticeiro. Um mito que pode se voltar contra o mitomaníaco. Uma história ou mito de nação que pode não só custar o futuro do país, mas eventualmente o pescoço de mais ministros, governantes, juízes, cidadãos que por desventura tiverem o azar de perder os favores da “sorte”?

Será que esses homens no poder não enxergam mesmo que acidente ou não, um país que passa a mensagem de que o destino da sua nação pode ser governado pela morte repentina de suas autoridades e governantes é um pais condenado a morte perpetua pela ditadura dos mais inescrupulosos e violentos? Um pais não só vulnerável, mas completamente incapaz de proteger todos seus cidadãos dos mais simples e humildes aos mais poderosos.

Será que ninguém com poder não percebe o risco que está sujeito? O mal e o e perigo que também está plantando contra si? Ok, esquece eles. Sei que a grande maioria dessa gente está se lixando para o mal que causa. Sei que só pensam em eu próprio pescoço, e no aqui e agora. Mas é impossível que todos sejam tão parvos e psicopáticos assim… ou tanto assim… a ponto de não perceber que um pais não pode ser parado ou atrasado com a morte de ninguém. Ou será que sou eu, que ainda sou crédulo demais? ingênuo demais? Será que não vive tempo demais neste brasil para saber que essa boa-fé não existe? Ou será já morreu em algum acidente?

Será que não sobrou nem mesmo o velho e mau instinto de sobrevivência política dessas excelências? Será mesmo que o desejo de posse e poder contaminou absolutamente todos? Será que estão todos tão cegos e bestificados a ponto de não perceber que daqui a pouco é a cabeça deles, ou de outro deles que pode rolar, até mesmo literalmente? E não estou falando só dos riscos que essas excelências estão acostumados, tramas e traições, estou falando dos riscos de revoltas populares e ascensão imparável da versão brasileira do pior populismo que se espalha como epidemia pelo mundo inteiro.

Políticos abusam demais da sorte, da bondade, paciência, tolerância, solidariedade, inocência e honestidade da população brasileira por profissão. Mas e juízes? Que coisa fazem? Eles que supostamente deveriam conhecem todos os lados da natureza humana, tudo o que ela é capaz de fazer especialmente quando detém o poder? Por favor. É ingenuidade ou cara-de-pau mesmo?

Dizem que as pessoas medem as outras pela sua própria regra. Mas isso faz das melhores, presas das piores. Supondo honestidade, então melhor é guardar a sua régua jurídica para a presunção do que a de melhor no ser humano, e tirar a régua da guerra política rapidinho, “ para esperar o que há pior e construir sua defesa com o que há de melhor” quando se trata do “equilíbrio” e “harmonia” entre os poderes. Em outras palavras, meçam seus inimigos não mais pela sua régua, mas pela deles. Isto é, se quiser ter uma real noção do que são capazes de fazer e do perigo que todos corremos a anos, muitos sem nem saber. Ou então se entreguem nas mãos dessa sorte, que que curiosamente contra todas as probabilidades, como a sorte dos anões do orçamento que ganhavam sempre na loteria, sempre pende para um único lado, aliás por sinal como a própria justiça.

Por isso afirmo peço, imploro, que o STF não falhe de novo, porque não terá outra chance de recuperar a confiança perdida do povo. E este de um jeito ou de outro, mais hora menos hora, acabará por se levantar ou em revoltas populares imediatas (o que nem sempre é o melhor para o próprio povo), ou no pior dos mundos se entregando em 2018 a um populista que prometa entregar a cabeça de todos vocês numa bandeja de prata (o que também nunca acaba bem para o próprio povo). E quem duvida que um povo tão humilhado e revoltado não vai mesmo eleger o primeiro que propuser seriamente algo assim? E quem dúvida que esses populistas sejam capaz de cumprir suas promessas? Não se engane cumprir promessas de maldade, canetar, proibir, destruir, gastar é fácil … difícil é compartir, criar, construir e ainda por cima pagar a conta. E o mais relevante que vossas excelências estão esquecendo: com o Brasil que vocês estão deixando bastará ter o poder na mão para que qualquer tiranete faça o que quiser. Se já o faz impopular o faz, imagine quando for um populista.

Dizem que que, avisa, amigo é, mas eu não sou. Confesso que se não soubesse a merda que isso ia dar, ou não soubesse que não traz nada de bom, não tivesse o mínimo de respeito a minha humanidade que também é a sua, confesso… ia querem ver vocês caindo na mão desse bando de louco e fanáticos a esquerda ou direita, tanto faz.

Então para encerrar, peço licença para mandar um recado ao cidadão que por desventura esteja tão revoltado ao ponto de votar até no Capeta para ver se ele leva quem tem pacto com ele pro inferno. Deixa eu te dar um bom argumento para não cair na tentação desse populismo a lá Trump nem a direita nem a esquerda: Esses elementos populistas podem até mandar de volta pro inferno todo mundo que você quer e depois até sem querer acabar indo junto, mas isso não acontece antes deles carregarem meio mundo de inocentes junto com eles. E meio mundo são cálculos modestos do século passado. Porque estamos no século XXI e a capacidade destrutiva e orçamentos daquela época são flechas de índios perto do que eles tem a mão hoje para vigiar e reprimir e matar com um único botão.

E agora falando não estou falando mais só de Brasil, mas de todos Estados-Nações do mundo. Não se esqueça que em última instancia os governantes são sempre os comandantes-em-chefe e nunca custa perguntar, especialmente em momentos de crise sistêmica mundial das democracias liberais, a quem seus subordinados tem lealdade: Ao governo ou ao povo? Aos decretos ou a constituição? A Nação ou ao Estado? Ao pais ou seus supostos donos? Porque nestas horas mesmo quem não quer ver descobre, do pior jeito, que uma coisa não é a mesma que a outra.

Não mesmo.

Image for post

Pois é… o tempo passa mas a traição e Inconfidência são as mesmas: Liberdade ainda que tardia

Written by

X-Textos: Não recomendado para menores de idade e adultos com baixa tolerância a contrariedade, críticas e decepções de expectativas. Contém spoilers da vida.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store